ELEIÇÕES 2020Veja os 15 nomes dos candidatos a Prefeito em Belo Horizonte saiba mais
Moda & Estilo

A volta dos absorventes de pano: entenda o porquê

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

Por muito tempo, o simples ato de falar sobre menstruação era algo que causava pânico tanto em homens quanto em mulheres. Porém, isso tem mudado cada vez mais, principalmente graças aos movimentos feministas que possibilitaram uma maior aceitação e valorização do corpo feminino e de suas especificidades.

Muitas foram as dificuldades enfrentadas pelas mulheres para lidar com o período menstrual, por exemplo. No passado, para reter o sangue, as mulheres chegaram a usar diferentes itens, como retalhos de pano e algodão cru. Porém, até o próprio absorvente descartável, tido, anteriormente, como produto revolucionário, atualmente, vem sendo revisto por conta do surgimento de uma opção saudável, segura e ecológica para o período menstrual.

É o caso dos absorventes de pano, uma peça essencial para a mulher moderna que deseja se sentir segura, independentemente de estar menstruada ou não, e que ainda se preocupa com a natureza.

Por que o tabu?

Na história da humanidade, a menstruação já foi tratada como algo divino e demoníaco. Na Grécia, por volta de 6.000 a.C, por exemplo, o sangue menstrual era oferecido à natureza, num ritual chamado Tesmofórias, para fertilizar a terra. Seria uma troca entre duas procriadoras, a Mãe Terra e a mulher.

Já em 200 a.C., ainda na Grécia Antiga, a mulher menstruada passa a ser tratada como possuída por maus espíritos. Na Idade Média, esse tabu volta com bastante força, principalmente por considerar a questão bíblica de que a mulher seria biologicamente impura por ter comido do fruto proibido no Jardim do Éden.

Para lidar com a menstruação, cada cultura tinha suas próprias técnicas. No Egito, os papiros eram a solução para conter o fluxo menstrual, enquanto na Roma Antiga eram usados chumaços de algodão. Até 1918, muitas mulheres usaram ainda toalhinhas higiênicas e até bandagens de algodão.

O primeiro absorvente só foi inventado em 1930, nos Estados Unidos. Apesar disso, é só na década de 1960 que os absorventes descartáveis, como conhecemos hoje, começam a ser vistos de maneira mais natural, principalmente graças ao feminismo.

A partir de então, foram criados diferentes modelos, para maior e menor fluxo, com opção seca ou suave, de tamanhos variados, interno ou externo, etc. 

Uma novidade que mescla o antigo com o novo é o chamado absorvente de pano. Essa peça íntima utiliza de algumas camadas de tecido para reter a menstruação, oferecendo, assim, segurança e conforto para a mulher menstruada.

Como funciona o absorvente de pano?

Os absorventes de pano têm a função de reter o sangue durante o período menstrual e manter a pele seca. Isso acontece graças às suas diferentes camadas de tecidos, sendo que há sempre uma camada impermeável que não permite que o sangue atravesse.

A calcinha absorvente, por exemplo, é uma calcinha com um tipo de forro que consegue absorver o fluxo sem deixar aquela sensação de molhado. Existem diferentes modelos, de acordo, inclusive, com a intensidade do fluxo de cada mulher.

Higiene da peça

Assim como qualquer roupa íntima, os absorventes de pano podem ser lavados na máquina, desde que no modo “roupas delicadas”, evitando, assim, um maior desgaste do tecido na hora da lavagem. Mas é possível também lavá-los na pia ou no chuveiro, na hora do banho. 

Dessa forma, sua peça vai ficar limpa mais rapidamente, e você vai gastar muito menos água e sabão. Lembrando que essas peças jamais podem ser lavadas com alvejantes e amaciantes que podem danificar o tecido.

Produto altamente sustentável

Por não serem descartáveis, os absorventes de pano têm um impacto muito menor no meio ambiente. Enquanto os absorventes descartáveis devem ser jogados no lixo depois de algumas horas de uso, os de pano, se usados corretamente, têm uma duração de até dois anos.

Para se ter uma ideia, usar absorventes de pano durante um ano é o equivalente a 500 absorventes descartáveis, que correspondem a R$ 400,00 e 4 kg de lixo. Em média, uma mulher tem 450 ciclos menstruais ao longo da vida, então, faça as contas: 12 mil absorventes = 180 kg de lixo, que levam cerca 500 anos para se decompor.

Autoconhecimento e respeito ao seu corpo

Além do benefício ecológico, o uso dos absorventes de pano está muito ligado a um movimento de autoconhecimento do corpo. Isso porque a adoção desse método possibilita uma maior proximidade da mulher com seu próprio fluxo. Ao mesmo tempo, essas peças colaboram com a desmistificação da menstruação como algo nojento e sujo.

No fim das contas, é uma peça super interessante para quem deseja conhecer melhor seu próprio corpo e ajudar a preservar o meio ambiente. Ou seja, inovação e sustentabilidade em um único produto.

7892 Publicações

Sobre
A Por Dentro de Minas é um portal que traz as principais notícias do Estado de Minas Gerais.
Artigos
Relacionados
Moda & Estilo

Giulia Marchetti ressalta importância da maquiagem durante o isolamento social para a auto-estima

Durante a quarentena muitas pessoas passaram a trabalhar em regime de teletrabalho, o chamado Home office, afim de cumprir o isolamento social…
Moda & EstiloNotícias

Moda a distancia

Diante do novo coronavírus, Minas Fashion Week será 100% online Pela primeira vez, o Minas Fashion Week será realizado inteiramente online, como…
Moda & Estilo

Tendências de moda praia 2020 – Coleção Mykonos Bravaa Store

O verão está aí e quem não ama passar uma temporada praia ou curtindo uma piscininha? Já está se aproximando mais um…

Deixe uma resposta