Redes Sociais

Últimas de Variedade

Cãominhada vai agitar Belo Horizonte neste sábado

Oportunidade para os apaixonados por animais se divertirem com seus bichos em um programa diferente na orla da lagoa

Foto: Divulgação

Uma caminhada cultural na região da Pampulha ao lado do seu pet. Essa é a proposta da Cãominhada, evento do Circuito Cultural Pampulha que acontece no próximo dia 19, a partir das 8h. A concentração será na Av. Coronel Oscar Paschoal, em frente ao CEU, com chegada na Praça Geralda Damata Pimentel.

Durante o evento, haverá distribuição de amostra grátis da ração Quatree, adestramento com equipe de adestradores da Lealpet, esclarecimentos jurídicos ligados à causa animal e feira de adoção virtual. Uma oportunidade para os apaixonados por animais se divertirem com seus bichos em um programa diferente na orla da lagoa.

“Queremos estar mais próximos dos nossos clientes e fazer parte do dia a dia deles, proporcionar o bem-estar dos pets e um momento de lazer para toda a família. Para a Quatree, é um grande prazer participar dessa Cãominhada”, afirma André Matoso, gerente comercial da Quatree.

Banda Maurinho e os Mauditos

No mesmo dia 19, a partir das 15h30, acontece o show da banda Maurinho e os Mauditos na Casa Kubitschek, Avenida Otacílio Negrão de Lima, 4188.

Projeto paralelo de Maurinho, do Tianastácia, o repertório conta com músicas do disco ‘Riso do Tempo’, que falam do dia-a-dia, do amor, da falta dele, da saudade, das drogas, da tristeza. Mas engana-se quem acha que o resultado final foi dramático. É um disco alto astral, com muita energia! O grupo conta com Fernando Murcego na bateria, Vinícius Cavalo Doido no baixo e Lucas França, guitarra.

O Circuito Cultural Pampulha promove democratização de acesso e popularização de espaços culturais públicos tão importantes para a cidade. A programação tem o objetivo de estimular a aproximação e a convivência do público com o Patrimônio Cultural da Humanidade, promovendo a relação de pertencimento e o reconhecimento da importância da preservação.

Além de divertir e promover a interação entre belo-horizontinos e visitantes, o Circuito Cultural Pampulha desenvolve uma ocupação artístico-cultural nos espaços tombados como Patrimônio Cultural da Humanidade e os utiliza de forma consciente, valorizando o espaço pelo seu potencial arquitetônico e histórico, promovendo uma nova opção de convivência estimulada pelas artes e pela cultura.

Patrimônio da Humanidade

O Conjunto Moderno da Pampulha tornou-se Patrimônio da Humanidade pela Unesco em julho de 2016, ao representar uma obra-prima do gênio criativo humano, pelo impacto sobre o desenvolvimento da arquitetura, urbanismo e paisagismo e por ser um exemplar excepcional de conjunto arquitetônico.

Um dos itens sob os olhos da Unesco é exatamente a relação entre a sociedade e o seu bem considerado Patrimônio Cultural da Humanidade, o que reforça a ideia de circuito. Sob esta perspectiva, o projeto aproxima a população belo-horizontina e visitantes do Conjunto Moderno da Pampulha, por meio de uma intensa e qualificada programação.

Últimas de Variedade

Ator Tarso Brant e ex-BBB Vinicius Póvoa estarão no 1º influuteco de BH

Em parceria com SebraeLab, evento vai reunir influenciadores digitais da região nesta quinta-feira, 25, às 18h30

Foto: Divulgação

Tradição em São Paulo, o influuteco, encontro que reúne influenciadores digitais com um clima de boteco, tem rodado o país. Em sua 18ª edição, o evento chega a Belo Horizonte e será realizado nesta quinta-feira, 25, às 18h30, com a participação do ator trans Tarso Brant e do ex-BBB Vinicius Póvoa, como painelistas.

Pela primeira vez na cidade, o evento organizado pela influu, ecossistema de influenciadores digitais, também contará com as influencers Mayara Guimarães e Anna Magalhães. Juntos os painelistas somam mais de 950 mil seguidores no instagram.

“O objetivo do encontro é fazer com que os influenciadores se conheçam e saiam do evento sabendo, ao menos, uma coisa nova para implementar em suas redes sociais”, explica Talita Lombardi, sócia da influu e criadora do canal Menina Executiva. A empreendedora palestrará sobre marketing de influência, explicando como fazer uma campanha bem sucedida e o que as marcas esperam desses profissionais.

O marketing de influência tem ganhado cada vez mais relevância na estratégia das empresas. De acordo com o estudo “ROI & Marketing de Influência 2019”, da aceleradora YOUPIX, 68% das empresas enxergam esta como uma boa estratégia para os negócios. Além disso, 69% dos porta-vozes dessas empresas acredita que a internet pode trazer resultados que nenhuma outra mídia poderia.

A 18ª edição do influuteco acontece em parceria com o SebraeLab, espaço do Sebrae que estimula a inovação, o consumo de informações e as múltiplas conexões nos negócios.

Serviço

Data: 25 de abril
Horário: 18h30
Local: SebraeLab – av. Barão Homem de Melo, 329 – Nova Granada, Belo Horizonte
Valor do ingresso: R$20
Os ingressos podem ser adquiridos pelo Sympla: //www.sympla.com.br/xviii-influuteco—belo-horizonte__500837

Continua lendo

Últimas de Variedade

Belo Horizonte ganha mais uma comemoração ao Dia Nacional do Choro em 2019

Esta é a primeira edição do “Festival Circuito do Choro BH”. O festival acontece entre os dias 21 e 27 de abril de 2019, simultaneamente em 20 bares da capital unindo música, cultura e gastronomia. A proposta do festival é integrar a programação de rodas de choro que acontecem semanalmente em Belo Horizonte.  Durante uma semana intensa o público poderá degustar o melhor do choro que acontece na cidade, circulando de bar em bar e apreciando boa música brasileira.

O projeto foi idealizado pelo violonista André Milagres e está sendo realizado em parceria com a Cervejaria Viela com a proposta de difundir e popularizar cada vez mais as rodas de choro de Belo Horizonte. “O público precisa saber que de fato existe um Circuito do Choro em BH com aproximadamente 30 rodas que ocorrem semanalmente. Isto é incrível, é um patrimônio cultural da cidade e precisamos celebrar”, conta André.

Os bares que participam da programação atendem aos mais variados estilos de público, de crianças a idosos, realizando rodas de choro todos os dias na cidade. É importante lembrar que os bares continuam com a programação de choro durante o ano inteiro e a agenda já está sendo divulgada diariamente na página @circuitodochorobh via Instagram.

Confira a programação completa disponível no site www.circuitodochorobh.com.br e também no instagram @circuitodochorobh

Hoje é dia de choro, vamos celebrar!

“Festival Circuito do Choro BH” – 1ª Edição

Domingo 21/04

Tua Pizza  (31) 2510-4410

Av. dos Bandeirantes, 1299 – Anchieta BH

Grupo Beco do Choro, a partir das 10:30

Entrada gratuita

Info: //www.sympla.com.br/festival-circuito-do-choro-bh—grupo-beco-do-choro—2104__504478

Beco do Choro

Músicos oriundos da roda de choro do bar do Salomão buscaram um novo espaço e atualmente se apresentam no Tua Pizza, para tocar obras um repertório de chorinhos inéditos, ou pouco executados. Outra característica importante é o horário e dia dos encontros, que acontecem aos domingos, de 10:30h as 13:30h.

Zona Last     (31) 3352-0002

  1. Pouso Alegre, 2952 – Horto, BH

Grupo de alunos do Arena, a partir das 17h

Entrada gratuita

Info: //www.sympla.com.br/festival-circuito-do-choro-bh—choro-do-arena—2104__504487

Choro do Arena

Oficina Roda de choro coordenada pelo professor Eduardo Macedo, no Centro Cultural Padre Eustáquio às quartas feiras, entre 19 e 21 h, como parte da rede curricular da Escola Livre de Artes- Arena da Cultura (PBH).

Segunda 22/04

Bar do Salomão     (31) 3221-5677

  1. do Ouro, 895 – Serra BH

Grupo Regional do Salomão, a partir das 19h

* Informações sobre cobrança de couvert, no link abaixo

Info://www.sympla.com.br/festival-circuito-do-choro-bh—regional-do-salomao—2204__504489

Regional Do Salomão

Formado por amigos músicos residentes da cidade de Belo Horizonte, semanalmente realiza a tradicional Roda de Choro do Bar do Salomão.

No repertório, encontram-se obras dos mestres Pixinguinha, Altamiro Carrilho, Waldir Azevedo, Jacob do Bandolim, entre outros.

Saruê

Av. Altamiro Avelino Soares, 1269 – Castelo

Grupo Guiné de Riga, a partir das 19h

Programação sujeita à cobrança de couvert. Informações: (31) 98471-8978

Info: //www.sympla.com.br/festival-circuito-do-choro-bh—grupo-guine-de-riga—2204__504493

Guiné De Riga

O Guiné de Riga é um grupo dedicado à divulgação do primeiro gênero instrumental brasileiro, o choro, com a diversidade de suas composições, a singularidade de seus ritmos, melodias e harmonias. Considerado como a primeira música urbana tipicamente brasileira, o choro sofreu influências de ritmos africanos como o batuque e o lundu, e das harmonias europeias. Tem como característica a improvisação instrumental, como se fosse um jogo criativo, executado com muita habilidade.

Formado por violão, flauta, percussão, cavaquinho e saxofone – musicalidade típica do instrumental característico do gênero, que, pode-se dizer, revela a alma brasileira, o Guiné de Riga dedica-se ainda à pesquisa de elementos e ritmos africanos que contribuíram para a formação da MPB. Possui como uma de suas características a de incorporar as tradições em suas composições autorais e as transformar. Além delas, outras de Jacob do Bandolim, Altamiro Carrilho, João Pernambuco e Pixinguinha, compõem o repertório.

O Grupo atua desde 2011, no cenário instrumental de Belo Horizonte, apresentando-se em casas musicais da cidade, projetos e festivais. É composto pelo violonista e compositor Jorge Bonfá, pela flautista Vera Pape Pape, o percussionista Alexandre Cruz, o cavaquinista Rogério Pagé e pelo saxofonista Anderson dos Santos,

Continua lendo

Últimas de Variedade

1º FeNAPI – Festival Nacional de Arte para as Infâncias de Belo Horizonte

Pioneiro no gênero em Minas e um dos primeiros do país, o FeNAPI conta ainda com uma programação formativa gratuita com seminário, palestra do dramaturgo e jornalista Dib Carneiro (SP), oficinas, publicações de jornalistas convidados e bate-papos

Belo Horizonte recebe entre os dias 14 e 21 de abril a primeira edição do FeNAPI – Festival Nacional de Arte para as Infâncias de Belo Horizonte, que vai ocupar 10 locais da capital mineira – teatros, praças e espaços alternativos. As apresentações compreendem 13 trabalhos nas áreas de teatro, dança e performance, originários de Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Pindamonhangaba, interior de Minas Gerais, Belo Horizonte e região metropolitana. Os ingressos para os espetáculos serão vendidos a preços populares de R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia-entrada), na bilheteria dos teatros ou pelo Sympla. Mais informações para o público: facebook/fenapibh e @fenapi.bh. O FeNAPI – BH tem idealização e realização da Insensata Cia de Teatro – que completa 10 anos este ano -, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte com patrocínio da UNIMED BH.

“O principal objetivo do Festival é afirmar a arte para as infâncias enquanto terreno de fruição, experiência estética e pesquisa, questionando hierarquias e o mercado de consumo”, explica uma das idealizadoras do festival, a pesquisadora de arte para as infâncias, Brenda Campos. Segundo a estudiosa, o conceito de Infâncias, no plural, valoriza a imaginação como sendo algo não pertencente somente à criança, mas à cada indivíduo, em qualquer fase da vida. “A fruição do espetáculo é para todas as idades, antes da lição de moral e do desenvolvimento pedagógico, porque acreditamos que a criança comunga de um mesmo universo que o adulto, de forma horizontal. Muitas produções ainda subestimam a capacidade de percepção dos pequenos”, questiona Brenda, idealizadora e coordenadora do festival que também integra a Insensata Cia de Teatro – o grupo desenvolve desde 2009 pesquisa dedicada às infâncias.

Para a curadora do FeNapi, Carol Fescina, o desejo é que o Festival funcione como um grande quintal, onde o encontro e as infâncias sejam protagonistas. “Acreditamos que construções coletivas e que prezam pela porosidade contribuem para criarmos lugares sociais mais amplos e horizontais”.

Nesta primeira edição será apresentado um panorama de 13 trabalhos de artistas e grupos brasileiros comprometidos com as crianças em todo o Brasil, alguns deles inéditos em Belo Horizonte, como“Pequenices: Minipeça Viajante de Dança (RS) e Juvenal, Pita e o Velocípede (Rio de Janeiro / RJ). A curadoria do festival considerou, como critério de seleção, espetáculos com foco na experimentação artística e que compreendam temas e estéticas destinados ao público de todas as idades. As propostas foram selecionadas por meio de chamamento público, divulgado nas redes sociais da Insensata Cia de Teatro e do festival.

Além dos espetáculos e performances, o festival prevê ainda uma programação gratuita como a palestra com o jornalista e dramaturgo Dib Carneiro, oficinas, bate-papos, seminário e o painel crítico, que irá reunir textos de jornalistas convidados sobre a programação. “O objetivo das atividades formativas é quebrar com as barreiras que ainda existem entre as produções, os projetos de pesquisas e a atividade acadêmica dedicada às infâncias, estimulando a atividade reflexiva”, completa Keu Freire, idealizador e coordenador do festival.

Para o jornalista, crítico e dramaturgo Dib Carneiro Neto (SP), que dará a palestra “Valorizando a imaginação”, iniciativas com foco na pesquisa cênica e reflexão sobre as infâncias ainda precisam de muito apoio para a quebra de preconceitos e de tabus. “A essência do teatro é o encontro. Quando surge um novo festival, é isso o que primeiro deve ser compreendido e aplaudido: a possibilidade de encontro. Encontro dos artistas com o público, encontro do público com as infinitas possibilidades de manifestações cênicas, encontro dos pensadores de teatro com os artistas e com o público, encontro das autoridades locais com a magia dos palcos. Celebrações que levam a descobertas e aprendizados“, afirma dramaturgo premiado que já passou por veículos como Veja São Paulo e O Estado de S. Paulo e atualmente é responsável, em São Paulo, pelo site Pecinha É a Vovozinha, portal de notícias sobre teatro infantil, do qual é fundador e editor-chefe.

PROGRAMAÇÃO  RESUMIDA

A abertura do FeNAPI, no dia 14 de abril (domingo), na Praça da Liberdade, conta com a intervenção “Intermitentes ou vai e vem” (grupo Teatro & Cidade), às 17h, e o espetáculo “Memórias de um Quintal” (BH), da Insensata Cia de Teatro, às 18h, além de um Quintal – espaço aberto para brincadeiras, jogos, lanche, trocas de ideias e compartilhamento de vivências entre os participantes – espaço que será montado ao longo do festival em diferentes dias na Praça da Liberdade e no Parque Municipal.

A programação do festival, que se estende ao longo de uma semana em teatros e espaços públicos, promoverá 13 apresentações cênicas (6 de BH, 3 de cidades do interior de Minas e 4 de outros estados do país), com Painel Crítico de análise dos espetáculos por convidados ao final. Serão oferecidas duas oficinas nacionias – “Jogos teatrais com objetos”, com Henrique Sichtin (Cia Truks), e “CBTIJ,  ASSITEJ  e  ITYARN:  instituições  de  fomento  ao  teatro  para  crianças e  jovens”, com Paulo Merisio (Trupe de Truões); uma palestra com o jornalista e dramaturgo Dib Carneiro Neto (SP), com o tema “Valorizando a imaginação”, e o Seminário “Arte Infância”, com comunicações de pesquisadores que investigam a arte para as infâncias.

SOBRE INSENSATA CIA DE TEATRO

O 1º FeNAPI é idealizado e realizado pela Insensata Cia de Teatro, no ano em que comemora 10 anos de existência. Fundada em 2009 a companhia vem, desde 2014, de maneira ininterrupta, desenvolvendo pesquisa dedicada ao teatro para as infâncias. “A gente defende a fruição do espetáculo pra todas as idades antes de qualquer coisa, antes da lição de moral, do desenvolvimento pedagógico, porque acreditamos que a criança compartilha de um mesmo universo que o adulto, sem hierarquia ou um distanciamento de ficar supondo o que a criança precisa”, diz Brenda Campos.

Em nossa cultura ainda prevalece uma concepção de infância que coloca a criança como incapaz, o que leva a construção de muitos tabus, do que se pode ou não fazer e discutir nas produções destinadas a tal público. “Na tentativa de quebrar com as barreiras que ainda existem entre a prática e a produção crítica e acadêmica, além das apresentações que já se caracterizam como atividade de formação de público, nas palestras, nas oficinas, bate-papos e críticas que serão desenvolvidas em parceria com críticos e pesquisadores da área, pretendemos impulsionar o pensamento crítico sobre o Teatro para as Infâncias”, diz Keu Freire.

SERVIÇO

FeNAPI – Festival Nacional de Arte para as Infâncias de Belo Horizonte

Quando: 14 a 21 de abril (domingo a domingo)

Espetáculos – Oficinas – Palestras – Painel Crítico – Seminário – Quintal de vivências

Onde:

Cine Theatro Brasil (Teatro de Câmara) – Av. Amazonas, 315 – Centro

Palácio das Artes (Sala João Ceschiatti) – Av. Afonso Pena, 1537 – Centro.

Parque Municipal – Av. Afonso Pena, 1377 – Centro.

Praça da Liberdade: Praça da Liberdade, s/n – Funcionários.

Praça Duque de Caxias: Praça Duque de Caxias, 220 – Santa Tereza.

Sesc Palladium (Grande Teatro) – Av. Augusto de Lima, 420 – Centro.

Teatro Espanca! – R. Aarão Réis, 542 – Centro.

Teatro Nossa Senhora das Dores- Av. Francisco Sales, 77 – Floresta.

UFMG (Escola de Belas Artes e Teatro Universitário): Av. Pres. Antônio Carlos, 6627 – Pampulha.

Quanto: R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia-entrada)

Vendas: bilheterias e sites dos teatros

Mais informações: [email protected]

Inscrições para oficinas, seminários e palestras pelo formulário online disponível nas redes sociais do festival ou solicitado pelo email [email protected]

Mais informações para o público: facebook/fenapibr e @fenapi.bh

Continua lendo