Nina Becker faz show de lançamento em Belo Horizonte

Ela apresenta o trabalho pela primeira vez em Belo Horizonte, n’A Autêntica em um show no dia 17 de março.

• atualizado em 13/03/2018 às 12:16  

Foto: Divulgação/André Passos

Nina Becker passeia por cores, espaços, acordes, estúdios, figurinos, desenhos, cenografias, palcos… Tantos canais de expressão criativa e tantos anos de vivência agora se convergem em um conluio de ideias, que ganhou o nome de Acrílico (YBmusic/Natura Musical) e já está em todas as plataformas digitais. Dia 17 de março, sábado, ela apresenta o trabalho pela primeira vez em Belo Horizonte, n’A Autêntica. A abertura fica por conta de Maíra Baldaia.

A produção de Acrílico é assinada por ela com o engenheiro de som e produtor Duda Mello. A banda, formada por Rafael Vernet no piano, Pedro Sá na guitarra, Alberto Continentino no contrabaixo e Tutty Moreno na bateria, foi gravada ao vivo numa atmosfera de improviso, com criações conjuntas e espontâneas nos arranjos. As parcerias nas composições são com Kassin, Romulo Fróes, Negro Leo, Thalma de Freitas, Laura Erber, Natércia Pontes, Jonas Sá, Rubinho Jacobina e Moreno Veloso, além de seus companheiros de banda. O lançamento será feito em parceria com a YBmusic, patrocínio do programa Natura Musical e com realização da Baluarte Cultura.

A gênese de Acrílico se deu no convite da marca francesa Hermès para compor a trilha do lançamento de um lenço comemorativo com inspiração no Rio de Janeiro dos anos 50, em Burle Marx e modernismo. O mergulho nesse universo foi tão sedutor que acabou se tornando impulso para um novo álbum autoral. Mas Acrílico não é só um conjunto de canções. Trazendo na bagagem sua formação em design e sua experiência como cenógrafa e diretora de arte no cinema e na publicidade, Nina imprime na estética do disco uma clara busca pela extensão da linguagem musical para a linguagem plástica, dando um sentido de complementaridade para as músicas gravadas.

Ela conseguiu fazer com que o preto e branco, a frieza do construtivismo, a plasticidade dos movimentos modernistas, suas imagens favoritas do cinema experimental dos anos 20 e a sua permanente investigação cenográfica em torno de materiais, como o próprio acrílico, se combinassem de forma orgânica com a atmosfera solar do samba, do Brasil tropical e dos ritmos latinos. A paleta bicolor se infiltra pelas teclas do piano e passeia por registros fotográficos, rascunhos para as ilustrações da capa e do cenário do show. As referências musicais são diversas: começam com os trios de piano, baixo e bateria de bossa-jazz dos anos 50 e 60 somados ao DNA musical de Nina, que traz o samba, o pós-punk da adolescência e a música livre e experimental dos anos 60 e 70 – paixão que resultou no convite para o baterista Tutty Moreno participar do projeto.

Além do álbum, cujo lançamento foi em outubro passado, Acrílico também terá um produto audiovisual que está sendo feito em parceria com o Canal Brasil, com direção de Felipe Nepomuceno. O processo de gravação das canções é apresentado em imagens em preto e branco, filmadas com câmera na mão. A direção de fotografia é de Lula Carvalho. O filme sintetiza a estética visual de Acrílico em linguagem cinematográfica. No filme, as gravações do disco são entremeadas com imagens plásticas construídas pela artista através de elementos cenográficos, pinturas e desenhos, unindo finalmente seus dois ofícios e paixões em um só projeto.

Serviço

Lançamento ACRÍLICO em Belo Horizonte
Data: 17 de março de 2018 – sábado
Local: A Auntêntica
Endereço: Rua Alagoas, 1172 – Savassi
Abertura da casa: 22h
Shows: 23h
Ingressos: R$30 (antecipado pelo Sympla)

comentários