Redes Sociais

Últimas Notícias

Disque Denúncia 181 completa 11 anos com mais de 812 mil denúncias recebidas

População contribuiu para a prisão de 193 mil pessoas e a retirada de circulação de 38 toneladas de drogas; previsão é de expansão do serviço a partir deste ano

Crédito: Gil Leonardi/Imprensa MG

O 181 Disque Denúncia Unificado (DDU) está completando 11 anos de atuação ultrapassando a marca de 8,1 milhões de ligações recebidas em Minas Gerais, uma média de 736 mil por ano. Dessas chamadas, 812 mil se transformaram em denúncias apuradas pela Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar. Por meio da contribuição dos cidadãos, que repassam informações de forma sigilosa e anônima, foi possível retirar de circulação mais de 38 toneladas de drogas, entre cocaína, maconha e crack; 20,9 mil armas de fogo, como fuzis e submetralhadoras; além de realizar 193,7 mil conduções, prisões, apreensões ou recapturas de criminosos.

O balanço aponta ainda que, em 11 anos de funcionamento, foram apreendidas nas operações policiais desencadeadas devido às denúncias mais de 9,7 mil balanças de precisão e cerca de 236,6 mil unidades de munição. Graças às ligações anônimas, as polícias também apreenderam R$ 27,4 milhões em espécie, oriundos do tráfico de drogas e de jogos de azar. No que se refere à pirataria, 1,16 milhão de CDs e DVDs piratas foram recolhidos.

O 181 é um serviço gratuito, por meio do qual os cidadãos passam informações sobre crimes e sinistros de forma anônima e sigilosa. O canal de comunicação está disponível em todos os municípios mineiros e contribui de forma significativa para o trabalho das forças de segurança pública do Estado.

Para a coordenadora do DDU, Flávia Gomes, os resultados dos últimos 11 anos refletem a confiança da população mineira no serviço, que é operacionalizado pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp). “Um dos motivos que leva o cidadão a contribuir com o Disque Denúncia Unificado é a certeza de que sua identidade é preservada. As pessoas estão percebendo que, quando denunciam, as ações policiais dão mais resultados, e com isso acabam querendo ajudar cada vez mais”, avalia Flávia, ressaltando a importância da participação dos cidadãos para a efetividade do trabalho policial.

O crescimento da participação popular pode ser percebido na comparação ano a ano dos dados: há um aumento do número de chamadas e, consequentemente, nas denúncias geradas. Em 2008, primeiro ano efetivo de funcionamento do DDU, foram registradas 46.103 denúncias. Somente de janeiro a outubro de 2018, foram 64.467. Para 2019, a expectativa é de aumento ainda maior das denúncias, a partir do incremento nas campanhas de divulgação do serviço.

Ranking de denúncias

O tráfico de drogas é a maior ocorrência denunciada pela população. Em 11 anos, foram cerca de 503 mil denúncias desse tipo de crime, o equivalente a 61% da motivação de todas as chamadas direcionadas ao 181 no período. Em segundo lugar estão denúncias ligadas a atividades do Corpo de Bombeiros (demandas de vistorias e fiscalização, em sua grande maioria), seguida por jogos de azar e, depois, os crimes ambientais. Também entram no ranking denúncias sobre armas de fogo e munições, homicídios, maus tratos a animais, pessoas foragidas e procuradas pela Justiça, comércio ilegal, receptação e desmanche de carros, pirataria, entre outros.

Belo Horizonte, Contagem, Juiz de Fora, Uberlândia, Betim e Ribeirão das Neves são, respectivamente, os seis municípios que mais originaram chamadas ao longo dos 11 anos de atuação do DDU. Os municípios, juntos, representam 48% do total de denúncias registradas pelo serviço. No interior, cidades como Governador Valadares, Divinópolis e Montes Claros também registraram milhares de denúncias.

Balanço de 2018

De janeiro a outubro do último ano, a população mineira realizou 420.706 ligações ao DDU, que resultaram em 64.467 denúncias. Nestes dez meses, foram mais de 24,5 mil pessoas conduzidas, presas, apreendidas e ou recapturadas por meio de informações recebidas via denúncias. Além disso, foram apreendidas 2.564 armas de fogo, 25,9 mil munições e 3.580 animais silvestres.

Com relação à apreensão de drogas, o 181 possibilitou o recolhimento de 478,7 quilos de cocaína, maconha e crack entre janeiro e outubro de 2018, frente a 418,2 quilos no mesmo período do ano anterior. Também foram apreendidas 1.618 balanças de precisão, instrumento importante do tráfico de entorpecentes.

Entre os destaques mais recentes do serviço está a captura de um foragido que estava com mandado de prisão em aberto, além de um indivíduo envolvido em homicídio, pela Polícia Civil. A operação que resultou nas prisões foi realizada em novembro, após uma denúncia anônima recebida pelo 181.

Sigilo Absoluto

Com o slogan “O importante é o que você diz, não quem você é”, o DDU busca aprimorar constantemente o serviço para garantir ao cidadão que as informações repassadas aos atendentes sejam trabalhadas de forma eficiente e qualificada. As ligações são criptografadas, garantindo o sigilo do denunciante.

Para denunciar, basta ligar, gratuitamente, para o número 181, que funciona com uma central de atendimento unificada, formada por profissionais treinados e capacitados que trabalham em regime 24 horas para atender a população.

Quando o telefone chama na central, o tempo médio de espera do denunciante é de vinte segundos. Ao ser atendido, quem faz a denúncia recebe uma senha para acompanhar o andamento das investigações. As informações repassadas a um dos atendentes são registradas e encaminhadas para analistas das Polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros. Esses servidores analisam, classificam e incorporam à denúncia outras informações, quando já existentes em bancos de dados dessas instituições, que também auxiliam na solução de cada caso.

Continua lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Polícia prende 11 pessoas durante operação em Uberaba

Um suspeito encontra-se foragido e está sendo procurado

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) participou, nesta quinta-feira (17), da Operação “Retorno” em conjunto com as forças de segurança que compõem o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em Uberaba. Ao todo, foram cumpridos oito mandados de prisão, sendo cinco contra investigados que estavam em liberdade e três em desfavor de pessoas que já estavam detidas no Sistema Prisional por outros delitos. Um suspeito encontra-se foragido e está sendo procurado.

Outras três prisões em flagrante foram efetuadas no curso da operação, duas por tráfico de drogas e uma por posse ilegal de munição calibre 9mm. A ação policial é um desdobramento da Operação “Dilúvio”, resultante de provas que foram compartilhadas com a Polícia Civil, a qual realizou diligências adicionais e conseguiu os mandados de prisão preventiva junto à Justiça em Uberaba.

A quadrilha investigada é especializada em roubos de veículos, inclusive é acusada de orquestrar e executar um roubo de um carro sedan de luxo ocupado por mulheres indefesas. O veículo teria sido utilizado em pelo menos mais uma ocorrência, o roubo de uma caminhonete de luxo.

“Retorno” refere-se ao retorno da prova produzida durante a Operação “Dilúvio”, ao retorno das operações conjuntas das forças de segurança e o retorno de pessoas perigosas à prisão.

Continua lendo

Últimas Notícias

Empresa lança operação de bikes e patinetes em Belo Horizonte

Bicicletas e patinetes elétricos estão disponíveis no Centro, Savassi, Santa Efigênia, entre outros

Área atendida – Foto: Divulgação

A Yellow, empresa brasileira de soluções de mobilidade urbana individual, passa a oferecer o serviço de compartilhamento de bicicletas no sistema dockless (sem estação para retirada e devolução) e patinetes elétricos em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

A empresa inicia a operação piloto na região dos bairros Centro, Savassi, Santa Efigênia, Santo Agostinho, Lourdes, Funcionários, Carmo, Cruzeiro, Anchieta e Sion com mais de 500 bikes e 250 patinetes, ambos com preço acessível – R$ 1 a cada 10 minutos para as bikes e R$3,00 o desbloqueio + R$0,50 a cada minuto de uso do patinete.

As bikes, que estarão disponíveis inicialmente em pontos privados parceiros, podem ser usadas de segunda a segunda, 24 horas por dia, e estacionadas depois em qualquer lugar dentro da área de atuação da Yellow na cidade, em locais onde o estacionamento de bicicletas é permitido (paraciclos e vagas comum de veículos, perpendicularmente ao sentido da via).

Já os patinetes estarão disponíveis todos os dias da semana das 8 às 20 horas. “Começamos com mais de 30 pontos parceiros para bikes e patinetes e outros estão em cadastramento. A Yellow disponibiliza todas as manhãs os patinetes nesses locais; já o usuário pode encerrar a corrida em um desses pontos ou em qualquer local da área de atendimento, contanto que tome cuidado para não atrapalhar o fluxo de pedestres”, explica um dos fundadores da Yellow, Ariel Lambrecht. No final do dia a Yellow recolhe os patinetes para recarga, manutenção e limpeza. E na manhã seguinte, os disponibiliza novamente para uso nos pontos privados.

Assim como em São Paulo, as corridas podem ser pagas com cartão de crédito e dinheiro. Os créditos para uso das bicicletas poderão ser comprados em dinheiro em bancas de jornal e lojas, entre outros estabelecimentos parceiros espalhados pela cidade, como lanchonetes, que vão receber o valor em espécie e transferir, na hora, o montante para o app do usuário, como já acontece com as recargas de celular.

“Temos acompanhado com atenção e contribuído com as ações da BHTrans no chamamento público para operação de bicicletas compartilhadas e, tão logo o modelo sem estação seja contemplado, procederemos com as adequações legalmente exigíveis”, completa Lambrecht.

A Yellow, primeira empresa de compartilhamento de bicicletas sem estações do Brasil, iniciou suas operações em São Paulo em 2 de agosto e que acaba de somar um milhão de corridas. Enquanto amplia e consolida sua operação no Brasil, a Yellow também inicia sua atuação em outros países da América Latina.

Impacto positivo na cidade

Para garantir a melhor experiência do cidadão, preservar o ambiente urbano, apoiar boas práticas do usuário e respeitar toda a sociedade, a Yellow inicia a operação em Belo Horizonte com iniciativas de manutenção, organização do espaço físico e incentivo ao uso responsável. Os ‘Guardiões Yellow’ circularão todos os dias da semana para mapear bicicletas e patinetes, organizá-los, redistribuí-los estrategicamente e retirá-los para manutenção quando necessário, contribuindo, assim, para a melhor distribuição e posicionamento das bicicletas pela cidade, além de apoiar os usuários e garantir as boas práticas.

Continua lendo

Últimas Notícias

Carro desce ladeira e cai sobre casa na Região da Pampulha, em BH

Motorista do carro ficou ferido

Carro parou sob a casa — Foto: Marcelo Costa/Defesa Civil

Um carro descontrolado desceu uma ladeira e caiu sobre uma casa no bairro Cachoeirinha, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte, durante a tarde desta sexta-feira, 18.

De acordo com o Corpo de Bombeiro, o carro desceu uma ladeira, atingiu uma parede e o telhado da casa. Ninguém do imóvel ficou ferido.

A Defesa Civil foi esteve no local onde vistoriou e disse que não há risco de desabamento.

Segundo o corporação, o acidente aconteceu na Rua Flor da Cachoeira e deixou o motorista ferido. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Continua lendo