Copasa retornou as obras para despoluição da Lagoa da Pampulha

Foto: PBH
Foto: PBH


Foi retornada pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), às obras para despoluir a Lagoa da Pampulha, segundo a Copasa.

De acordo com a Copasa, deste 2015, foi investidos R$ 430 milhões para despoluir a Lagoa da Pampulha, um dos principais cartões-postais de Belo Horizonte. Com a aplicados na construção da Estação de Tratamento de Efluentes – ETAF Pampulha, para retirar a poluição difusa das águas dos Córregos Sarandi e Ressaca e na Estação de Tratamento de Esgoto do Ribeirão do Onça.

A conclusão das intervenções, conforme divulgado na última terça-feira (26), a prevista para até 120 dias após seu início, representa o cumprimento do papel da Companhia no programa de despoluição do único candidato brasileiro ao título de patrimônio da humanidade concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

A Bacia da Lagoa da Pampulha tem uma área de 98,4 quilômetros quadrados e é formada por oito sub-bacias, localizadas nos municípios de Belo Horizonte e Contagem. Ela faz parte da Bacia do Ribeirão do Onça e integra a Bacia do Rio das Velhas.

Total
0
Shares

Relacionados
Total
0
Compartilhar