Redes Sociais

Últimas Notícias

Mulher é encontra morta com sinais de violência dentro de cemitério em BH

Vítima apresentava ferimentos graves no rosto e na nuca

A Polícia Civil informou que está investigado a morte de um mulher encontrada com marcas de violência na anhã desta terça-feira (21) no Cemitério da Paz, no bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte.

De acordo com a polícia, a vítima estava embaixo de uma árvore, e teria sido agredida com lápide de cerca de 40 kg que também foi localizado ao lado do corpo. A mulher não portava identificação, mas é conhecida por ser moradora de rua e usuária de drogas.

Os ferimentos graves provocado pelo lápide estava no rosto e na nuca. Ela ainda teria sido arrastada por cerca de 150 metros e deixado próximo ao muro dento do cemitério. O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML).

No local ainda foram encontrados um cachimbo, além de um cueca. Os objetos foram recolhidos para ajudar na investigação. Nenhum suspeito do crime foi localizado.

Continua lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Mulher grávida é morta por ex-companheiro em Esmeraldas

Suspeito tentou fugir em um carro, mas acabou se envolvendo em um acidente e foi preso

Foto: Reprodução/WhatsApp

Uma mulher de 38 anos foi morta durante a tarde desta quinta-feira (10) em Esmeraldas na Região Metropolitana de Belo Horizonte, pelo ex-marido dele, informou a Polícia Militar (PM).

Segundo a PM, a vítima que estava grávida de oito meses de bebê que também morreu, teve perfurações feita com faca na cabeça, no rosto e na orelha.Testemunhas disseram aos policiais que a vítima foi surpreendida pelo ex, que não aceitava o fim do relacionamento.

O homem, também de 38 anos, ao tentar fugir em um carro, acabou se envolvendo em um acidente e foi preso, na LMG-808, em Contagem, também na Grande BH. Ele foi encaminhado ferido ao mesmo hospital em Contagem.

Continua lendo

Últimas Notícias

Polícia Civil conclui inquérito que apura envolvimento de ex-prefeita de Santa Rosa da Serra em crime de corrupção

Além da ex-prefeita, o marido dela e pelo menos três vereadores também participaram do esquema

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu, nessa segunda-feira (7), o inquérito policial que apurou um esquema de corrupção na cidade de Santa Rosa da Serra, no Alto Paranaíba, envolvendo a ex-prefeita C.M.F.R., 55 anos, o marido dela, R.R., 61; um servidor da Prefeitura de Santa Rosa da Serra, L.S.N., 44; e os vereadores ainda em exercício na Câmara Municipal, G.R.D.L., 42; V.D.S., 42; e E.D.R.S., 57.

O indiciamento dos suspeitos foi possível a partir da segunda fase da operação “Éden”, realizada em maio de 2017, quando foram cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão nas residências da ex-prefeita e dos vereadores. Os suspeitos são acusados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, prevaricação, supressão de documentos e organização criminosa.

Os indícios recolhidos demonstraram que a ex-prefeita teria pagado cerca de R$ 100 mil ao vereador G.R.D.L. para comprar o silêncio deste em relação às ilegalidades que ela teria praticado durante sua gestão. Como parte desse pagamento, a investigada entregou ao vereador uma caminhonete no valor aproximado de R$ 60 mil. O restante do valor foi quitado em dinheiro e também por depósitos bancários.

Já em relação aos vereadores V.D.S. e E.R.S., as investigações apontaram que eles suprimiram e ocultaram vários documentos que continham provas dos desvios de dinheiro público perpetrados pela ex-prefeita durante o seu mandato. Durante o cumprimento dos mandados de prisão temporária e de busca e apreensão contra esses vereadores, a PCMG apreendeu em suas respectivas residências diversos documentos que incriminavam a ex-prefeita. Por esta razão, foram indiciados por supressão de documentos públicos.

Todos os vereadores envolvidos nesses crimes também foram indiciados pela prática do crime de prevaricação, pois deixaram de praticar atos de ofício ao não investigar e nem denunciar as ilegalidades praticadas pela gestora às autoridades competentes. Todos os investigados também estão sendo indiciados por organização criminosa. Já os vereadores G.R.S., V.S., E.R.S., indiciados por prevaricação e supressão de documentos, e o vereador G.R.S., por corrupção pelo recebimento da caminhonete.

O inquérito policial já foi enviado ao Ministério Público na comarca de Campos Altos, onde será analisado. As penas para os crimes de organização criminosa variam de três a oito anos de prisão. Já para os crimes de corrupção ativa e passiva, de dois a 12 anos de prisão. Para o crime de prevaricação, a pena é de três meses a um ano de prisão e para o crime de supressão de documento a pena é de dois a seis anos de prisão.

A Polícia Civil também representou pela suspensão da função pública dos três vereadores que foram indiciados, para que os mesmos sejam imediatamente afastados de seus cargos eletivos que ocupam na Câmara Municipal, o que também será analisado pelo Ministério Público em Campos Altos.

Continua lendo

Últimas Notícias

Acidente entre caminhão e carro deixa um morto na BR-381, em Sabará

Vítima estava em carro atingido por carga do caminhão

Foto: Corpo de Bombeiros de MG/Divulgação

Um acidente durante a amanhã desta quinta-feira, 10, envolvendo um caminhão carregado de mármore e carro na  BR-381, em Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, deixou uma pessoa morta.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a carga caiu sobre um carro, onde estava a vítima. O motorista do caminhão teve ferimentos leves e foi levado para o Hospital João XXIII  em Belo Horizonte.

O acidente aconteceu no Km 435, no sentido Belo Horizonte – Vitória, e fechou parcialmente a pista, mas já foi liberado.

Continua lendo