O Por Dentro de Minas é um portal de notícias de Belo Horizonte e todo o estado de MG. Últimas notícias, informações em tempo real do trânsito, previsão do tempo, agenda cultural, emprego, colunas, blogs e coberturas especiais.
Seguir

Refugiado congolês participa da Virada Cultural de Belo Horizonte

Entre os dias 16 e 17/10, público pode conferir atividades online e intervenções inéditas pela cidade
Evento tem participação gratuita e conta ampla diversidade artística - Foto: Divulgação/Giovanny Sá
Evento tem participação gratuita e conta ampla diversidade artística – Foto: Divulgação/Giovanny Sá

Neste final de semana, o congolês Lavi Kasongo irá participar do Festival Verbo Gentileza, que integra a programação da Virada Cultural de Belo Horizonte nos dias 16 e 17 de outubro, de forma híbrida e gratuita.

Faz parte do Festival a exposição “Bandeiras da Revolução”, que reúne criações de Lavi e outros nomes da cena artística, como Aislan Pankaru, Ariel (artista invisual) e Dias Brasil (artista visual) e Efe Godoy. Cada artista irá criar uma bandeira de grande porte, de 1,4mx10m, que estará exposta No MUMO – Museu da Moda, até o dia 1º de novembro. “Eu quero que essa bandeira represente a paz”, disse Lavi Kasongo durante o processo criativo que realizou em conjunto com Aislan Pankaru, artista indígena do povo Pankararu.

“É muito potente realizar o encontro dessas histórias, uma artista invisual (cega) criando com uma artista transvestigenere não-binária, um artista médico do povo Pankaru trocando experiências com um artista expulso do Congo pela guerra civil. Por isso escolhi a Marjorie Yamaguti para idealizar e curar este encontro, por ser uma artista com uma visão de diversidade incrível. A nossa bandeira é a da gentileza, e gentileza vem de gente pra gente, da diversidade da nossa gente”, diz Patrícia Tavares, idealizadora do Verbo Gentileza.

O projeto artístico foi desenvolvido por meio de uma oficina realizada para o Festival Verbo Gentileza 2021. “Proporcionar a troca dessas diferentes histórias potencializa essa exposição além do resultado da obra, é a partir de um ponto em comum, o encontro, que cada caminho pode se desenvolver de maneira diferente”, revela a curadora Marjorie Yamaguti. A exposição estreia no dia 16 de outubro, na programação da Virada Cultural de BH e as bandeiras compõem o Portal da Gentileza 2021 na cidade.

“No Verbo Gentileza deste ano tivemos participações incríveis, grandes insights e o conteúdo está riquíssimo. Será uma nova oportunidade de compartilhar esse material com o público e, ainda, trazer novidades”, explica Patrícia Tavares, idealizadora do projeto.

Para o representante do ACNUR no Brasil, Jose Egas, “ao conciliarmos a diversidade cultural com uma programação acessível, como acontece no Verbo Gentileza, o espaço de diálogo sobre a causa do refúgio se expande e torna possível a integração das pessoas refugiadas em suas mais diversas formas de expressão, inclusive artística”.

As Cores de Lavi Kasongo

Morando no Brasil desde 2015, Lavi conheceu a ONG Estou Refugiado enquanto vendia quadros na Praça da República, no centro de São Paulo. A ONG, que acolhe pessoas refugiadas com o objetivo de oferecer oportunidade no mercado de trabalho no país de acolhida, também tem incentivado a produção artística e integração cultural.

Em 2021 a Estou Refugiado criou o projeto Cores do Mundo a partir da ideia de promover artistas refugiados, que transformam espaços cedidos por empresas parceiras em telas coloridas. Composto por pintura de painéis e tapumes, o projeto, que começou em São Paulo, agora visa espalhar as cores das bandeiras para outros lugares do Brasil – a começar por Belo Horizonte.

Luciana Capobianco, presidente da ONG, conta que a ideia é espalhar a arte feita por essas pessoas para que a mensagem chegue a outros públicos. “É uma oportunidade de trazer a presença da negritude dos refugiados de origem africana, da diversidade, de combater o preconceito através das cores”, diz.

Conteúdo online

As apresentações artísticas, rodas de conversas e palestras poderão ser acessadas dentro da programação da Virada Cultural, dias 16 e 17 de outubro, pelo canal do YouTube da Fundação Municipal de Cultura de BH.

O Verbo Gentileza contempla, ainda, uma importante agenda social que colabora para o alcance da meta 2030 da ONU. Isso acontece por meio dos conteúdos propostos na programação ou por outras ações, como promover a conexão entre as empresas apoiadoras e os parceiros “gentis revolucionários”, que têm trabalhos de responsabilidade social, empreendedorismo, arte e cultura, entre outros.

Sobre o Festival Verbo Gentileza

O Festival Verbo Gentileza está em sua 6ª edição com o propósito, cada vez mais claro, de juntar pessoas e ideias que contribuem para a transformação da sociedade. Sua missão é incorporar reflexões e ações que transformem o dia a dia das pessoas, gerando impacto positivo: social, cultural e ambiental. Conectar marcas a causas das cidades.

O Festival se norteia, ainda, pelos temas propostos nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS) e é realizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, com iniciativa do Verbo Gentileza, patrocínio do Instituto Unimed-BH, viabilizado pelo incentivo de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores, e apoio do Instituto Marum Patrus – IMAP, Patrus Transportes, Stella Artois, Hardy Design e Do Brasil Live.

SERVIÇO

Verbo Gentileza na Virada Cultural
Eventos online e Intervenções pela cidade
16 e 17 de outubro
Acesso: canal da Fundação Municipal de Cultura de BH no YouTube
Participação gratuita

Total
1
Shares

Relacionados