Redes Sociais

Vôlei

Dentil/Praia Clube vence Osasco e está na final da Superliga 17/18

Em uma noite de ginásio lotado, o grupo comandado pelo técnico Paulo Coco derrotou o oponente da Grande São Paulo por 3 sets a 1, parciais de 18/25, 25/16, 25/19 e 25/21.

Foto: Assessoria Dentil/Praia Clube

Foi épico, histórico, memorável, inesquecível. Não há adjetivos suficientes para descrever o sentimento de todos os envolvidos e engajados no projeto Dentil/Praia Clube. Na décima temporada consecutiva na Superliga Feminina, a Equipe Praiana disputará pela segunda vez na história a decisão da maior competição do voleibol brasileiro. A vaga à final da temporada 2017/2018 foi garantida na noite desta sexta-feira, 6 de abril, na quinta e última partida das semifinais ante o Vôlei Nestlé (SP), na Arena Praia, em Uberlândia (MG). Em uma noite de ginásio lotado, o grupo comandado pelo técnico Paulo Coco derrotou o oponente da Grande São Paulo por 3 sets a 1, parciais de 18/25, 25/16, 25/19 e 25/21.

O duelo desta sexta colocou os adversários frente a frente pela oitava vez na temporada 2017/2018. Ao todo, o Esquadrão Aurinegro saiu vitorioso em cinco oportunidades. Foram duas partidas disputadas na Fase de Classificação, com dois saldos positivos para o Dentil, além das cinco partidas nas Semifinais, com três vitórias da equipe praiana e duas da equipe paulista.

Na partida decisiva, a oposta Nicole Fawcett foi a maior pontuadora da equipe, com 20 pontos, e ainda foi eleita a melhor em quadra pela torcida e levou para casa o Troféu VivaVôlei CIMED. “Foi uma luta essa série! Nos últimos dois jogos tive uma performance ruim, então tive que repensar minha atuação. O incentivo e ajuda das minhas companheiras nos treinos foi fundamental. Osasco é uma equipe muito boa, e sabia que seria uma disputa difícil. Estou muito feliz que conseguimos enfrentá-las e jogar como jogamos”, comentou a norte-americana.

A capitã Walewska também comemorou e disse que o elenco soube aproveitar as oportunidades. “O jogo de vôlei feminino é muito baseado em resiliência. O resultado muda de uma hora para outra, e muito rápido. Então, temos que acreditar e ir construindo o set, ponto a ponto. Conversamos no vestiário que teríamos que pensar em cada ação do ponto. Isso fez uma grande diferença na partida: estar preparadas para virar nas oportunidades dadas. Agora, sinceramente, já estou pensando no jogo do dia 15. É uma comemoração hoje, junto com a nossa torcida, mas não temos muito tempo! A vitória existe e temos que sair daqui orgulhosas por ter sido uma série longa, mas já estou pensando no primeiro jogo da final”, disse a capitã.

Após um embate difícil, com virada no quarto set (1 a 9), o técnico Paulo Coco falou à imprensa sobre a felicidade e o mérito do time em disputar a final do campeonato. “Sofremos bastante, pois começamos o jogo ansiosos e fazendo ações sem pensar muito. A mudança de atitude no segundo set foi fundamental para o time. Começamos a distribuir mais, fazer melhores opções, equilibrar mais o duelo. As adversárias tiveram um início fulminante no quarto set e erramos muito, mas nossa equipe tem mostrado que não desiste. Por isso, e pela campanha que fizemos no campeonato, não merecíamos ficar de fora dessa final. O Osasco jogou muito nesse playoff, exigindo ao extremo de nossa equipe. Isso foi importante, pois foi um teste de fogo para nós encararmos uma equipe tão tradicional no vôlei. Obviamente, não ganhamos nada ainda. Tínhamos um objetivo de estar na final, e agora temos a vontade de ganhar esse campeonato. Sabemos que é muito difícil superar uma equipe como a do Rio, com tantos títulos e comissão técnica qualificada. Temos que tentar quebrar mais um tabu, que é vencer esse momento que eles estão tão acostumados e sabem o caminho”, concluiu o técnico praiano.

Reta final

Ao contrário das temporadas passadas, na qual os oponentes se enfrentaram em jogo único, na atual temporada o campeão será conhecido após dois confrontos. As datas e horários já estão definidos pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). Depois de um pouco mais de dois anos, as equipes Dentil/Praia Clube e SESC-RJ ficarão novamente frente a frente na disputa do maior título do voleibol brasileiro.

Dono da melhor campanha na fase classificatória, o Dentil/Praia Clube fará a partida da volta da decisão em casa. A Arena Multiuso Presidente Tancredo Neves (Sabiazinho) será palco deste jogaço de voleibol. Com capacidade para receber mais de 6 mil pessoas, o local atende às exigências da entidade máxima do voleibol brasileiro. No dia 15 de abril, domingo, às 10h, no Rio de Janeiro (RJ), ocorre o jogo de ida. Já no dia 22 de abril, domingo, às 10h, será a vez de o Esquadrão Aurinegro atuar como mandante.

Vôlei

Cruzeiro conquista o hexa da Superliga em jogo no Mineirinho

Campeão só saiu no quinto set, onde o Cruzeiro venceu por 22 a 20.

• atualizado em 06/05/2018 às 14:39

Foto: Divulgação/Sada Cruzeiro

Em um jogo emocionante até o fim, o Sada Cruzeiro conquistou mais um título. O time comentado pelo argentino, Marcelo Mendez, venceu durante a manhã deste domingo (6), o Sesi-SP, no Mineirinho lotado, com parciais 25/16, 17/25, 25/22, 23/25 e 22/20.

Foi preciso cinco sets, para conhecer o campeão da Superliga 2017/2018. O Cruzeiro saiu na frente com 25 a 16, mas perdeu o set seguinte, por 25 a 17. No terceiro sete conseguiu novamente uma vitória, por 25 a 22, mas acabou novamente perdendo o set seguido, por 25 a 23. No quinto e último set, que seria decisivo, no qual, poderia sagrar o Cruzeiro campeão, ou, o ir para a disputada do super set, foi suado, com pontos para cada lado, sendo fechado somente em 22 a 20.

Assim, o Sada Cruzeiro conquistou o Superliga Masculina de Vôlei. Nas últimas seis edições, o time mineiro esteve presente em todas as finais, tento conquista cinco títulos.

Continua lendo

Vôlei

Praia Clube conquista Superliga Feminina ao vencer Sesc RJ

Equipe carioca não conseguiu vencer o time mineiro na última partida da final, disputada neste domingo em Uberlândia.

• atualizado em 22/04/2018 às 18:36

O Sesc RJ foi superado pelo Dentil/Praia Clube e ficou com a vice-liderança da Superliga Feminina 17-18 neste domingo, 22.04, em Uberlândia (MG). A segunda partida da final foi vencida pelo Praia por 3 sets a 0, com parciais de 19×25, 23×25 e 17×25. Como o Sesc RJ havia vencido o primeiro jogo da decisão, no último domingo, no Rio de Janeiro (RJ), foi necessária a disputa de um Golden Set, que deu a vitória ao time mineiro por 18×25.

Com um público de 5500 torcedores no ginásio Sabiazinho, o Dentil/Praia Clube soube usar a pressão de jogar em casa. O Sesc RJ, por sua vez, não conseguiu repetir a boa atuação que teve na primeira partida da final e desperdiçou boas chances no início do primeiro e do segundo sets. “Hoje não conseguimos repetir o resultado da última partida, não colocamos dificuldade para o jogo delas como semana passada. Mas fico feliz de termos chegado até a final. Não conquistamos o resultado que a gente gostaria mas parabenizo o time pela luta e pela garra que teve nesses quatro sets de hoje”, disse a capitã do time, Roberta, eleita a melhor levantadora da competição.

Muito emocionada, a líbero Fabi, atleta referência nesta posição com 10 títulos conquistados na Superliga pelo Sesc RJ, anunciou que a partida de hoje seria sua despedida das quadras.  “Quando eu amarrei meu tênis hoje, um ritual que a gente tem, eu pensei: é a última vez que estou passando por tudo isso. Durante o jogo, não conseguimos pensar muito, mas consegui aproveitar essa despedida. O jogo era difícil, mas me prometi que ia dar o meu melhor para ajudar o time. Tenho vivido os últimos jogos como se fossem o último. O time do Praia foi um time montado para ser campeão e elas jogaram muito bem. Não conseguimos fazer nosso melhor jogo neste momento decisivo, mas estou feliz por ter podido estar com minhas companheiras, em uma final de Superliga, neste momento tão importante da minha vida que é meu último jogo”, diz.

O Jogo

O Sesc RJ saiu jogando com Roberta (levantadora), Juciely (central), Gabi (ponteira), Drussyla (ponteira), Monique (oposta), Mayhara (central), e Fabi (líbero).  No primeiro set, apesar de o Praia ter aberto o placar, o Sesc RJ começou melhor, chegando a 5×2. A partir daí, a parcial seguiu praticamente empatada até 16×16. No final do set, o Praia conseguiu abrir vantagem até fechar por 19×25.

No segundo set, novamente o Sesc RJ começou melhor e abriu 18×14 no placar, com destaque para a boa atuação de Monique e Mayhara. A partir daí, o Dentil/Praia Clube colocou mais pressão. Um bom ataque de Juciely colocou o placar em 21×19, mas o Praia virou em 21×22. O Sesc RJ ainda empatou em 23×23, mas o Praia fechou em 23×25.

No terceiro set, novamente o Sesc RJ teve um início melhor, mas o Praia empatou em 5×5 e virou o placar fechando o set por 17×25 e o jogo por 3 sets a 0. Como o Sesc RJ havia vencido o primeiro jogo da final e com a vitória do time mineiro na segunda partida, a decisão foi para o Golden Set. Novamente, o Sesc RJ colocou pressão no início da parcial, com boa atuação de Drussyla, e o set seguiu empatado até 15×15, quando o Praia aumentou a diferença até fechar por 18×25.

Praia Clube 3 x 0 Sesc/RJ (Super Set: 1 x 0)

Local: Arena Tancredo Neves (Sabiazinho) – Uberlândia (MG)
Sets do jogo: 25/19, 25/23 e 25/17
Super Set: 25/18

Praia Clube: Claudinha, Walewska, Fernanda Garay, Amanda, Fabiana e Fawcett. Líbero: Suelen. Reservas: Andréia, Ellen, Laís, Carla, Ananda e Bruna Pavan. Técnico: Paulo Coco.

Sesc/RJ: Roberta, Juciely, Monique, Gabi, Drussyla e Mayhara. Líbero: Fabi. Reservas: Natiele, Carol Leite, Vivian, Vitória, Peña, Mikaella e Linda Jéssica. Técnico: Bernardinho.

Continua lendo

Vôlei

Sada Cruzeiro bate Taubaté no jogo desempate e garante vaga na final da Superliga

Em um jogo eletrizante, o elenco de Marcelo Mendez contou com a força da torcida e garantiu a vitória de virada, com parciais de 16/25, 25/20, 25/18 e 25/20, no ginásio do Riacho, em Contagem.

O Sada Cruzeiro mostrou sua força e vai disputar a oitava final seguida da Superliga, em busca do hexacampeonato. No quinto duelo da semifinal contra o EMS Taubaté Funvic o time estrelado venceu por 3 sets a 1, desempatando a série em 3 a 2. Em um jogo eletrizante, disputado na noite desta sexta-feira, 20/04, o elenco de Marcelo Mendez contou com a força da torcida e garantiu a vitória de virada, com parciais de 16/25, 25/20, 25/18 e 25/20, no ginásio do Riacho, em Contagem.

“Hoje nós mostramos sabedoria nos momentos difíceis e isso é muito importante para um grupo vencedor. Essa semifinal foi muito disputada. Passamos um sufoco grande, aprendemos com ele, e chegamos bem agora para a final. Estamos muito felizes. Sabemos que vamos enfrentar uma equipe muito qualificada e vamos focados em busca do hexacampeonato”, disse Marcelo Mendez.

E a classificação foi muito comemorada pelos jogadores e comissão técnica do Sada Cruzeiro. Afinal, a equipe teve que se superar nesta fase da competição. No primeiro jogo o clube mineiro perdeu em casa por 3 a 1 e em seguida foi superado por 3 a 0 em Taubaté-SP. Com a ampla vantagem na terceira partida, o time paulista não aproveitou e foi derrotado em Contagem por 3 a 0. Na volta, no duelo na casa do Taubaté, o grupo cruzeirense garantiu uma nova vitória por 3 a 0 e forçou a quinta partida, quando seguiu com o bom ritmo e fechou a série. Pela primeira vez na sua história o Sada Cruzeiro teve que sair de um placar adverso para conseguir a classificação para a final da Superliga.

O maior pontuador do confronto foi o central Simon, com 18 acertos, seguido pelo também cubano Leal e o adversário Wallace, ambos com 16 pontos. O atacante cruzeirense Isac foi eleito o destaque em quadra e recebeu o troféu VivaVôlei.

“Jogar uma partida como essa é muito gostoso, ainda mais dentro de casa, com a torcida dando esse show. A equipe toda está de parabéns, pois hoje a gente soube jogar nas adversidades. A gente foi conversando, todos se incentivando nos momentos difíceis. Nossa equipe é uma equipe vencedora, acostumada a este clima de decisão e vamos firmes para a final”, afirmou Isac.

As datas das finais, que serão disputadas em dois jogos, estão previstas para o dia 28 de abril, em São Paulo e 6 de maio, no Mineirinho.

Despedida do Riachão

E a quinta partida da semifinal marcou o último jogo do ponteiro Leal no Riachão. Após o apito final, o jogador fez questão de agradecer a torcida.

“Hoje é meu último jogo aqui no Riachão e acho que essa torcida fantástica, que sempre me apoiou tanto, merecia uma despedida e merecia saber do meu destino. Eu joguei por seis anos aqui, seis anos muito vitoriosos, e acho que é hora de buscar novos objetivos na minha carreira. Vou para a Itália, como anunciei para a nossa torcida, e quero muito sair com mais um título de Superliga. Vamos trabalhar muito para isso”, disse o craque.

Sada Cruzeiro – Nico Uriarte, Evandro, Filipe, Leal, Simon, Isac e o líbero Serginho. Entraram Fernando Cachopa, Alemão, Rodriguinho e Éder Levi. Técnico: Marcelo Mendez

EMS Taubaté Funvic – Rapha, Wallace, Ivovic, Dante, Otávio, Solé e o líbero Thales. Entraram Renan, Matheus e Madaloz. Técnico: Daniel Castellani

Semifinais – Série melhor de cinco – Superliga 2017/18
20/04 – Sexta – Sada Cruzeiro 3 x 1 EMS Taubaté Funvic, Contagem-MG
17/04 – Terça – EMS Taubaté Funvic 0 x 3 Sada Cruzeiro, Taubaté-SP
13/04 – Sexta – Sada Cruzeiro 3 x 0 EMS Taubaté Funvic – Contagem-MG
10/04 – Terça – EMS Taubaté Funvic 3 x 0 Sada Cruzeiro – Taubaté-SP
07/04 – Sábado – Sada Cruzeiro 1 x 3 EMS Taubaté Funvic – Contagem-MG

Continua lendo