Connect with us

Últimas de Variedade

Inscrições abertas para as oficinas e workshops da 13ª CineOP

Estão abertas as inscrições gratuitas para oficinas audiovisuais e workshops internacionais da 13ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto, a ser realizada de 13 a 18 de junho, na cidade mineira. Até 25 de maio, os interessados devem preencher o formulário disponível no site oficial do evento (www.cineop.com.br). São três modalidades – quatro oficinas, dois workshops internacionais e uma masterclass com a oferta de 280 vagas.

É permitida apenas uma inscrição por pessoa. Se o número de inscrições por oficina ultrapassar o número de vagas oferecidas, a seleção será feita conforme critérios definidos pela comissão organizadora do evento. Os cursos são gratuitos e acontecem no Centro de Artes e Convenções da UFOP, na cidade de Ouro Preto|MG (90 km de Belo Horizonte) durante a realização da 13ª CineOP.

A oficina “Como distribuir seu filme – Novos métodos e políticas de distribuição” tem como objetivo pensar e debater sobre novas formas de distribuição de filmes e séries de TV. A atividade será ministrada pelo diretor, produtor e distribuidor de filmes Cavi Borges.

“Dramaturgias do corpoespaço” será ministrada por Marcelo Aquino – ator, diretor, autor e preparador corporal. A oficina traz a proposta de treinamento, improvisação e composição para intérpretes, que transitam na fronteira entre diferentes formas de expressão artística. Uma possibilidade de entendimento do corpo não apenas como um instrumento de trabalho, mas como uma fronteira constantemente tensa entre o homem e o mundo.

O montador, editor, continuísta, diretor e produtor Guigo Pádua será responsável pela oficina “Introdução à montagem audiovisual”. A atividade tem como objetivo permitir um primeiro contato com os conceitos e a prática da montagem / edição de produtos audiovisuais, dos conceitos teóricos e históricos da montagem cinematográfica, passando pelos estilos de montagem, a utilização do som e da trilha sonora, até o básico dos processos de pós-produção e a montagem não-linear, seus conceitos básicos e recursos.

A oficina “Potencializando a captação de recursos com as leis de incentivo + Crowfunding” buscará apresentar as potencialidades do financiamento coletivo (crowdfunding) para captação de recursos de projetos aprovados em leis federais de incentivo, como a Lei Rouanet e Lei do Audiovisual. A atividade será ministrada por Bruna Kassab, que é designer, gestora e empreendedora sóciocultural e fundadora da plataforma de crowdfunding Evoé.

Além das oficinas, a 13ª CineOP promoverá dois workshops internacionais. “Revelação da Escola” será ministrado pelo escritor e professor de Filosofia da Educação na Universidade de Barcelona, Jorge Larrosa que vem ao Brasil especialmente para participar do evento. O workshop abordará cinema e arte como procedimentos para revelar ou trazer à presença a materialidade e forma da escola; e como procedimentos para desenvolver um olhar amoroso da escola e transformá-la em objeto de estudo, ou seja, de atenção e cuidado. A presença e participação do Jorge Larrosa é um dos destaques da programação da 13ª CineOP Atualmente se dedica às materialidades e práticas que constituem dispositivos pedagógicos (escolas, bibliotecas e museus, entre outros). Tem transitado entre diversas manifestações artísticas, especialmente as artes plásticas, e é autor de livros sobre as relações da criação com a educação.

Já o workshop “ICAIC: Um olhar cubano sobre as ditaduras latino-americanas. Analisando os Noticieros Latinoamericanos” será ministrado por Camila Cabral Arêas, pesquisadora e professora de Comunicação/Jornalismo nas Universidades Católicas de Paris e de Lisboa. Esta oficina tem como objetivo ser um espaço de trabalho coletivo de análise e de reflexão crítica dos cinejornais El Noticiero latinoamericano produzidos pelo ICAIC entre 1960-1990, com o objetivo de analisar a transformação da narrativa cine-jornalística cubana num período histórico marcado pela instauração de regimes militares em diversos países da região.

Outra novidade desta edição da CineOP é a promoção da masterclass “Processo de criação, pesquisa e os arquivos audiovisuais”, com o cineasta e multiartista norte-americano Bill Morrison que costuma trabalhar na fronteira entre as artes plásticas e o cinema. Suas obras circulam tanto nos espaços de museus e galerias, como em salas de cinema, festivais de filmes e cinematecas. No centro de suas criações encontra-se uma profunda reflexão sobre a história da preservação de filmes. Bill Morisson é destaque na cena da preservação audiovisual mundial e, portanto, uma das presençasmais aguardadas da 13ª CineOP, que também vem ao Brasil especialmente para participar do evento. Os participantes terão a oportunidade de dialogar com Morrison sobre seu processo de criação, suas pesquisas sobre os materiais e sobre sua relação com os arquivos audiovisuais, sobretudo a partir de sua obra “Dawson City: Tempo Congelado”.

SOBRE A INICIATIVA

As oficinas integram o programa de capacitação que a Universo Produção realiza no âmbito do Cinema sem Fronteiras 2018. Têm por objetivo contribuir para formação, capacitação, qualificação de profissionais – questão vital para o crescimento da indústria audiovisual no Brasil e, ao mesmo tempo, visa estimular a formação de novos talentos, oportunizar o encontro e o intercâmbio de ideias e conhecimento.

Toda a programação da CineOP é oferecida gratuitamente ao público.

Serviço:

13ª CINEOP – MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO
13 a 18 de junho de 2018

Últimas de Variedade

Quadrilha do Arraial de Belo Horizonte faz bonito e leva o título do Concurso Nacional 2018

Grêmio Cultural Recreativo São Gererê é campeã nacional. Além do primeiro lugar, a quadrilha ainda levou os prêmios individuais de melhor figurino, repertório e marcador. Competição aconteceu no último domingo, em Boa Vista, Roraima

Quadrilha São Gererê – Foto Fernando Teixeira

A quadrilha São Gererê foi a grande vencedora do Concurso Nacional de Quadrilhas Juninas 2018, realizado no último domingo (26), em Boa Vista, Roraima. Além do título, a agremiação também levou os prêmios individuais de melhor figurino, repertório e marcador. O resultado mostra a qualidade das quadrilhas da capital mineira, que apresentaram um verdadeiro show na edição deste ano do Arraial de Belo Horizonte. No concurso municipal, a São Gererê ficou em terceiro lugar. Essa é a primeira vez que um grupo de quadrilha mineiro leva o título nacional para casa.

A São Gererê representou Minas Gerais por ter sida a campeã do Concurso Municipal de Quadrilhas de 2017. O enredo apresentado, no entanto, foi o mesmo levado ao tablado no Arraial de Belo Horizonte 2018, no dia 1º de julho, e representa o desastre do rompimento da Barragem do Fundão, que atingiu cidades como Mariana e Bento Rodrigues.

“Essa vitória é um fato histórico para a trajetória do movimento junino do nosso estado. Além disso, pudemos levar mais uma vez essa causa super importante, que é o rompimento da barragem em Bento Rodrigues, para o Brasil todo. Para ninguém se esquecer desse crime ambiental que trouxe impactos para todo o Rio Doce, de Minas até o Espírito Santo”, diz Jadison Nantes, presidente da quadrilha São Gererê.

Jadison ainda explica que, no ano que vem, quem irá representar Minas Gerais no concurso nacional será a quadrilha Fogo de Palha, vencedora do Arraial de Belo Horizonte deste ano.

Concurso Nacional de Quadrilhas
O concurso Nacional de Quadrilhas foi realizado na Praça Fábio Marques Paracat, em Boa Vista, Roraima, no último domingo, 26. Promovido pela Federação Roraimense de Quadrilhas Juninas (Ferquaj) em parceria com a Confederação Brasileira de Entidades de Quadrilhas Juninas e apoio da Prefeitura de Boa vista, o evento reuniu diversas culturas na cidade do extremo norte do Brasil e garantiu o fortalecimento e enriquecimento cultural do movimento quadrilheiro.

Continua lendo

Últimas de Variedade

Interior de MG recebe peça Infantil sobre Aquecimento Global

Com patrocínio da CTG Brasil, “Projeto Iceberg – Entendendo as Mudanças Climáticas” será apresentada para estudantes

Alunos de escolas públicas de 31 cidades vizinhas das usinas hidrelétricas administradas pela CTG Brasil irão assistir a um espetáculo divertido sobre um assunto importante: o aquecimento global. De 14 de agosto a 6 de setembro, a peça “A Ursa Rosa em Projeto Iceberg – Entendendo as Mudanças Climáticas” circula pelos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Goiás abordando os riscos para o planeta decorrentes das alterações na natureza.

Com uma abordagem leve e didática, a peça faz parte do projeto “Diverte Teatro Viajante”, que tem patrocínio da CTG Brasil, via Lei Rouanet, e realização da Ciência Divertida Brasil – empresa líder em atividades teatrais interativas para público de 4 a 17 anos. No ano passado, também sob o patrocínio da empresa, o espetáculo circulou em 40 municípios paulistas e paranaenses na região das hidrelétricas do Rio Paranapanema, alcançando cerca de 8.000 crianças.

De acordo com a diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil, Salete da Hora, a companhia participa da vida dos municípios vizinhos aos seus empreendimentos também por meio dos projetos culturais, esportivos, sociais e de educação ambiental que apoia visando contribuir com o desenvolvimento local. “Essa proximidade com as comunidades é muito importante para nós”, ressalta.

Espetáculo interativo
Ursa Rosa, que mora no Polo Norte, pede socorro ao ver o gelo derretendo e o nível do mar, subindo. Cientistas recebem a mensagem e convidam a plateia a pensar sobre as mudanças climáticas que afetam a Terra e colocam em risco a vida da ursa e de todos os seres vivos.

Com uma linguagem simples, muita interação com o público e experiências científicas no palco, a peça sobre as mudanças climáticas torna o assunto acessível e interessante. “O Projeto Iceberg foca em entreter e ensinar o público infanto-juvenil, integrando a plateia na atuação e nas vivências do espetáculo”, diz diretor da Ciência Divertida, Júlio Martinez. “Os alunos entendem a importância de discutir o aquecimento global, conseguem compreender o tema de maneira mais clara, participam e refletem sobre aquilo”, complementa.

Serviço

Peça: “Projeto Iceberg – Entendendo as Mudanças Climáticas”

Data: 04 de setembro
Hora: 9h
Local: Centro Cultural Aldariza De Freitas Machado
Endereço: Av. Suburbana Viela Sanitária, 218 – 554, Iturama

Data: 04 de setembro
Hora: 15h
Local: EM Antônio Vicente Fonseca
Endereço: Av. Argentina, 770 – Joamário, Limeira do Oeste

Data: 05 de setembro
Hora: 9h
Local: EM Vicente Luiz Alves
Endereço: R. José Ambrósio de Queiroz, 970 – Centro, Carneirinho

Data: 13 de setembro
Hora: 14h
Local: Santa Vitória
Endereço: A definir

Continua lendo

Últimas de Variedade

Thiago Arancam apresenta “Bela Primavera” no Grande Palácio das Artes

Ingressos já estão à venda nas bilheterias do teatro ou no site ingressosrapido.com; Artista é protagonista da superprodução musical ‘O Fantasma da Ópera’

O Fantasma – Thiago Arancam – Crédito: Pedro Dimitrow

No dia 1º de setembro (sábado), às 21 horas acontece no Grande Teatro do Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537 – Centro – BH) apresentação de espetáculo “Bela Primavera” com Thiago Arancam, um dos maiores tenores da atualidade. Ingressos a partir de R$25,00 nas bilheterias do teatro ou no site ingressosrapido.com.

Thiago Arancam promete arrebatar o público mineiro com seu espetáculo “Bela Primavera” que além de cenários, orquestra, coral com a interpretação declássicos da música internacional, que fazem parte da sua memória afetiva e da sua formação como artista. “Todas as músicas desse show me tocam muito. Sou um cara muito sincero no palco e gosto de interpretar aquilo que sinto”, revela o cantor.

O cantor Thiago Arancam trará novidades especiais para a temporada 2018/2019 além de um repertório vibrante – inspirado no último CD “Bela Primavera” e na sua participação na montagem brasileira de O Fantasma da Ópera – o tenor apresentará clássicos da música internacional que fazem parte da sua história. Esta apresentação faz parte da turnê que Thiago Arancam apresentará em mais de 11 capitais brasileiras. Em BH, Thiago receberá a soprano brasileira Carmen Monarcha.

Lançado em 2017, o CD que inspira o show traz regravações de “Hallelujah”, de LeonardCohen; “StraniAmori”, de AngeloValsiglio, Roberto Buti, Cheope, Marco Marati e FrancescoTanini, e “Céu de Santo Amaro”, de Flávio Venturini. Na lista das inéditas, “Magico Amore”, de Eddie Oliva, e “Delirio”, do próprio Arancam, em parceira com Maycon Ananias e JorgeZarath.

Repertório Afetivo

Além das canções do novo disco, o show contará com canções como “Ave Maria” e “BellaCiao”, o hino da resistência italiana na Segunda Guerra Mundial, popularizada atualmentepela série espanhola “La Casa de Papel”. “Eu tenho uma história muito forte ligada à Itália. Meu filho é italiano e eu vim de escola de origem italiana. Essa música me acompanha há muito tempo”, explica o tenor.

O repertório traz ainda “How Can I GoOn”, música imortalizada por Freddie Mercury e Montserrat Caballé e “Can´t Help Falling in Love”, de Elvis Presley. “São músicas que memarcaram, algumas delas eu cantava no início da carreira e outras evidenciam as influênciasda minha formação musical”, explica Arancam.

O repertório conta ainda com canções em Italiano, Espanhol e Inglês e grandes sucessos como “Viva La Vida”, do Coldplay; “Pride”, do U2, e “Crazy”, de Seal.

Arancam mostra asinfluências do mundo lírico nos clássicos da ópera “NessunDorma”, “Com Te Partiro” e “IlMondo”.

O Fantasma da Ópera

Protagonista na produção brasileira de O Fantasma da Ópera, que estreia em agosto de 2018, Thiago Arancam levará para a sua turnê o clima e a emoção do musical da Broadway. Além de “The Music of The Night”, canção do personagem central, o repertório terá “ThePhantomof The Opera” e o tema do Fantasma da Ópera, “All I AskofYou”. “Ter as músicas da peça no meu show é uma forma de unir o projeto Bela Primavera comessa nova fase da minha carreira, que envolve O Fantasma da Ópera”, explica o tenor.

Parceira de Thiago Arancam no musical, a soprano brasileira Carmen Monarcha estará presente em algumas apresentações da turnê Bela Primavera. “Estou muito feliz com a participação de Carmen no meu show. É uma expectativa grande, porque somos amigos de longas datas e sou admirador do trabalho dela”, conta.

Produção Tour Bela Primavera

Irma Vidal e VJ Gabiru dividem a criação cenográfica e a direção artística do espetáculo, quepossui estéticas barroca, clássica e neoclássica, a partir da arte e arquitetura, aplicadas a umcontexto de arte e tecnologia, onde luz e imagem em cenários efêmeros e em movimentodialogam com a música. Na produção musical, Yacoce Simões e na produção executiva a NovoPalco, do empresárioRodolpho Tourinho.

TURNÊ BELA PRIMAVERA 2018

01/09 – Belo Horizonte
26 e 27/10 – Rio de Janeiro
10/11 – Salvador

2019
São Paulo – Porto Alegre – Brasília – Recife – Natal – Fortaleza – Belém – Manaus – Porto Alegre – Curitiba

Continua lendo