Homem é conduzido em flagrante por promover festa em Patrocínio

Homem realizou um festa na boate descumprindo decretos municipais e estatuais de saúde
Homem é conduzido em flagrante por promover festa em Patrocínio – Foto: Divulgação/PCMG
Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)
Homem é conduzido em flagrante por promover festa em Patrocínio – Foto: Divulgação/PCMG

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) conduziu em flagrante, na manhã de sábado (25), o comerciante, de 26 anos, que promoveu uma festa na “Boate Colombo”, em Patrocínio, região do Alto Paranaíba, ontem da última sexta-feira (24).

A delegada Camila Fajioli explicou que o suspeito foi encaminhado para a Delegacia de Patrocínio, ouvido e liberado. Segundo ela, o homem vai responder pelo artigo 268 do Código Penal, que é infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa. “A lei prevê uma pena de detenção de um mês a um ano, e multa. Isso significa que é um crime de menor potencial ofensivo, portanto foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO)”, disse a delegada.

Uma equipe da Polícia Civil foi até à residência do suspeito a fim de averiguar denúncias relativas a uma possível desobediência ao decreto municipal 3.677/2020, publicado pela Prefeitura Municipal de Patrocínio. O decreto regulamenta restrições temporárias no comércio com potencial de aglomeração de pessoas em medida de prevenção do contágio ao coronavírus. Foi determinada a suspensão de algumas atividades, a exemplo de boates e clubes sociais, e refere-se a medidas de restrições para o combate à pandemia do Covid-19.

Questionado pela polícia, o homem alegou que realmente estava no local, mas não chegou a abrir o estabelecimento ao público e que “apenas estava no interior da boate reunido 15 amigos, sem fins lucrativos”. As pessoas estavam fazendo uso de bebida alcoólica e não havia ventilação no local. Ele confirmou que as pessoas chegavam, entravam em contato com ele pelo celular e podiam entrar na boate.

Segundo a delegada, a PCMG realizou a oitiva do comerciante e ele vai responder criminalmente perante o Juizado Especial Criminal, como determina a lei.

A PCMG também acionou a Prefeitura Municipal para comparecer na Delegacia de Polícia a fim de que sejam tomadas as medidas administrativas pertinentes.

A Por Dentro de Minas não conseguiu contato com os responsáveis pela boate.

Total
5
Shares
Reportagem Anterior

Homem é preso com mais R$ 100 mil em carga de produtos hospitalares roubados destinada a BH

Próxima Reportagem

Previsão do tempo para Minas Gerais nesta segunda-feira, 27 de abril


Postagens Relacionadas