Cruzeiro paga caro por falta de objetividade, leva empate do Avaí e sai vaiado de campo



O Cruzeiro desperdiçou a oportunidade de confirmar o momento de ascensão no Campeonato Brasileiro. A Raposa empatou por 1 a 1 com o Avaí, neste domingo, em noite de pouco futebol, muitos erros de passe e vaias no fim. O time de Vanderlei Luxemburgo perdeu a chance de emplacar a segunda vitória consecutiva.

Cada tento saiu em um tempo da partida. Marcos Vinícius fez seu primeiro gol pelo Cruzeiro aos 12 minutos da primeira etapa. Em bela jogada individual, ele se livrou da marcação e arrematou de canhota. O Avaí conseguiu o empate com André Lima, que aproveitou falha de posicionamento da defesa celeste, quando Paulo André deu condições de jogo ao atacante, e deixou tudo igual aos 36 minutos da etapa final.

Na próxima rodada, o Cruzeiro vai ao Morumbi para encarar o São Paulo. Já o Avaí recebe o Atlético-PR na Ressacada, em Florianópolis. Com o resultado, a Raposa ficou na 12ª posição, com 17 pontos. Os catarinenses estão uma posição abaixo, com o mesmo número de pontos.

Vantagem celeste

O primeiro tempo começou no Mineirão com os objetivos de Cruzeiro e Avaí bem definidos. A Raposa buscava atacar pelas laterais e era mais presente no campo de ataque. O time catarinense veio para contra-atacar e aproveitar os erros defensivos do mandante.

Em um erro de Manoel, Willian esteve perto de abrir o placar e coroar a estratégia do time de Gilson Kleina. Mas a resposta do Cruzeiro foi em grande estilo. Marcos Vinícius fez bela jogada individual, passou pelos zagueiros e finalizou de canhota para balançar as redes: 1 a 0 para o Cruzeiro.

O gol celeste deixou a partida mais aberta no Mineirão. O Avaí teve que mudar a postura de se aglomerar no campo de defesa e foi em busca do empate. Por outro lado, a Raposa encontrou mais espaços para tentar ampliar e, com Marinho aberto pela direita, criou os lances de mais perigo.

Renan Oliveira, revelado na base do Atlético, era o principal articulador do Avaí, que pecava na lentidão ofensiva, principalmente com Willian. O lateral Nino Paraíba também participou bastante do jogo.

Aos 30 minutos, Joel saiu machucado para a entrada de Leandro Damião. O Cruzeiro perdeu em movimentação. Com um homem de referência na frente e a marcação adiantada do Avaí, o clube celeste passou a insistir nos chutões. Mesmo assim, Marinho continuou como principal arma de ataque. Porém, os erros de passe do Cruzeiro impediram que o time celeste chegasse ao segundo gol.

Tudo igual

A necessidade do empate fez o Avaí se soltar ainda mais no segundo tempo. Porém, as idas dos catarinenses ao ataque não se transformavam em finalizações com perigo ao gol de Fábio. Nos primeiros minutos de jogo, o Cruzeiro continuou pecando nos passes.

Fábio fez sua primeira defesa aos 13 minutos. Everton Silva obrigou o goleiro do Cruzeiro a ceder escanteio.

A inércia do Cruzeiro no ataque deu mais esperanças do Avaí em buscar o empate. A Raposa tinha dificuldades em chegar ao gol de Vágner, e Fábio passou a trabalhar mais para o clube celeste manter a vantagem no placar.

O nível técnico caiu ainda mais na parte final do jogo. Os jogadores tentavam, mas erravam na hora de balançar as redes. Lances de bola parada passaram a causar mais perigo.

Aos 36, Tauã encontrou inspiração para dar assistência a André Lima. O centroavante empatou a partida no Mineirão: 1 a 1. Marinho quase desempatou com um golaço no minuto seguinte. Ele arrancou do meio-campo, mas finalizou para fora.

CRUZEIRO 1 X 1 AVAÍ

Cruzeiro
Fábio; Ceará, Manoel, Paulo André e Fabrício; Charles, Henrique, Arrascaeta (Willian) e Marcos Vinicius (Gabriel Xavier); Joel (Leandro Damião) e Marinho
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Avaí
Vagner; Nino Paraíba, Jeci, Emerson e Romário; Renan, Eduardo Neto (Tinga), Rômulo (Everton Silva) e Renan Oliveira e; Tauã; Willian (André Lima)
Técnico: Gilson Kleina

Gols: Marcos Vinícius, aos 12 minutos (primeiro tempo); André Lima, aos 36 minutos (segundo tempo)

Motivo: 14ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Mineirão
Data: 19 de julho, às 18h30
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Elicarlos Franco de Oliveira e José Carlos Oliveira dos Santos (ambos da BA)
Cartões amarelos: Marinho (Cruzeiro); Romário; André Lima, Everton Silva (Avaí)
Pagantes: 13.860
Renda: R$ 491.690

Comentários
Total
0
Shares

Relacionados
Total
0
Share