Dirigida pelo encenador Hugo Rodas, a companhia vai apresentar as peças Ensaio Geral e Punaré & Baraúna no Galpão Cine Horto

• atualizado em 16/05/2018 às 15:24  

Nascido no Uruguai e radicado há 30 anos no Brasil, o diretor, coreógrafo, ator, bailarino e professor Hugo Rodas é o responsável por orquestrar essa OperATA em dois atos, composta pelos espetáculos Ensaio Geral (2012) e Punaré & Baraúna (2015), que tecem um diálogo entre o universo urbano e o rural. As duas obras têm inspirações na literatura de nomes como Hilda Hilst, Caio Fernando Abreu, Eduardo Galeano e na obra Cansaço, a longa estação do escritor Luiz Bernardo Pericás.

Hugo Rodas tem sua trajetória artística ligada a Minas Gerais, uma vez que, o portal de sua entrada no Brasil foi o festival de dança Ouro Preto na década de 70. Agora, nesse retorno, o público poderá ver um painel da obra recente do encenador e sua trupe – uma pretensa orquestra de atores que conta histórias.

A OperATA será apresentada no Galpão Cine Horto (Rua Pitangui, 3613, Horto) nos dias 19 de 20 de maio (sábado às 20 horas, domingo às 19 horas). Os ingressos podem ser comprados pela internet ou na bilheteria do espaço, uma hora antes das apresentações, por R$ 20 e R$ 10 (meia). A recomendação etária é 16 anos.

Ensaio geral é elaborado a partir da composição de quadros que transitam entre si como numa degustação sonora e visual particular, discorrendo sobre as diversas perspectivas da palavra amor. Rodas explica que o espetáculo revive as nostalgias setentistas do período em que estava à frente do Grupo Pitú, envolvendo a pesquisa de aspectos que ele explorava nesta época em diálogo com a nova safra de atrizes e atores brasilienses.

Dos amores urbanos de Ensaio Geral, para as solidões sertanejas de Punaré & Baraúna – o segundo espetáculo da ATA parte da premissa dessa transição poética. A mesma orquestra que canta seus amores lhe “enchendo o saco num domingo de manhã” em Ensaio Geral, reposiciona e transmuta os mesmos móveis de sua festa para contar “outra estória de amor e solidão”, com a imersão da Orquestra d’Amacaca no sertão.

OperATA

O projeto OperATA traz o repertório da Agrupação Teatral Amacaca unido em um espetáculo. Ensaio Geral, obra estreada em 2012 – vencedora do Prêmio Myriam Muniz e Melhor Trilha Sonora do Prêmio Sesc do Teatro Candango do mesmo ano – será apresentado no 1º ato. E no 2º ato é apresentado Punaré & Baraúna, de 2015, vencedora de 3 prêmios no Prêmio Sesc do Teatro Candango: Melhor Direção, Trilha Sonora e Iluminação.

A OperATA tem apoio da FAC – Fundo de Apoio à Cultura – SeCult/DF, do Galpão Cine Horto e do Frimas Hotel.

Sobre a ATA

A ATA – Agrupação Teatral Amacaca – é uma orquestra de atores. Esse é o seu conceito básico. O foco do trabalho é a experimentação em dramaturgias do corpo, do espetáculo teatral e em musicalidades para a cena. É um princípio da agrupação que toda atriz ou ator integrante toque no mínimo um instrumento musical. O trabalho se desenvolve a partir da realidade muscular da ação e da sonora sensibilidade para a cena. Músculo e som, corpos e instrumentos, ritmos, vibrações e ideias, encenados por Hugo Rodas na experimentação periódica de treinos e ensaios, cantam ao público as imagens dos poemas, manifestos e histórias presentes nos espetáculos d’Amacaca.

A ATA tem origem na disciplina de extensão, ofertada no segundo semestre de 2009 pelo Departamento de Artes Cênicas da Universidade de Brasília, ministrada por Hugo Rodas.

Sobre Hugo Rodas

Vencedor do Prêmio Shell em 1997 pela melhor direção em “Dorotéia”, de Nelson Rodrigues, desde seu estabelecimento em Brasília influenciou e influencia as gerações do teatro local. Trata-se de um teatro onde o corpo do ator e a teatralidade é o que deve ser apreciado e onde se funda o discurso poético.

Hugo Rodas tem mais de 50 anos de vida dedicados ao teatro. É doutor por notório saber em Artes Cênicas, pela Universidade de Brasília, onde lecionou em mais de 30 anos, tendo formado várias gerações de atores e diretores que atuam em todo o Brasil e no exterior. Seu trabalho, sempre voltado à experimentação e à inovação, é um alicerce incontestável na construção da cena teatral e cultural contemporânea da cidade.

SINOPSES

Ensaio Geral

Com duração de 60 minutos o espetáculo “Ensaio Geral” se estrutura em um grande ensaio de teatro musical e discursa a partir de um apanhado de textos livremente adaptados pelo grupo.

É elaborado a partir da composição de quadros de uma degustação sonora e visual particular discorrendo de forma não convencional sobre as facetas da palavra Amor. Dirigido pelo consagrado diretor uruguaio Hugo Rodas, a montagem investe na pesquisa de linguagem, abusando de elementos como plasticidade, dança, teatralidade, musicalidade, elaborando um teatro irreverente com estética simples e surpreendente, puramente corporal, que se torna o principal material dramático em pauta.

Punaré e Baraúna

Um triângulo amoroso. Duas versões da história. Punaré e Baraúna, Baraúna e Punaré. Quem Cicica vai ficar? Baraúna ou Punaré? De que vale a honra do homem, sem o amor de uma mulher?

FICHA TÉCNICA
Direção: Hugo Rodas
Elenco e músicos: Abaetê Queiroz, André Araújo, Camila Guerra, Dani Neri, Diana Poranga, Flávio Café, Iano Fazio, Juliana Drummond, Luiz Felipe Ferreira, Márcia Duarte, Nobu Kahi, Pedro Tupã, Rosanna Viegas e Tulio Starling.
Produção: Tulio Starling e Luciana Lobato
Assistente de Produção: Camila Guerra
Operação de luz: Zizi Antunes
Montagem: Flávio Café
Assistente de Figurino: Luiz Felipe Ferreira

SERVIÇO

OperATA – Repertório da Agrupação Teatral Amacaca
19 e 20 de maio
Dias e horários: Sábado às 20h e Domingo às 19h
Local: Galpão Cine Horto (Rua Pitangui, 3613, Horto)
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Informações: (31) 3481-5580
Site para compra de ingressos: //www.sympla.com.br/operata
Capacidade: 200 lugares
Recomendação etária: 16 anos
Duração: 140 minutos

comentários