fbpx
Redes Sociais

MF Press Global

Quando é a hora certa de levar uma criança ao ortodontista? Especialista responde

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

Reprodução / MF Press Global

Durante o desenvolvimento infantil, os dentes de leite vão dando lugar a dentição definitiva e ai percebe-se que o novo sorriso do seu filho já não parece tão alinhado quanto antes. Deixar a visita ao ortodontista para depois não é a melhor alternativa para o problema. Mas quando é a hora certa de levar uma criança ao ortodontista?

O especialista em ortodontia, Dr. Márcio Passos tem a resposta: “recomenda-se que toda criança, a partir dos 7 anos de idade faça uma avaliação ortodôntica. Quanto mais precoce essa avaliação, melhor a indicação de tratamento, se necessário. É importante que o paciente seja tratado de forma multidisciplinar, devendo muitas vezes ser encaminhados também para outros profissionais como médico otorrino, fonoaudiólogos ou fisioterapeutas”.

Dr. Márcio adverte que caso o tratamento seja muito tardio poderá ser mais difícil reverter os problemas encontrados: “como esta é uma fase que as crianças desenvolvem a dentição mista – os dentes decíduos, que são os “dentes de leite”, e a erupção dos 4 primeiros molares permanentes, que nascem sem que caia nenhum dente antes – é importante que se tenha  acompanhamento, caso contrário podemos encontrar problemas com grau maior de dificuldade em ser revertido. Quando avaliado precocemente e identificado o comprometimento da estética facial, (os ditos “gavetas” ou “ perfil de passarinho”) podemos iniciar ainda em fase pré escolar o uso de aparelhos móveis – ortopédicos. Estes aparelhos agem na estimulação das bases ósseas, reequilibrando a posição dos dentes. No entanto, existe um limite de idade para usá-los, pois em determinada idade, estes aparelhos perdem muito a sua função. Podemos dizer que em meninas Conseguimos maior eficiência de resultados até a menarca (1° menstruação) e em meninos até os 12/13 anos”.

Mas apenas encontrar um dente torto ja é o suficiente para correr para o dentista? O especialista diz que nem sempre: “em muitos casos, a criança ter alguns dentes tortos está longe de ser o principal indício da necessidade do tratamento ortodôntico ou ortopédico, e somente um profissional consegue identificar o problema. Por isso toda a oclusão deve ser considera, ou seja, a relação da arcada superior com a inferior, encaixe dos dentes e formato de toda a arcada. Outros fatores, como perfil facial, padrão de crescimento facial, as estruturas das articulações têmporo-mandibulares, os movimentos da mandíbula, padrão de deglutição, musculatura da face, lábios e língua também devem ser avaliados”.

Para o Dr. Marcio Passos, o envolvimento dos pais é primordial no sucesso do tratamento ortodôntico infantil: “nesta fase em que a cooperação do paciente é quase inexistente, precisamos de muito empenho por parte dos pais. Sem este auxilio o tratamento será quase impossível. A família tem que estar consciente e comprometida com a terapêutica. Só assim conseguimos melhor resultado”.

Depois dos 12/13 anos, o especialista aponta que somente o uso do aparelho fixo ou cirurgia podem ajudar na correção do posicionamento dos dentes na arcada: “após esta fase de ‘quase’ finalização do crescimento, a eficiência maior se dará somente com a ortodontia fixa. Nesta fase temos maiores resultados na movimentação dentária e já pouco resultado no desenvolvimento das bases ósseas, portanto conseguimos mexer com o perfil de forma bem suave. Ainda após esta fase, quando já temos o crescimento completo e existe uma discrepância do perfil associado aos da face, será necessário o uso de aparelho fixo mais cirurgia ortognátgica”.

Este conteúdo de divulgação comercial é fornecido pela empresa MF Press Global e não é de responsabilidade da Por Dentro de Minas

Publicidade
1 Comment

1 Comment

  1. Pingback: Especialistas trazem dicas para pais de primeira viagem – Por Dentro de Minas

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Entretenimento

Doutor Gato: Dr. Gabriel Magalhães foi considerado por internautas o mais belo profissional da estética do Brasil

Por

Dr. Gabriel Magalhães/Reprodução / MF Press Global
Em votação online, milhares de internautas escolheram quem seria considerado o doutor mais bonito do Brasil atuante nas áreas de estética, medicina, preenchimentos e beleza.

Geralmente profissionais do mundo da estética, como biomédicos estetas e cirurgiões plásticos, costumam ficar fora do radar quando o assunto é a própria beleza, deixando que o trabalho realizado em seus pacientes fale por si. Contudo, mas algumas vezes não chamar esse tipo de atenção pode não ser uma opção, especialmente quando se é considerado um dos mais belos profissionais da área.

Em votação online, os internautas resolveram tirar o foco dos ilustres pacientes que esses profissionais atendem, como celebridades, modelos e figuras públicas, e virar os holofotes para os chamados doutores da beleza e estética de um modo diferente, elegendo o mais belo entre os principais profissionais deste segmento no Brasil, reconhecendo os seus atributos físicos.

A votação elegeu o Dr. Gabriel Magalhães como o mais bonito do Brasil, com 39,3% dos votos. O biomédico é uma referência internacional em estética avançada, o que inclui harmonização facial, botox e procedimentos de Harmonização corporal. Gabriel competiu com os doutores Diogo Esteves Tardelli (31,7%), Leandro Rago (15%) e Wesley Schunk (14%).

Reprodução / MF Press Global

Gabriel Magalhães revela que não sabia da votação e que foi pego de surpresa com o resultado que o apontou como o ‘doutor gato’: “fiquei sabendo da votação através de um amigo, quando foi revelado o resultado. Fiquei bastante surpreso porque eu não estava à espera disso, nem da votação nem do resultado. No entanto, agradeço ao carinho e a consideração de quem votou, mas humildemente não me acho o mais bonito do Brasil da área da estética. Acho que nem da minha cidade (risos).”

Doutor mais bonito do Brasil

No entanto, Gabriel Magalhães chama atenção também fora do contexto do seu consultório com sua beleza. Nas redes sociais não é raro encontrar posts de elogios de seguidores à boa forma do doutor, que afirma ter uma rotina regrada de treinos e dieta para manter o percentual de gordura baixo e os músculos aparentes, distribuídos em 1,84cm de altura.

Antenado também às tendências da moda masculina, o doutor pode ser enquadrado na categoria de metrossexuais, que são homens que têm uma dose extra de cuidados com a aparência e com a apresentação. Na lista dos metrossexuais estão nomes como o ex-jogador David Beckham, Cristiano Ronaldo, Tom Brady e Roberto Justus.

Dr. Gabriel Magalhães/Reprodução / MF Press Global

Vaidade masculina em pauta

Embora os chamados metrossexuais sejam um fenômeno dos nossos dias, que começou em meados dos anos 2000, a vaidade masculina sempre existiu e nunca foi uma exclusividade feminina. Séculos atrás, homens usavam maquiagem, roupas de acabamento impecável, até peruca e entre outras particularidades.

Hoje os procedimentos estéticos voltados para homens estão cada vez mais em alta nos consultórios e clínicas de estética e a tendência é aumentar a procura. Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS – International Society of Aesthetic Plastic Surgery), homens já representam mais de 23% do total de procedimentos estéticos realizados no mundo, sendo os mais procurados a lipoaspiração, rinoplastia e a blefaroplastia (remoção da pele enrugada e descaída das pálpebras superiores e/ou inferiores).

Continuar lendo

MF Press Global

Rafa Brasileiro ministra curso online sobre as principais mudanças no mercado da construção civil e como se reinventar em meio à crise

Por

A pandemia do novo coronavírus atingiu a cheio o mundo corporativo e praticamente todos os profissionais de áreas distintas tiveram de se reinventar para sobreviver ao lockdown e o encerramento das atividades. O setor ligado à construção civil também sentiu grande queda com a paralisação de empreendimentos e, por isso, profissionais ligados às profissões de Engenharia Civil e Arquitetura, tiveram que se atualizar e buscar novas alternativas para manter as empresas funcionando e a qualidade de serviços que antes era feito apenas presencialmente.

A arquiteta e influenciadora digital Rafa Brasileiro explica que a crise trouxe a necessidade urgente de se reinventar para o setor da construção civil: “Quando o ano começou já existia um novo mercado de arquitetura e construção, onde clientes estão cada vez mais exigentes e informados e profissionais que sofriam com o nivelamento por preço já estavam enfrentando dificuldades para sobreviver. Como se não bastasse, em março o mundo parou e muitos profissionais viram seus escritórios de arquitetura e construtoras se tornando obsoletas, contratos sendo interrompidos. Além disso, arquitetos e engenheiros já eram vistos por muitos clientes como inacessíveis e até mesmo desnecessários por quem contrata serviços de projeto e obra. Por isso, este é o momento de se reinventar para não apenas sobreviver, mas crescer neste novo mercado.”

O novo normal

Rafa Brasileiro também aponta que mesmo após o fim da pandemia, tanto o mercado como os hábitos dos clientes já não serão os mesmos: “É preciso entender que já estamos vivendo um novo normal e que nada será exatamente como antes. E mesmo quando o contato presencial voltar, os seus clientes já estarão acostumados com outro tipo de atendimento. Pode ser que o profissional não esteja preparado para essa revolução e isso significa perder clientes e oportunidades de trabalho. Existe uma minoria (em torno de 5% dos profissionais) que entendeu bem mais cedo como entregar um serviço que é valorizado mesmo quando feito à distância. Isso porque essa mesma minoria ultrapassou os problemas comuns de quem atua com projetos e obras e que hoje se destaca por trabalhar de uma forma diferente e profissional.”

Saída para a crise

De modo a colaborar com a atualização destes profissionais e o crescimento mesmo em meio à crise, a Bora na Obra, empresa criada e liderada pelo casal Rafa e Alex Brasileiro, está promovendo um curso de formação voltado para os novos tempos: “Mas existe uma saída pra se reinventar no meio disso tudo e, inclusive, crescer. O curso de formação é feito especialmente para arquitetos e engenheiros que precisam aumentar o faturamento com projetos e obras sem perder a lucratividade. O mundo mudou, está mais conectado que nunca, e para ter sucesso como profissional no mercado de Projetos e Obras é preciso dominar a técnica e aprender a vender o valor de seus serviços de um jeito completamente novo.”

Sobre o curso

6 a 9 de julho às 20h (Horário de Brasília).

Programação

– Aula 1: Projeto Executivos Infalíveis;
– Aula 2: Orçamentos Precisos;
– Aula 3: Planejamentos Realistas;
– Aula 4: Precificação justa de todos os serviços extras que vão garantir seu faturamento com lucro

Inscrições em: https://boranaobra.com.br/formacao

Continuar lendo

MF Press Global

Portugal é exemplo na pandemia do novo coronavírus e passa a estar em alta na preferência dos que desejam sair do Brasil

Por

Reprodução / MF Press Global

Portugal tem sido um exemplo no combate à pandemia em comparação ao restante do mundo. Com a pandemia do novo coronavírus praticamente sob controle e vivendo um plano de desconfinamento enquanto países como Estados Unidos e Brasil se tornaram o epicentro da pandemia, aumenta o interesse de brasileiros em irem viver neste país europeu,  que oferece também qualidade de vida e segurança, o que o situa entre os quatro países menos violentos do mundo.

Considerado o novo paraíso de artistas e empresários brasileiros bem-sucedidos, cada vez mais são os que se apaixonam pelo país e decidem viver em Portugal. Celebridades como Luana Piovani, Mallu Magalhães, Joana Balaguer, Paola Oliveira, Adriana Calcanhotto e Giovanna Antonelli já vivem em Portugal. No entanto, o país de Camões também atrai anônimos que sonham com a possibilidade de ter melhores condições de vida e emprego no exterior.

O Dr. Anselmo Ferreira Melo Costa, advogado e CEO da FMC consultoria, especialista em direito imigratório, conta porque muitos brasileiros têm buscado Portugal para viver. “Tanto os menos financeiramente como os que estão em busca de reconstruir suas vidas têm visto em Portugal um porto seguro.  Não é preciso aprender um novo idioma para imigrar e viver aqui e tem uma política imigratória favorável a brasileiros, em especial profissionais qualificados e empresários que buscam se inserir no mercado europeu”, ressalta.

Anselmo Costa, que é consultor e advogado e presta consultoria jurídica a brasileiros recém-chegados que buscam viver e trabalhar legalmente em Portugal, revela que o país não está aberto a receber apenas luso-descendentes ou aqueles que já possuem cidadania portuguesa: “é possível viver em Portugal mesmo sem ter ascendência portuguesa. O título de residência emitido pelo SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) não é algo exclusivo para europeus e seus descendentes. Atendidos os critérios, brasileiros podem ter documentos portugueses e até mesmo o Cartão Cidadão, que equivale ao RG aqui”.

Dr. Anselmo Melo da Costa/Reprodução / MF Press Global

Considerado porta de entrada da Europa, já chegou aos maiores números de todos os tempos e quase 200 mil brasileiros vivem legalmente em Portugal, segundo dados do SEF.

Quais são os principais documentos que precisam ser obtidos para viver em Portugal?

NIF (Número de Identificação Fiscal): Também chamado de Número de Contribuinte, ele é equivalente ao CPF no Brasil. O NIF é necessário para tudo em Portugal: seja para alugar um imóvel, abrir conta em banco, fazer compras ou declarar impostos. Ele é basicamente um código que o governo do país atribui a cada de um dos seus cidadãos. Deste modo, as Finanças em Portugal e a Receita Federal no Brasil podem identificar uma entidade fiscal nas declarações de Imposto de Renda, outros impostos e transações financeiras.

Segurança Social (NISS): Semelhante ao sistema previdenciário brasileiro, o NISS (Número de Identificação da Segurança Social) é atribuído quando se tem um contrato de trabalho ou quando se abre atividade empresarial em Portugal, seja ela unipessoal ou coletiva.

Conta Bancária: Não é possível iniciar atividade (equivalente ao MEI em Portugal) ou realizar algumas operações nas Finanças (Receita Federal Portuguesa) sem ter uma conta bancária em Portugal. O processo de abertura de conta é bastante burocrático e pode ser uma verdadeira dor de cabeça sem uma consultoria ou alguém que o ajude. É pedido o NIF, um comprovante de residência, comprovante de renda e cópias dos documentos pessoais na maioria dos bancos.

Continuar lendo