fbpx
Redes Sociais

Casa e Decoração

Como financiar uma casa a dois?

Saiba mais sobre composição de renda familiar para financiamento do seu futuro lar

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

O sonho de muitos casais é ter o seu próprio lar. Seja para conseguir um apartamento ou uma casa, o chamado financiamento em casal é uma das soluções para quem quer começar a vida a dois em seu próprio espaço.

Esse tipo de financiamento é possível graças à comprovação da chamada composição de renda familiar. Trata-se do conjunto das rendas dos dois parceiros. Esse valor servirá para mostrar ao banco que vocês têm dinheiro o suficiente para conseguir arcar com as parcelas do financiamento.

No entanto, esse tipo de investimento requer uma certa cautela, principalmente em casos em que não existe nenhum documento que comprove o relacionamento de vocês.

Qual é a renda do casal?

A primeira coisa a ser analisada quando se pretende financiar um imóvel a dois é a renda do casal. Isso porque para que o banco libere o crédito para o financiamento, é preciso comprovar que vocês têm dinheiro o suficiente para arcar com o imóvel.

Fazer as contas direitinho é essencial, porque as despesas com a compra do imóvel não devem ultrapassar 35% dos rendimentos conjuntos. Ter clareza a respeito disso dá uma dimensão do quanto vocês poderão gastar e o tempo necessário para conseguir quitar a dívida.

Composição de renda familiar

Como já foi dito, a composição de renda familiar é uma forma de mostrar ao banco que vocês possuem renda suficiente para conseguir arcar com a compra de um imóvel.

A composição de renda familiar, no entanto, não precisa se restringir aos cônjuges. Em determinados casos, o casal pode acrescentar a renda de pais, irmãos, filhos,  sogros, tios, primos, enteados, padrastos, madrastas e até mesmo amigos. Isso na hipótese de não terem crédito o suficiente para o financiamento.

Agora, é preciso ter clareza de que essa pessoa, independentemente do tipo de relação que ela tem com vocês, também terá direito sobre o imóvel. Nesses casos, é fundamental estabelecer as regras dessa aquisição, caso a ideia seja de ressarcir a pessoa para manter a casa em nome do casal.

Casamento e união estável

O financiamento em conjunto é a melhor forma de conseguir um imóvel para dois, principalmente quando já existe um regime de relacionamento estabelecido entre ambos. O casamento é a principal forma de comprovação de que existe um relacionamento conjugal estável, mas não é o único.

O chamado regime de união estável é um exemplo. Esse tipo de relacionamento diz respeito aos casais que moram juntos há algum tempo, mas que não necessariamente têm o enlace formalizado em cartório.

Porém, ter essa união oficializada, seja através do casamento, seja através do pedido de união estável escriturada em cartório, é fundamental para estabelecer as regras em caso de separação. Na verdade, é uma forma de resguardar os dois parceiros de futuros problemas, caso o relacionamento acabe.

Como funciona o financiamento?

O financiamento é uma troca que se faz com um banco quando vocês não têm o dinheiro total ou parcial para comprar algo, como um imóvel. Funciona da seguinte forma: o banco paga ao vendedor do imóvel a quantia a ser financiada, enquanto o comprador deve pagar o banco que quitou a dívida da compra do imóvel.

Cada banco oferece suas próprias condições de financiamento e, por isso, vale a pena analisar qual é a mais vantajosa para vocês. Isso porque existem diferenças entre duração dos contratos, taxas de juros e quanto do valor do imóvel pode ser financiado. Por isso, avalie bem qual proposta vale mais a pena.

Escolhido o banco, será necessário apresentar uma série de documentos (originais e cópias), como RG, CPF e comprovantes de estado civil e de renda. É feita, também, uma análise cadastral para verificar se existe algum tipo de inadimplência nos nomes cadastrados.

Faça simulação de financiamento

Depois de resolvidos os acertos com documentação e renda, é preciso fazer uma simulação de financiamento. Esse passo é indispensável, já que vai apresentar a vocês uma estimativa de quanto de dinheiro é preciso ter tanto agora quanto nos meses posteriores do financiamento.

Busque imóveis com financiamento facilitado

Uma outra dica é buscar casas e apartamentos que tenham condições de financiamento facilitado. Dessa forma, vocês não vão comprometer tanto a renda do casal com a aquisição do imóvel.

Casa e Decoração

No atual cenário imobiliário, vale a pena comprar um apartamento para alugar?

Que a economia do Brasil está passando por uma instabilidade, isso não é novidade para ninguém. Mas isso não impede o brasileiro de correr atrás de soluções para assegurar uma quantia fixa por mês. Uma delas é comprar um apartamento para alugar.

Mas, nesse atual cenário imobiliário, fica uma dúvida: vale a pena investir em imóvel? Apesar de a pergunta ser curta, sua resposta é bastante complexa. Afinal, é preciso estar atento às mudanças econômicas e às oportunidades de compra e locação de imóveis.

Quer saber um pouco mais sobre assunto? Então, confira!

Como está o atual cenário imobiliário brasileiro?

Apesar da atual economia brasileira não andar nos melhores dias, acredite, vale a pena apostar na compra de um imóvel agora.

Nós explicaremos. De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança em janeiro deste ano, o preço nominal médio dos imóveis residenciais em dez capitais brasileiras subiu 0,64% desde 2018 para cá.

Para contextualizar, um preço nominal, ou valor nominal, não considera a evolução dos preços da inflação, será, portanto, o valor monetário nominal deflacionado. Esse preço leva em consideração o valor nominal de algo depois de ajustado em relação à inflação.

Veja um comparativo dos últimos anos:

  • 2017 (-0,60%);
  • 2016 (-2,26%),
  • 2015 (-0,20%).

Já quando falamos em capitais do Brasil, as que mais tiveram alta foram: Belo Horizonte, com 0,27% de aumento, Brasília, com 0,29% e Porto Alegre, 0,40%. 

Agora, vamos falar de algo que também assusta muito o nosso país: o aumento do dólar. Em dezembro de 2019, o valor de troca da moeda americana bateu um recorde negativo, chegando aos R$ 4,20. Mas como isso pode impactar o mercado imobiliário?

Essa economia desestabilizada faz com que os valores dos imóveis estejam em baixa, pois são poucos os que conseguem ou querem investir em imóvel atualmente. A vantagem de quem apostar nesse empreendimento é que futuramente, olhando de forma otimista, os valores voltarão ao normal e os imóveis estarão valorizados.

Mas, vale a pena alugar um imóvel?

Bom, no cenário que estamos apresentando, você ainda não possui um imóvel, correto? Por isso, é preciso tomar alguns cuidados na hora de adquirir um. Separamos abaixo algumas dicas que devem ser levadas em consideração:

  • escolha bem o tipo de imóvel que quer comprar e alugar;
  • respeite o seu limite bancário;
  • tenha certeza que terá renda para pagar todas as parcelas;
  • evite confrontos na negociação,
  • formalize todas as decisões e negociações.

Agora, chegamos à pergunta de ouro deste texto: vale a pena alugar um imóvel? A resposta é sim! Vale a pena! 

Um imóvel será um bem permanente seu, ou seja, você só o perderá quando vier a óbito. Antes disso, o valor depositado durante a quitação da edificação será quitado com os aluguéis recebidos.

Por exemplo, você financiou o seu imóvel em dez anos. Durante todo esse tempo, pagará um valor fixo mensal para quitar essa dívida.

No entanto, o tempo de aluguel passará esse tempo, em um cenário positivo. Vamos supor que nesse mesmo tempo você conseguiu alugar seu imóvel por 50 anos. São 40 anos de lucro de renda.

Como citado antes, o imóvel é um bem permanente, e assim será a sua renda. Contanto que você faça boas negociações e consiga bons locadores, será um dinheiro fixo mensal para ajudar nas suas despesas.

Mas, para que toda essa empreitada seja bem sucedida, não ultrapasse os seus limites financeiros. Saiba o quanto pode gastar e até onde pode chegar. Realize um bom estudo econômico do seu dinheiro e coloque o plano em prática quando tiver plena certeza.

Continuar lendo

Casa e Decoração

Dicas para a decoração de uma cozinha americana perfeita

• atualizado em 25/04/2020 às 12:22

As cozinhas americanas são charmosas e eficientes. Elas têm se tornado o sonho de consumo dos brasileiros e uma tendência em projetos arquitetônicos e de design de interiores.

Este estilo também é conhecido como cozinha integrada, cozinha compartilhada ou cozinha gourmet. Mas o conceito é o mesmo: espaço aberto que integra os ambientes, desta forma, conectando a cozinha com a sala de estar ou de jantar. Quando não há muito espaço, a cozinha americana pode ter um balcão no lugar da ilha. Ele serve para auxiliar no preparo das refeições ou para servir lanches rápidos.

Confira nossas dicas para a decoração de uma cozinha americana perfeita e planeje sua reforma.

Melhores dicas para a decoração de uma cozinha americana perfeita

Com ideias criativas você pode reformar sua cozinha para tornar seu sonho realidade. Mas para ter uma cozinha americana é necessário tomar alguns cuidados, principalmente se envolver reformas. Seguem algumas dicas para a decoração de uma cozinha americana pequena perfeita:

  • Planta do imóvel

Se o imóvel não tiver espaço para o balcão ou para a ilha, pode ser necessário derrubar paredes. Contrate um engenheiro para avaliar se há encanamento, fiação ou pilares de sustentação dentro da parede, antes de derrubar qualquer coisa.

  • Medidas

O balcão ou a ilha tem medidas padrão, mas você pode escolher o modelo e o tamanho conforme a sua necessidade. Lembre-se de comprar banquetas com altura regulável para não correr o risco de não dar certo.

  • Seja criativo

O maior destaque de uma cozinha americana é o balcão ou a ilha, eles podem ser feitos de diversos materiais, desde alvenaria até madeira. O mais comum é que sejam de alvenaria com tampão de granito.

  • Decoração integrada

Por ser um espaço aberto e integrado, se torna necessário combinar a decoração da cozinha e da sala de estar. É necessário seguir o mesmo estilo nos ambientes para criar harmonia. Bonitas luminárias podem dar um charme extra na decoração.

  • Mantenha a organização

No conceito aberto da cozinha americana tudo fica à mostra. Então as coisas devem ficar no lugar certo para causar uma boa impressão.

  • Utilize bem os espaços

Como a cozinha americana tem menos paredes, consequentemente, tem menos espaço para armários. Utilize o espaço abaixo do balcão ou da ilha como um espaço extra de armazenamento.

  • Cuidado com cheiro

Novamente por causa da falta das paredes, o cheiro da preparação da comida pode se espalhar pela casa. Por causa disso é necessária uma boa ventilação no ambiente. Um exaustor ou coifa são necessários para sugar a fumaça.

Vantagens de ter uma cozinha americana

A cozinha americana deve ser bem planejada para aproveitar bem todo o espaço e não prejudicar a circulação dos ambientes. Seguindo as dicas para a decoração de uma cozinha americana perfeita, você vai alcançar as vantagens abaixo:

  • Amplitude: o projeto de uma cozinha americana oferece uma sensação de amplitude. Os ambientes que poderiam ser pequenos isoladamente, acabam se tornam maiores sem paredes para dividi-los;
  • Integração: a cozinha americana evita o isolamento de quem está na cozinha preparando as refeições e, desta forma, integra os moradores da casa;
  • Praticidade: os cômodos mais utilizados de uma residência costumam ser a cozinha e a sala de estar. Quando integramos estes cômodos, ganhamos praticidade nas tarefas rotineiras;
  • Luminosidade: sem a parede separando os ambientes, a luz natural entra e flui com maior facilidade. Com maior luminosidade natural, o morador também ganha em economia com custos de energia elétrica.

Algumas desvantagens de uma cozinha americana

Ter uma cozinha americana pode trazer algumas desvantagens, mas seguindo as dicas para a decoração de uma cozinha americana perfeita, você não vai ter estes problemas. Veja algumas desvantagens:

  • Espaço para armários: com menos paredes, menos espaço para armários. O projeto deve ser feito aproveitando todos os espaços disponíveis;
  • Bagunça aparente: como não tem parede, a bagunça da cozinha ficará visível aos convidados. Será necessário comprometimento da família para manter a organização e a limpeza;
  • Odores: o cheiro de cozimento pode se espalhar pela casa. Para minimizar o problema, aposte em boas coifas ou exaustores.

Dicas para a decoração de uma cozinha americana perfeita

Neste artigo pudemos perceber como uma cozinha americana melhora a qualidade de vida dos moradores e valoriza o imóvel. 

Se você gostou de nossas dicas para a decoração de uma cozinha americana perfeita, então compartilhe este artigo! Não se esqueça de registrar suas dúvidas, sugestões e comentários, aqui!

Continuar lendo

Casa e Decoração

Como tirar mofo de parede antes de pintar

Além de ser bastante prejudicial à saúde, o mofo pode dar muita dor de cabeça na hora da pintura. E não para por aí! Produtos e mais produtos são utilizados na tentativa de retirá-lo, mas nem sempre solucionam o problema. Além disso, ele pode retornar eventualmente.

Vale ressaltar que nem sempre manter a casa limpa é o suficiente. Tanto o mofo quanto o bolor fazem estrago quando há espaços escuros e com muita umidade.

Descubra como tirar o mofo de parede antes de pintar! Veja como dar o pontapé inicial na reforma da sua casa. Antes, entenderemos melhor como esses micro-organismos se estabelecem dentro do ambiente.

O que é mofo?

Chamamos de mofo os fungos filamentosos que se desenvolvem através de esporos, são aquelas manchas pretas ou amarronzadas na parede. Quando o mofo se espalha, pode-se dizer que há uma proliferação de fungos no ambiente. Geralmente, isso ocorre em áreas úmidas e quentes que ficam muito tempo fechadas. As infiltrações também colaboram para a estadia do mofo.

Sua disseminação se torna um grande pesadelo para quem quer renovar o espaço. Esse mofo rende escamas à parede e isso dificulta a puxar a tinta. Sem contar no aspecto visual, aparentando diferenças nos locais com mofo e onde não há. 

Mofo x bolor

O bolor se trata de outro tipo de fungo que se revela através de manchas e, de igual modo, necessita cuidados para retirada. Ele também faz a festa em ambientes nada arejados. 

Esteja atento para os motivos que levaram mofo ou bolor até sua parede. Além de intervir, é preciso uma mudança de atitude diária e realizar boa manutenção no lugar. Mantenha as janelas mais abertas para não haver novos episódios. 

Locais mais propensos ao aparecimento do mofo

  • Drywall;
  • Papel de parede;
  • Em cima de pias;
  • Banheiros;
  • Paredes com encanamento;
  • Teto.

Como tirar mofo de parede

Chegou a hora da pintura e o material está pronto, mas antes de começar, analise como está sua parede. Identifique os pontos onde o mofo é bem visível. Por mais que seja ruim em relação ao odor, é interessante cheirar outros pontos da parede. Já que nem todo lugar onde o mofo está pode aparecer.

Se você já mapeou a parede, é hora de começar a tratá-la e tirar o mofo para pintar. Abra bem a casa para o ar ventilar bem. Vamos lá!

  1. Lave a parede com água sanitária

Com uma esponja macia e umedecida em água sanitária, faça movimentos circulares. Depois, passe pano seco e deixe o produto agir por 1 hora. Após esse período, vem o momento do enxágue. Capriche na lavagem para tirar o produto e a sujeira que ele já removeu.

  1. Lixe a parede

Providencie lixas para deixar toda a parede no mesmo nível. Isso irá retirar qualquer resquício de mofo e nivelará a parede por completo. Lixar a parede certamente levantará muito pó no espaço. Sugerimos que realize este tipo de trabalho durante a manhã e com ar circulando pelo cômodo.

  1. Limpar outra vez

Por toda extensão da parede onde passou a lixa, passe um pano umedecido para limpar outra vez. Espere até que tudo fique seco novamente. 

  1. Use massa corrida se houver buracos na parede

Para tampar qualquer tipo de buraco que tenha danificado as paredes, use massa corrida para consertar. Se este procedimento for necessário, não se esqueça de lixar onde foi feita a aplicação.

  1. Aplique o selador

O selador é o item que vai evitar o retorno do mofo. Se você já realizou as etapas citadas, não se esqueça, aplique o selador. Ele funciona como impermeabilizante, vetando novas ações de infiltrações que podem resultar em mofo.

  1. Pronto! Pinte a parede

É ótimo quando podemos decorar o ambiente da maneira que pensamos. Depois de tanto trabalho para eliminar o mofo, pinte a parede do jeitinho que preferir. É claro que uma tinta de má qualidade pode deixar dúvidas quanto à parede. Questionamentos que podem confundir quanto ao processo que fizemos. Então, a sugestão é escolher a marca que apresenta as melhores características, além de ótima qualidade (afinal, seu espaço merece), e pinte sem medo de dar errado. Se a parede foi tratada corretamente, a pintura tem tudo pra dar certo.

Continuar lendo