Resenha Musical: Legião Urbana: há 35 anos a banda estourava com o seu 1° álbum

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)
Índice Fechar
  1. Avaliação ||
Trabalho traz os hits, “Ainda é Cedo”, “Será”, “Geração Coca Cola” e “Por Enquanto”; álbum vendeu 1 milhão e 200 mil cópias, sendo classificado na 40ª posição na lista dos 100 maiores discos da música brasileira pela revista Rolling Stone Brasil

 

Coluna: ‘Resenha Musical’
Jornalista | Colunista | Editor: Por Dentro de Minas
– Felipe de Jesus
Siga: @felipe_jesusjornalista
*Especial de 35 anos do álbum “Legião Urbana (1985)”*

 

Falar do Pop Rock Brasil sem citar a “Legião Urbana”, é esquecer do legado que o grupo deixou na música brasileira. A banda que foi uma das pioneiras no estilo, conseguiu ao mesmo tempo agradar o público e a mídia com letras que retratavam os anseios da juventude e o seu primeiro álbum, “Legião Urbana (1985)”, é a maior prova disso!

Lançado há 35 anos, a obra é sempre lembrada pela explosão das músicas “Será” e claro, “Geração Coca-Cola”, que tocaram nas rádios sem parar e convenceram a gravadora EMI de que Renato Russo (vocais e letras) – Renato Rocha (baixo) – Marcelo Bonfá (bateria) e Dado Villa Lobos (guitarras) tinham muito mais a oferecer. Prova disso, foi que o álbum Legião Urbana (1985) vendeu 1 milhão e 200 mil cópias, sendo classificado na 40ª posição na lista dos 100 maiores discos da música brasileira pela Rolling Stone Brasil.

 

Da esquerda para a direita: Dado Villa Lobos (guitarras), Renato Rocha (baixo), Renato Russo (vocais e letras) e Marcelo Bonfá (bateria). Estreia marcante na música brasileira.

 

Abrindo o álbum com maestria, a música “Será” chega com uma letra inconformista e de esperança que agradou o público imediatamente. Em seguida “A Dança”, traz um Punk/Rock de batida marcada e uma letra que mostra a ideia que os jovens tinham deles mesmos. “Petróleo do Futuro”, vem com arranjo semelhante e com a mesma ideia de “A Dança”. Já em “Ainda É Cedo”, eles chegam com traços dos ingleses do The Smiths e uma letra marcada pelos envolvimentos afetivos.

 

Estouro: álbum vendeu 1 milhão e 200 mil cópias, sendo classificado na 40ª posição na lista dos 100 maiores discos da música brasileira pela revista Rolling Stone Brasil.

 

“Perdidos no Espaço” retorna ao tema do descompasso amoroso. Em “Geração Coca Cola” temos o Punk/Rock do Ramones e Sex Pistols com uma crítica a América durante os 20 anos de ditadura. Dando sequência eles trazem em “Baadder-Menhoif Blues”, uma visão contra a violência policial e a injustiça. Já em “O Reggae”, temas atuais e uma letra bem solta agradam. Na faixa “Soldados” o grupo faz uma analise perfeita nesses momentos de “Trump contra o resto do mundo”. Em “Teorema”, temos um convite à liberdade e para fechar, “Por Enquanto” atesta que Renato Russo é um dos maiores poetas do país.

 

Avaliação ||

 

Dou quatro estrelas (média), pois por se tratar do 1° trabalho, ainda existem problemas na sonoridade, mas que foram compensadas pelas ótimas letras. Dele indico as faixas: “Ainda é Cedo”, “Será”, “Geração Coca Cola” e “Por Enquanto”, que é linda! Um trabalho que vale a pena ser escutado e adquirido! Se você ainda não ouviu o álbum, escute! Disponível no formato físico e nas plataformas digitais.

 

 

Fotos: Legião Urbana
Até a próxima Crítica Musical.
A coluna é publicada neste espaço toda semana.

 

Se você ainda não ouviu o primeiro
álbum “Legião Urbana (1985)”, confira! 

Total
1
Comp.
Reportagem Anterior

Como o seu inconsciente afeta sua vida financeira?

Próxima Reportagem

Terreno cede, derruba muro e casa fica ameaçada no bairro Prado, Região Oeste de BH

Postagens Relacionadas