Redes Sociais

Carnaval

Está dada a largada para o Carnaval de Belo Horizonte 2018

Com 550 desfiles de blocos de rua e expectativa de 3,6 milhões de foliões, a capital mineira se torna um dos destinos turísticos mais atrativos do Brasil durante o período momesco.

Belo Horizonte se prepara para receber o melhor Carnaval dos últimos anos, com a estimativa da participação de 3,6 milhões de foliões, 550 cortejos de blocos de rua e muitas melhorias na estrutura. As novidades do Carnaval de 2018, que está sendo projetado para superar as expectativas, foram apresentadas, na manhã desta terça-feira, 23/01, em entrevista coletiva na sede da Prefeitura com a presença do prefeito Alexandre Kalil.

Kalil disse estar muito satisfeito e orgulhoso com a organização do evento e ressaltou a evolução do Carnaval nos últimos anos. “Carnaval é alegria! Quando assumi um ano atrás, eu disse a todos que essa cidade não seria mais triste, que não seria uma cidade que não acontece nada e é isso que estamos tentando fazer. Está de parabéns a cidade de Belo Horizonte, a nossa equipe, os hotéis, os bares e os ambulantes que vão fomentar essa economia que está tão combalida”, considerou.

De acordo com o presidente da Belotur, Aluizer Malab, a estrutura do Carnaval será melhor em todos os aspectos. A quantidade de banheiros químicos aumentou, haverá mais ambulantes nas ruas, nove palcos espalhados pela cidade, mais apoio e melhores condições para os desfiles de Escolas de Samba e Blocos Caricatos. O Carnaval 2018 está apresentando também uma evolução substancial da política de patrocínio e a expectativa é que o número de foliões seja 20% superior ao do 2017, sendo cerca de 180 mil turistas.
Para Aluizer Malab, a cidade vive um momento histórico. “Estamos vivendo uma enorme mudança no paradigma da cidade. Belo Horizonte, hoje, se vê cosmopolita, turística, de grandes fluxos, eventos e pessoas, tudo isso aliado à nossa cultura genuína, que proporciona experiências únicas. A capital mineira se acendeu para o Brasil e para o mundo e o Carnaval é o marco desse novo capítulo de nossa história”, definiu.

Pronta para a folia
A capital mineira está pronta para a folia. O período oficial do Carnaval de Belo Horizonte é de 27 de janeiro a 18 de fevereiro, com eventos no pré-Carnaval e também depois da Quarta-Feira de Cinzas, levando estrutura, logística e produção até o domingo seguinte.
Este ano são 480 blocos de rua cadastrados pela Belotur, que farão cerca de 550 cortejos, número superior ao de 2017, quando 416 desfiles alegraram a cidade. Nove palcos oficiais vão compor a programação do Carnaval de Belo Horizonte, na região Central, Savassi, Barreiro, Venda Nova, Norte e Leste da cidade.
Os desfiles de Blocos Caricatos vão acontecer na avenida Afonso Pena no dia 12/1, segunda-feira, a partir das 18h. Já as Escolas de Samba desfilam na terça, 13 de fevereiro, também a partir das 18h. Uma das novidades para 2018 é o aumento no valor da subvenção destinada aos grupos. As Escolas de Samba do Grupo A recebem R$ 75 mil; as do Grupo B, R$ 37,5 mil; e os Blocos Caricatos, também R$ 37,5 mil. Os valores representam um aumento de 50% em relação ao investimento realizado em 2017.
A estrutura na avenida Afonso Pena também receberá vários incrementos, como a pintura da rua na cor branca, que valoriza as fantasias e adereços, a instalação de um cronômetro visível na avenida, melhorias na estrutura de som e na iluminação do espaço, arquibancadas com mais conforto.

Cerca de 9,6 mil ambulantes foram credenciados para trabalhar durante o período oficial do Carnaval de Belo Horizonte e a movimentação financeira no período momesco deverá alcançar cerca de R$ 637 milhões, cifra 20% superior àquela registrada no ano passado. Em 2017 a receita proveniente dos gastos dos moradores da capital e turistas chegou a R$ 531 milhões. Essa movimentação financeira considera o impacto direto e indireto de foliões na cidade.

Saúde
Na área da saúde, haverá reforço na frota de ambulâncias do SAMU para o período de Carnaval. Serão mais três ambulâncias, sendo uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e duas Unidades de Suporte Básico (USB), em um total de 31 ambulâncias.

Além disso, as nove Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) estarão funcionando todos os dias, 24 horas por dia, no período de 9 a 14 de fevereiro. Serão instalados dois Postos Médicos Avançados (PMA’s) para atendimento da população, com apoio e parceria dos Bombeiros, na Praça da Estação, no Centro de Referência da Juventude (CRJ), rua Guaicurus, 50 Centro, e na rua Paraíba em frente ao número 340, no bairro Funcionários, nas imediações da Praça Tiradentes.

O transporte coletivo também terá planejamento especial a partir de sábado, dia 09, para atender usuários e foliões de acordo com os eventos previstos e a limpeza urbana será garantida com o plantão de 800 garis todos os dias do período oficial do Carnaval, atuando antes da passagem dos blocos, durante os desfiles e após a dispersão dos foliões. Esse número também aumentou em relação a 2017, quando 600 garis ficaram de plantão.

Além do prefeito Alexandre Kalil e do presidente da Belotur, participaram também da coletiva o secretário municipal de segurança e prevenção, Genilson Ribeiro Zeferino, o secretário de planejamento, André Reis, o presidente da BHTrans, Célio Bouzada, a secretária municipal adjunta de saúde, Taciana Malheiros Lima Carvalho, e o comandante da Guarda Municipal, Rodrigo Prates.

A festa momesca em Belo Horizonte tem o patrocínio da Skol, parceira há cinco anos na folia da capital, e da Uber, nova incentivadora do Carnaval. O Carnaval de Belo Horizonte também conta com a parceria da Rede de Hotéis Vert, Jornal O Tempo, BH Airport e da Locadora de Equipamentos Lafaete.

Carnaval Belo Horizonte 2018 terá estrutura reforçada, mais desfiles nas ruas e folia em toda a cidade
Em 2018, a programação do Carnaval de Belo Horizonte terá nove palcos oficiais em toda a cidade. São três palcos fixos, na Praça da Estação, na rua Guaicurus e na avenida Brasil, programação infantil com o Carnavalzinho na Savassi (13/2, de 10h às 16h) e no Parque Municipal (11/1, das 9h às 15h).

A programação de shows também chega ao Barreiro (avenida Deputado Álvaro Antônio, entre a avenida Dois e a avenida Olinto Meireles, bairro Milionários), no dia 10/02 de 16h às 23h; à Venda Nova (avenida Vilarinho com rua Edgar Torres, bairro Minas Caixa), dia 11/02, de 16h às 23h; na regional Norte (Via 240, próximo à rotatória da Saramenha), no dia 10/02, de 16h às 23h; e na Leste (avenida Belém entre avenida dos Andradas e rua Tulipa, bairro Esplanada), no dia 13/02, de 16h às 23h.

Os desfiles de Blocos Caricatos acontecem na avenida Afonso Pena no dia 12/1, segunda-feira, a partir das 18h. Já as Escolas de Samba desfilam na terça, 13 de fevereiro, também a partir das 18h. Uma das novidades para 2018 é o aumento no valor da subvenção destinada aos grupos. As Escolas de Samba do Grupo A recebem R$ 75 mil; as do Grupo B, R$ 37,5 mil; e os Blocos Caricatos, também R$ 37,5 mil. Os valores representam um aumento de 50% em relação ao investimento realizado em 2017.

A estrutura na avenida Afonso Pena também receberá vários incrementos, como a pintura da rua na cor branca, que valoriza as fantasias e adereços, a instalação de um cronômetro visível na avenida, melhorias na estrutura de som e na iluminação do espaço, arquibancadas com mais conforto.

O regulamento de 2018 inova ainda ao prever, desde já, a vigência a partir de 2019 de uma dinâmica de acesso e rebaixamento das Escolas entre Grupo A e Grupo B, estimulando uma competição saudável que resulte na qualificação dos desfiles a cada ano.

Outro aspecto importante, também previsto no regulamento, é a abertura de espaço para o surgimento de novas Escolas de Samba e Blocos Caricatos, um ingrediente com potencial para trazer inovação e renovação para o Carnaval.

Corte Momesca
Beleza, simpatia e, claro, muito samba no pé. É o que a Corte Momesca, eleita para o Carnaval de Belo Horizonte de 2018, irradia por onde passa. Representando em grande estilo a capital em seus 120 anos, o trio formado pela rainha Maria Luiza Siqueira Carvalho, o rei momo Antônio de Pádua Machado e a princesa Andréia de Oliveira Marques têm como missão agregar ainda mais brilho nesta folia surpreendente e grandiosa que se tornou a de Belo Horizonte.

Além de diversos eventos da festa momesca, o trio também tem uma agenda social a cumprir e realiza visitas a entidades, asilos e escolas. A corte participa dos blocos de rua, dos desfiles das escolas de samba e blocos caricatos e nos palcos oficiais do Carnaval de Belo Horizonte e de bailes da terceira idade.

Reforços na área da Saúde
Haverá reforço na frota de ambulâncias do SAMU. Serão mais três ambulâncias, sendo uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e duas Unidades de Suporte Básico (USB). Essas ambulâncias se somam às 28 ambulâncias do SAMU que atuam na capital, sendo 21 USB e 6 USAs, além do helicóptero do Batalhão de Operações Aéreas (BOA) do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, que conta com a presença de um médico do SAMU.

O SAMU de Belo Horizonte também é responsável pela regulação das ambulâncias (todas USB) de Ribeirão das Neves (2 ambulâncias), Caeté (uma ambulância) e Nova Lima (uma ambulância). As três ambulâncias estarão em locais próximos a blocos identificados pela Belotur com previsão de maior público. Além disso, as 9 Unidades de Pronto-Atendimento estarão funcionando todos os dias, 24 horas por dia.

Período 9 a 14 de fevereiro
A SMSA irá instalar dois Postos Médicos Avançados (PMA’s) para atendimento da população, com apoio e parceria dos Bombeiros, nos seguintes locais:
• Praça da Estação: Centro de Referência da Juventude (CRJ) – Rua Guaicurus, 50 Centro
• Praça Tiradentes – Rua Paraíba em frente ao número 340 – Funcionários

PMA Praça da Estação – estrutura com 4 leitos na sala vermelha (para pacientes mais graves) e 14 leitos sala amarela (pacientes menos graves). Profissionais por plantão:

5 médicos
3 enfermeiros
9 técnicos de enfermagem
1 auxiliar limpeza
1 segurança
1 administrativo
1 assistente social (apenas plantão diurno)

PMA Praça Tiradentes – estrutura com 2 leitos na sala vermelha (para pacientes mais graves) e 10 leitos na sala amarela (pacientes menos graves). Profissionais por plantão:

3 médicos
2 enfermeiros
6 técnicos de enfermagem
1 auxiliar limpeza
1 segurança
1 administrativo

Outras ações de saúde – Carnaval 2018
• Funcionamento dos centros de saúde na 2ª feira de carnaval, 12/01/2018
• Intensificação da testagem rápida para HIV/ Sífilis e hepatites Virais nos centros de saúde, SAE (CTR Orestes Diniz/Santa Efigênia) e CTAs (Carijós e Sagrada Família) durante as duas semanas após carnaval
• Ação de prevenção na Banda Mole
• Disponibilização de preservativos para as empresas e ONGs
• Participação no desfile das escolas de samba e blocos caricatos para ações de prevenção com os redutores de danos do programa “Bh de mãos dadas contra aids”
• Ação de prevenção junto aos shoppings populares da região central de BH
• Divulgação do aplicativo “BH sem mosquito”
• Divulgação vacinação contra a Febre Amarela

Ambulantes
Cerca de 9,6 mil ambulantes foram credenciados para trabalhar durante o período oficial do Carnaval de Belo Horizonte. Eles estão recebendo suas credenciais até a quarta-feira (24/1) no Largo da Saideira, das 9h às 18h. Os ambulantes poderão comercializar bebidas, alcoólicas ou não, e adereços carnavalescos nos ensaios de blocos de rua, durante o pré-carnaval, e nas concentrações e desfiles entre os dias 27 de janeiro a 18 de fevereiro. Deverão encerrar o trabalho no momento de dispersão. Está proibida a venda de bebidas em recipientes de vidro, assim como bebidas fracionadas (em doses). Em hipótese alguma poderão vender bebidas alcoólicas para menores de 18 anos.

Além de usar a credencial em lugar visível, os vendedores deverão ainda portar documentos de identificação com foto (carteiras de identidade, de motorista, de trabalho ou passaporte). Importante ainda destacar que as credenciais devem ser colocadas em locais visíveis. Quem não usar pode perder o direito à comercialização. A autorização para atividade comercial eventual é pessoal e intransferível.

Usando o bom senso, os ambulantes devem ainda ficar atentos para não obstruir ou dificultar a passagem de foliões ou dos próprios blocos de rua. Ou seja, devem contribuir com a evolução dos desfiles pelas ruas de Belo Horizonte.

Trânsito e transporte coletivo
A BHTrans preparou um esquema delimitando as áreas onde os blocos estarão concentrados, criando assim uma estrutura de interdições e desvios que vão facilitar e minimizar o impacto para aqueles que precisam transitar dentro da Área Central durante o Carnaval de Belo Horizonte.

A recomendação é que os motoristas deem preferência por transitar pela avenida do Contorno que estará liberada para o trânsito e transporte o que vai facilitar o acesso a qualquer destino dentro da Área Central. Quem precisa chegar à região hospitalar, o melhor caminho é usar a avenida do Contorno e acessar pela avenida Francisco Sales.

A partir de sábado (9/2), o transporte coletivo municipal terá um planejamento especial para atender os usuários e foliões. É importante salientar que a ampliação no quadro de horários e acréscimo de viagens não se dará de forma uniforme, mas acompanhando a previsão e realização dos eventos. Linhas alimentadoras das estações (São Gabriel, Vilarinho, Venda Nova, Pampulha, Diamante e Barreiro) estarão preparadas para atender a demanda, sobretudo, em virtude do horário estendido no atendimento do Metrô.

Área Central – O esquema de trânsito dos blocos da Área Central vai impactar o itinerário e os pontos de embarque e desembarque. Diversas linhas irão seguir rotas, sobretudo transitando na avenida do Contorno, evitando as áreas dos blocos e garantido a mobilidade dos usuários durante o Carnaval. A BHTrans vai disponibilizar no site da Prefeitura de Belo Horizonte um ‘Guia de Bolso’ em que o usuário/folião poderá consultar, baixar ou imprimir um mapa com o desvio e os pontos da linha que utiliza. Cada linha que tiver desvios na Área Central terá um arquivo em PDF e o usuário poderá consultar.

MOVE – O Sistema MOVE também terá operação especial durante o Carnaval para atender os usuários. As estações de transferência das avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos, Pedro I e Vilarinho irão ficar abertas 24 horas, das 4h de sexta-feira, 9/2, até de 1h de quinta-feira, dia 14/2. As estações de transferência das avenidas Santos Dumont e Paraná terão operação em horários distintos em virtude de blocos na região. Os usuários serão informados com antecedência por meio de cartazes e avisos sonoros nessas estações.
CBTU: Metrô vai funcionar até às 2 horas da manhã nos dias 3 (sábado); 10 (sábado), 11 (domingo),12 (segunda-feira) e 13 (terça-feira).

Posso ajudar? – Para ajudar os foliões e usuários do transporte coletivo, servidores da BHTrans prestarão informações sobre a cidade (trajetos, hotéis, transporte municipal e intermunicipal, por exemplo) em pontos estratégicos da Área Central.
No portal e na rede sociais – Todas as informações sobre trânsito e transporte do Carnaval de Belo Horizonte 2018 estarão disponíveis no portal da BHTRANS. Para acompanhar a situação do trânsito em tempo real durante o #CarnavalBH2018 , siga o perfil da BHTrans no twitter: @OficialBHTRANS . A página da BHTrans no Facebook também será atualizada com informações sobre o Carnaval. A Central de Relacionamento da Prefeitura de Belo Horizonte, 156, também irá prestar informações sobre trânsito e transporte.

Limpeza
De acordo com a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), cerca de 800 garis estarão de plantão todos os dias do período oficial do Carnaval, atuando antes da passagem dos blocos, durante os desfiles e após a dispersão dos foliões. Esse número também aumentou em relação a 2017, quando 600 garis ficaram de plantão.

Serão 800 contêineres instalados diariamente nos locais de maior concentração de pessoas, cada um com capacidade para 240 litros de resíduos, além de dezenas de caminhões coletores. Embora a recomendação seja que comerciantes e foliões evitem o uso de recipientes de vidro e espetos de churrasco, as equipes estarão a postos para recolher resíduos perfurocortantes que tenham sido jogados no chão, prevenindo, assim, riscos de acidentes.

Os sacos de lixo utilizados pela Prefeitura para o recolhimento dos resíduos coletados nas vias novamente ganharão cores vibrantes, para combinar com o clima festivo. Neles será possível ler a mensagem “Carnaval consciente, não jogue lixo na rua”, como forma de celebrar as boas atitudes urbanas e chamar a atenção para o cuidado com a cidade. Em 2018, estarão envolvidos na operação de limpeza mais de mil profissionais, entre coletores, motoristas, ajudantes, técnicos e coordenadores.

Em 2017 foram recolhidas 840 toneladas de resíduos na capital, o que representa 121% a mais que na folia de 2016, quando foi contabilizado um total de 379 toneladas.

Hotelaria
O setor hoteleiro está otimista para o Carnaval de 2018 em Belo Horizonte. De acordo com o diretor da ABIH-MG (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas), Diogo Alves da Paixão a expectativa de ocupação média na cidade é de 60%.

Nos empreendimentos da região Centro-Sul, que concentra a maior parte da folia, esse número sobe para 90%. “Recordes absolutos para o período. Imagina que há alguns anos a hotelaria dava até folgas neste período pela baixa procura”, ressalta Paixão.

Ele ressalta ainda a criatividade dos hotéis (que são independentes em suas ações). Segundo o empresário, há hotéis que vão dar descontos, outros um café da manhã ainda mais reforçado e ‘kits ressaca’, alguns estão fazendo pacotes e tarifas promocionais para a data, horários estendidos dentre outras promoções.

Taxa de ocupação média
2016: 47,57%
2017: 53,32%
2018: Expectativa 2018 é de aumento de 10 a 15%, de acordo com a ABIH

Bares e Restaurantes
Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-MG) a movimentação econômica esperada para o período do Carnaval de 2018 é de 35% a mais que em 2017. Com isso, estima-se aumento de receita em 30%, também em comparação a 2017.

Pesquisa
Pela primeira vez na história do Carnaval de Belo Horizonte, as pesquisas de satisfação começarão na pré-folia, mais precisamente a partir do dia 3 de fevereiro, e terminarão na terça-feira dia 13. Serão realizadas nas regionais e nos blocos de maior concentração.

O estudo, que será feito por uma empresa contratada, vai abordar o perfil, gastos, avaliação e satisfação do folião em relação à festa.

O Carnaval de Belo Horizonte cresce na fidelização do morador que, orgulhoso da explosão desse fenômeno, começou a permanecer na cidade e divulgar o evento para amigos e parentes de outras cidades. Tudo isso permite que os órgãos competentes possam trabalhar o potencial de fidelização dos turistas para retornar à cidade e para atrair novos turistas. Em 2017 mais de 93% dos moradores e mais de 90% dos visitantes manifestaram interesse em retornar ao evento em 2018.

A avaliação positiva do evento foi superior a 80%. O objetivo é manter a qualidade da festa para 2018.

RAIO-X do Carnaval de Belo Horizonte

Público total nos eventos de rua
2016: 2 milhões
2017: 3 milhões
2018: Expectativa de 3,6 milhões

Blocos de Rua
2016: 200 blocos com 254 desfiles
2017: 350 blocos com 416 desfiles
2018: 480 blocos com 550 desfiles

Divisão de cortejos blocos de rua por regionais
Centro-Sul: 47%
Leste: 15%
Nordeste: 6%
Oeste: 9%
Noroeste: 8%
Barreiro: 2%
Venda Nova: 2%
Pampulha: 8%
Norte: 3%

Divisão de cortejos Blocos de Rua por dia
Pré-Carnaval (27 a 09/02): 28%
Sábado (10/02): 19%
Domingo: (11/2): 22%
Segunda (12/02): 12%
Terça: (13/2): 13%
Quarta (14/02): 1%
Pós Carnaval (15 a 18/02): 4%

Ambulantes
2016: 3,4 mil
2017: 9 mil
2018: 9,6 mil

Turistas
2017: 464 mil (129 mil turistas x 3,6 dias de participação)
2018: expectativa de 554,4 (154 mil x 3,6 dias de participação)

Banheiros químicos (diárias)
2016: 7 mil
2017: 10 mil
2018: 14 mil

Segurança
2018: 2.064 Guardas Municipais

Movimentação financeira
2018: Movimentação financeira no período oficial de programação – 27 de janeiro a 18 de fevereiro – deverá alcançar cerca de R$ 637 milhões, cifra 20% superior àquela registrada no ano passado, quando a receita direta e indireta de gastos de belo-horizontinos e foliões alcançou R$ 531 milhões.

Subvenção aos Blocos de Rua
2017: R$ 300 mil (até R$ 10 mil por bloco)
2018: R$ 500 mil (até R$ 10 mil por bloco)

Patrocínio
2017: R$ 1,5 milhões. Patrocinador: Skol
2018: R$ 9 milhões, sendo R$ 3,599 milhões + R$ 5,4 milhões em estruturas e serviços. Patrocinadores: Skol e Uber

Linha cronológica do Carnaval de Belo Horizonte

• 1897: Foliões fazem o Carnaval em BH, antes mesmo de sua inauguração
• Década de 1910: Começa o desfile das grandes sociedades, que saíam com os carros alegóricos (na verdade caminhões) pela cidade
• Década de 1930: A Escola de Samba Pedreira Unida, formada por moradores da Pedreira Prado Lopes, é a primeira agremiação a desfilar em BH
• 1947: Fundação do primeiro Bloco de Rua do Carnaval de Belo Horizonte: Leão da Lagoinha
• 1975: Banda Mole faz sua estreia no Carnaval, fruto de uma dissidência do Leão da Lagoinha
• 1980: Escolas de Samba e Blocos Caricatos saem pela primeira vez na avenida Afonso Pena. Desfile oficial do Carnaval foi instituído pelo Decreto Municipal 3.676
• 1990: Blocos Caricatos e Escolas de Samba deixam de desfilar na avenida Afonso Pena
• 2004: Desfile das Escolas de Samba é transferido para a Via 240, na Região Norte
• 2010: Movimentos de Blocos de Rua começam a surgir pela cidade
• 2011: Desfile das Escolas de Samba é transferido para o Boulevard Arrudas, na Região Centro-Sul
• 2013: Blocos de Ruas atraem grande número de foliões, em especial na Região Central e no Bairro Santa Tereza
• 2014: O desfile das Escolas de Samba e Blocos Caricatos volta para a avenida Afonso Pena depois de 24 anos sendo realizado em outros locais. Blocos de Rua levam uma multidão de foliões para todas as regiões da cidade
• 2015: Com mais de 1 milhão de pessoas nas ruas, o Carnaval de 2015 entrou para a história da capital mineira quanto ao número de público. Foram mais de 200 blocos animando a festa em vários pontos da cidade; nove blocos caricatos e seis escolas de samba desfilaram na avenida Afonso Pena
• 2016: Público de 2 milhões de foliões. Hotéis tiveram 40% de ocupação
• 2017: 3 milhões de foliões nas ruas de Belo Horizonte, 416 desfiles de blocos de rua, além dos tradicionais desfiles de escolas de samba, blocos caricatos e shows de artistas locais nos palcos oficiais. Após 36 anos, o primeiro Bloco de Rua do Carnaval de Belo Horizonte, Leão da Lagoinha, volta a desfilar na cidade e comemora 70 anos de existência. Três palcos oficiais com programação de artistas locais e regionais: Praça da Estação, avenida Brasil e rua Guaicurus. Patrocínio da Skol: 1,5 milhão. Investimento da PBH: 1,5 milhão. A receita turística direta estimada em 2017 cresceu cerca de 65% em relação à receita de 2016
• 2018: Previsão de crescimento de 20% de foliões em relação a 2017: 3,6 milhões. Cerca de 480 blocos de rua cadastrados e 550 desfiles de blocos. Nove palcos oficiais com programação de artistas locais e regionais nas nove regionais. Incremento na estrutura dos desfiles de escolas de samba e blocos caricatos. Patrocínio: Skol e Uber (R$ 3,599 milhões + planilha de estrutura, serviços e logística).

Continua lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carnaval

Mais antiga tradição carnavalesca da cidade, blocos caricatos desfilam na folia belo-horizontina na segunda

Os desfiles dos Blocos Caricatos de Belo Horizonte são apresentados pelo Ministério da Cidadania e pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur, via Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio master da Skol

Brincar o Carnaval é coisa séria para os blocos caricatos. E não poderia ser diferente – eles consistem na manifestação carnavalesca mais típica e antiga de Belo Horizonte. Esse jeito particular de aproveitar a folia começou na capital mineira décadas atrás, uma tradição iniciada por operários que trabalhavam na fundação da cidade. Os trabalhadores pintavam seus rostos e desfilavam batendo latas e tambores em cima de carroças. Tempos depois o hábito ganhou o formato de desfile, e essa importante herança continua sendo transmitida entre gerações. A cada ano que passa o desfile dos blocos caricatos ganha mais força, e o apoio financeiro da Belotur é parte fundamental dessa folia.

Em 2019 onze blocos caricatos desfilam a partir das 19h da próxima segunda-feira (4), numa estrutura montada na avenida Afonso Pena. A entrada é gratuita. Os blocos disputam o prêmio de R$ 30 mil dedicado ao primeiro lugar, R$ 20 mil ao segundo e R$ 10 mil ao terceiro. Nesse corrida em busca da vitória, cada bloco caprichou na concepção de seus carros-alegóricos, bateria, alas e fantasias. A escolha do tema é uma parte importante, por isso os compositores, puxadores e ritmistas também afinam gogós e tamborins.

A exaltação da tradição dos blocos caricatos foi a metalinguagem escolhida pelos integrantes do Por Acaso e do Corsários do Samba para alegrar a plateia. Outras manifestações culturais também serão lembradas na avenida: os Mulatos do Samba festejam a história das máscaras; os Bacharéis do Samba fazem um enredo em celebração aos vários estilos de dança; os Acadêmicos da Vila Estrela brindam o universo do circo; e Os Aflitos do Anchieta falam de África, berço do samba. Lugares e pessoas são lembrados pelos Unidos da Zona Norte, que rememoram a construção da bela Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Betim; pelos Estivadores do Havaí, que exaltam a trajetória do SBT e da TV Alterosa; e pelos Infiltrados de Santa Tereza, que optaram por lembrar das belezas e lendas da Amazônia. A defesa de temas sociais ficou a cargo do bloco Os Inocentes de Santa Tereza, que criou um enredo ficcional para engajar a respeito da escravidão e do racismo.

Uma das novidades deste ano é o aumento do valor das subvenções. Cada bloco caricato recebeu o apoio financeiro da Belotur da ordem de R$ 45 mil (grupo A) e R$ 31 mil (grupo B), o que consiste num aumento de 20%.

O Ministério da Cidadania e Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur, apresentam os desfiles dos  Blocos Caricatos de Belo Horizonte, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio master da Skol.

PROGRAMAÇÃO DOS DESFILES DOS BLOCOS CARICATOS: segunda-feira (4), 19h

GRUPO A:

Unidos Zona Norte

Os Inocentes de Santa Tereza

Estivadores do Havaí

Por Acaso

Mulatos do Samba

Bacharéis do Samba

Infiltrados de Santa Tereza

Corsários do Samba

GRUPO B:

Real Grandeza

Acadêmicos da Vila Estrela

Os Aflitos do Anchieta

CONFIRA A SEGUIR O PERFIL DOS BLOCOS CARICATOS DO CARNAVAL DE BELO HORIZONTE 2019:

UNIDOS DA ZONA NORTE

A história da construção da bela Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Betim, será contada pelo bloco do bairro São João Batista. Seus 370 integrantes serão divididos em sete alas que irão narrar a verdadeira saga que foi a idealização da igreja. “O preconceito racial da época impedia que brancos e negros frequentassem a mesma missa”, explica o presidente Janjão. Essa segregação acabou mobilizando parte da irmandade, que se uniu e arrecadou dinheiro para financiar a construção do imóvel, o que só aconteceu em 1897. Desde então a igreja é palco fervilhante de importantes manifestações da cultura afro-brasileira na cidade.

Samba-enredo: História da construção da Igreja Nossa Senhora do Rosário, em Betim

Compositores: Janjão, Mauro Bainha e Mandruvá

É negro, é festa

Chegou a hora de comemorar

Eu quero ver a passarela balançando quando a Zona Norte seu enredo desfilar

No Século 18 em Betim

O negro não tinha  espaço pra rezar

Oitenta anos se passaram

Pra esse sonho se realizar

Trinta mil réis foram doados

Para ajudar na construção

Mas foram usados em outra igreja

Foi grande a decepção

Senti  na pele inverter os papéis

São trinta mil réis que foram pro ralo

Tira daqui, põe ali, tira de lá, bota cá

Eu continuo com a cara de otário

Com fé e determinação

Da Irmandade Senhora do Rosário

Joaquim Nicolau apoiou enfim

O negro conseguiu seu santuário

Obrigado mamãe Oxum

O negro pede sua benção maternal

Liberdade, liberdade, salve Zambi

Todo homem nesse mundo é igual

OS INOCENTES DE SANTA TEREZA

Criado em 1973, o bloco também aborda o preconceito racial em seu desfile. Partindo de uma história ficcional, os integrantes ilustram o enredo “O Malandro Batuqueiro do Pérola Negra”. Enquanto um traficante de escravos lotava um navio de negros para serem vendidos no Brasil, um exímio batuqueiro usa de sua malandragem para distrair o negociante e ensinar capoeira aos demais escravos. Esse cenário de trabalho forçado e completa exploração é ponto de partida para a turma falar de racismo, esse mal que infelizmente insiste em varrer nossa sociedade atual. Os 200 integrantes do bloco chegam divididos em quatro alas. Destaque para a figura da Escrava Anastácia, importante símbolo da luta racial, que chega amordaçada, conforme registros da história oral. “Será um desfile forte e simbólico”, sugere o presidente Ângelo Almeida.

Samba-enredo: O Malandro Batuqueiro do Pérola Negra

Compositor: Marco Valente

Eu sou malandro, cria de Santa Tereza

O batuqueiro que calou Pérola Negra (2x)

Vem comigo amor ô ô ô

Nessa história de beleza e sofrimento quem eu sou (oi que eu sou)

Sou um malandro batuqueiro

Que dos porões de um negreiro

Vem proclamar o seu valor em um cantar

A alma de um capoeira

Não se aprisiona jamais

Jones…

Eis o carrasco sobre o mar (ô laiá)

Lucrando com minha tristeza

A bordo do Pérola Negra

O Deus traficante

Terror navegante

Nunca pode me calar

Pois um capoeira

No meio ou na beira

É ruim de segurar

Bate tambor negro oh oh

O meu sangue é inocente

Sou banto, Jeje-Nagô (2x)

Na avenida

de branco, vermelho e preto

Sou demais

No compasso deste samba

O bamba que balança mas não cai

ESTIVADORES DO HAVAÍ

Um dos campeões do ano passado, o bloco de Venda Nova escolheu prestar um tributo ao canais SBT e TV Alterosa. Para isso, três alegorias, além do caminhão principal, pretendem evidenciar personagens importantes das emissoras. Um dos maiores nomes da TV brasileira, o apresentador Silvio Santos será um dos mais evidenciados no desfile. Os amantes de esportes estarão contemplados com a bancada do programa Alterosa Esporte, que será simulada na avenida. Um dos campeões de audiência da emissora, o Chapolin Colorado tem presença prometida. A intenção é fazer um desfile alegre e contagiante para agradar a audiência.

Enredo: TV Alterosa e SBT, uma história de amor com você

Compositor: Juólison Mangabeira

Com empolgação vou apresentar

Uma história de amor a te emocionar

Ligue a TV vem assistir

Com Estivadores do Havaí

Sintonize o canal já chegou o Carnaval

A magia está no ar

Hoje é dia de alegria a imagem contagia

Silvio Santos vem brilhar

Vai te levar ao mundo encantado

Desabrochando um infinito de prazer

Um universo bem aprimorado

O aviãozinho faz a gente enlouquecer

Meu coração bate acelerado

A audiência vai engrandecer

O programa começou é o SBT

E a Alterosa que está dentro de você

A bancada fascinante

Vou festejar

Um gol de placa com respeito

Essa turma eu sei que vai marcar

É no horário nobre da televisão

Com prestígio traz a informação

Chega invadindo o nosso lar

Eu sentado no sofá

É um sinal de felicidade

Que pra toda a família irá transmitir

Uma programação

Com certeza merece aplaudir

POR ACASO

“Com os blocos não há problema” é o tema dessa galera dos bairros Carlos Prates e Vila São Francisco conhecidos pelas cores verde e rosa. Seus 210 integrantes fazem questão de ressaltar a importância da história dos blocos caricatos de Belo Horizonte. “Temos que valorizar isso, manter essa tradição. É algo que só tem aqui na nossa cidade”, destaca o presidente Jairo Alves. Cada uma das treze alas irá homenagear um bloco caricato diferente, pinçados entre os 72 que já passaram pela avenida ao longo de toda a história da folia belo-horizontina.

Samba-enredo: Com os blocos não há problema

Compositor: Delei Por Acaso

Voei

Nas asas do tempo para reviver nossos Carnavais

Saudades dos tempos de outrora que não voltam mais

Boca branca da paz

Santo Antônio vem abençoar

Essa Real Grandeza

Que o verde e rosa vem mostrar (bis)

Eu vou ficar Infiltrado no Samba

Até a bateria passar

No gingado eu sou Bacharel

Aos caricatos eu tiro o meu chapéu (bis)

Unidos da Zona Norte, coloredes

A Vila Estrela também vai brilhar

Quando o Por Acaso chega

Até Os Mulatos vêm sambar

Sente a batida

Que beleza

Inocentes de Santa Tereza

Faz a passarela balançar

Tem Corsários, Presidiários e Estivador

Mas o Por Acaso é o meu grande amor (bis)

MULATOS DO SAMBA

Um baile de máscaras formado pela comissão de frente vai abrir o desfile do Mulatos do Samba, o bloco originário do bairro Santo André. Segundo o presidente Betô, os 180 integrantes irão se dedicar na avenida a contar a presença da máscara em culturas diversas, sem se esquecer que o símbolo também representa os blocos caricatos da cidade. “Vamos brincar com essa ideia do mistério e do oculto por trás de uma máscara”, adianta Betô.

O bloco foi um dos três vencedores do ano passado – em 2018 houve um empate triplo no primeiro lugar – e também faturou o primeiro lugar nos três anos anteriores. A confiança do tetracampeão, portanto, serve de incentivo ao desempenho do bloco. “Sempre queremos superar nossa performance do ano anterior, e vamos brigar pelo título”, relata o presidente.

Samba-enredo: Disfarce facial – a magia da cultura e o segredo das máscaras

Compositor: Roberto Martins (Betô)

Eu vou delirar

Pintar o rosto é tradição

De vermelho e branco, que fascinação

Bate na palma da mão, é de arrepiar

Levanta o Mulatos do Samba acabou de chegar (bis)

Mais uma vez

É mais uma vez

É alegria, nosso bloco na avenida

Nossa família Mulatos vem contar

A história do disfarce facial

Na antiguidade onde tudo começou

Com a confusão de cores era magia

No Egito exaltação nas crenças e rituais

Feitiços de pura ilusão

Na Grécia antiga

O teatro obsessão

Máscaras teatrais

De tradição milenar

Um brilho vermelho no ar

Sé é Carnaval é fantasia

Diversão o folião

Hoje é o artista

E nesta noite o segredo não vai ter fim

No grande baile sem máscara não pode ir (bis)

Peça sagrada

Peça sagrada dos seus ancestrais

Nos rituais africanos

Festividades ao som do tambor

Faz seu uso popular

Ser mascarado em Veneza é especial

E a fantasia inspira seu Carnaval (bis)

BACHARÉIS DO SAMBA

Moradores dos bairros São Pedro, Morro do Papagaio, Vila Estrela e Vila Santa Rita formam esse bloco, nascido em 1965 e, portanto, um dos mais antigos atualmente. Com as cores amarelo e preto e tendo o gramofone como símbolo deste ano, os Bacharéis do Samba esmeram o rebolado para falar da dança a partir da escolha de oito estilos, cada qual representado em uma das oito alas, totalizando seus 190 integrantes. A gama de ritmos escolhidos vai do maracatu, passa pelo frevo e chega ao balé clássico. Figuras icônicas do mundo da dança surgem na alegoria principal, entre eles Carmen Miranda e o ator e dançarino norte-americano Gene Kelly.

Enredo: Quem Dança Seus Males Espanta

Compositor: Guilherme Mocidade

Arrebenta Bacharéis

A festa vai começar

Quem dança seus males espanta

Hoje vou me esbaldar

Abram-se as cortinas

Louvada seja nossa dança

Ao som do gramofone

Na avenida viro uma criança

Venha comigo, pode chegar

As bailarinas vão te encantar

Liberte-se das coisas materiais

Mente serena, saúde e paz

De Pernambuco, frevo e maracatu

De Andaluzia, o orgulho espanhol

Opatchá, mas que beleza

É uma casa portuguesa com certeza

O que é que a baiana tem

Muito prazer, Carmen Miranda

Charmosas Melindrosas

Dança do ventre sensacional

Gene Kelly dançando na chuva

E o pole dance levantando o seu astral

INFILTRADOS DE SANTA TEREZA

Quando os Infiltrados de Santa Tereza começarem seu desfile, a avenida vai se transformar no pulmão do mundo. Como o bloco adotou a Amazônia como tema, os moradores da Vila Dias irão mostrar ao público a importância da defesa do meio ambiente. A abordagem ganha elementos folclóricos ao mergulhar em lendas amazônicas. A sereia Iara, que vive nas águas do rio da região, aparece no abre-alas. Outro personagem lendário da cultura daquela região, o boto-cor-de-rosa será revelado como destaque no desfile. Segundo a tradição, o boto-rosa sai dos rios nas primeiras horas da noite, transforma-se em um homem e busca galantear jovens mulheres, engravidando algumas jovens. Pescadores e suas canoas, índios e mulatas completam a apresentação do bloco, fundado em 2009.

Enredo: Amazônia – o pulmão do mundo

Compositor: Lado Raízes

O pulmão do mundo está aqui

A gente tem que defender

É preservar sem desmatar sem destruir

A natureza vai agradecer

Mulheres guerreiras deram nome ao lugar

Que os invasores vieram para explorar

Mostrando a sua bravura

De uma cultura milenar

Os Infiltrados de Santa Tereza

Ouviram a Iara cantar

Nos igarapés a fertilidade riqueza de se orgulhar

É o verde que estampa a bandeira Nacional

Colorindo a passarela nesse Carnaval (bis)

A Amazônia em festa

Com liberdade para comemorar

Todo povo da floresta

Navegam pelo rio-mar

As moças do vilarejo

Esperam o verão chegar

Quando o boto-cor-de-rosa

Sai da água para dançar.

CORSÁRIOS DO SAMBA

Ser um bloco tradicional, familiar e o mais antigo da cidade – foi criado em 1962 – é o grande orgulho de Fauze Elias, presidente do Corsário do Samba. É essa força da tradição que move os 100 integrantes vindos do bairro Floresta a falar do tema intitulado “O Carnaval dos Carnavais”. O presidente luta para que o desfile dos blocos caricatos continue sendo mantido e cada vez mais valorizado. Defensor da cultura popular tradicional, ele explica que seu bloco não é dividido em alas e não tem alegorias. “Bloco é todo mundo junto e vamos mostrar essa alegria e irreverência na avenida”, adianta Fauze. “Vamos fazer a exaltação do Carnaval, por isso o bloco é aberto a todas as pessoas”, completa.

Enredo: O Carnaval dos Carnavais

Compositor: Guilherme Mocidade

Nesta avenida magistral

Hoje o meu bloco vai passar

Vem, vem, vem, eu tô legal

De bem com a vida na querida Beagá

Arrepia bateria, vem comigo festejar

Sou da Floresta, sou tradição

Na passarela eu levanto o folião

Pode sorrir, pode brincar

A festa só acaba quando o dia clarear (bis)

Nasci de um bate-papo entre amigos

Como é gostoso relembrar

Naquela esquina passei parte da minha vida

Saudoso tempo que não volta mais

Hoje visto a fantasia e caio na folia

Desculpa se a lágrima rolar

Na Afonso Pena vou te emocionar

Eu sou Corsários, sou das Gerais

Vou me embalar no Carnaval dos Carnavais

REAL GRANDEZA

O cavaquinho vai chorar quando bambas como Ataulfo Alves, Donga e Noel Rosa foram lembrados no desfile do Real Grandeza, bloco fundado em 2017 e um dos caçulas do Carnaval. O centenário do samba, completado em 2017, também será lembrado pelos foliões do bairro Anchieta. Uma coroa e uma águia, aliadas às cores azul, vermelho, branco e dourado, formam a identidade visual do bloco, que realiza seu desfile pela segunda vez.

Enredo: Homenagem ao samba

Compositor: Mandruvá

Real Grandeza na avenida de novo

Pra fazer seu desfile legal

Vem comigo entrar na dança

Vamos comemorar o centenário do samba

Que o chefe da folia avisou

Geraldo Pereira, Ataulfo Alves

Jadir Ambrósio nossa estrela maior

Minas tem história pra contar

Venha conhecer o Carnaval de BH

O tom da alegria que rei sou eu

De fruto nobre sou segunda sem lei

Com a velha guarda a receita é sambar

Sou Rio, Bahia, sou Minas Gerais

Com a Real Grandeza

O samba não morre jamais

Parabéns Donga e Noel

Só quem é bamba tira o chapéu

Poetas de grande valor

Que foram sambar lá no céu

ACADÊMICOS DA VILA ESTRELA

A energia contagiante dos moradores da Vila Estrela, no Aglomerado Santa Lúcia, certamente irá envolver os foliões que presenciarem o desfile do bloco. Números de mágica, acrobacias e palhaços vão performar na avenida para contextualizar o enredo, que festeja o universo circense dos tempos passados e da cena contemporânea. Um lona de circo será montada sobre a alegoria principal. A escola pretende ganhar a atenção da arquibancada com fantasias bastante coloridas que paramentam seus 160 integrantes. “Vamos trazer alegria e leveza”, explica Alvimar Neri, presidente de honra.

Samba-enredo: Hoje tem marmelada? Tem sim senhor!

Compositor: Mário Emílio Mouro

Vai começar a brincadeira
A Vila traz o circo do Brasil
É festa a noite inteira

Continua lendo

Carnaval

Fhemig alerta sobre abuso de álcool e drogas no Carnaval

Alertas e dicas de prevenção são fundamentais para preservar a saúde e a vida

A Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) alerta para o aumento das estatísticas da seguintes ocorrências, registradas no Hospital João XXIII (HPS), no período do Carnaval: intoxicações por álcool, abuso de drogas sintéticas e medicamentos, e acidentes decorrentes destes excessos, como lesões graves provocadas por mergulho em águas rasas, afogamentos, acidentes de trânsito e quedas.

No Carnaval de 2018, foi registrado um aumento de 1.328% no atendimento de intoxicações e 25% no atendimento geral do hospital em relação às mesmas datas de 2017 (dias comuns), tendo sido atendidos 25 casos de intoxicação por álcool. Na semana seguinte, de sexta a quarta-feira, não foi registrado nenhum caso.

As consequências do consumo excessivo de álcool durante o Carnaval vão desde ressacas leves e intoxicação aguda pelo álcool, até aumento de violência doméstica, abusos, quedas e acidentes automobilísticos, muitas vezes com vítimas fatais.

De acordo com o médico clínico geral e plantonista do HPS, Guilherme Donini Armiato, o tipo de bebida não é o fator mais importante para causar intoxicação aguda por álcool. “O que realmente faz diferença é a quantidade e a frequência que a pessoa bebe. Cerveja e vinho não são menos perigosos que as bebidas destiladas”, ressalta.

O Hospital João XXIII também tem registrado aumento no atendimento a usuários de novas drogas ilícitas, como a N-etilpentilona, também conhecida como efilona. O coordenador da CIATox-MG (Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Minas Gerais – HJXXIII), Adebal Andrade Filho, alerta que estas drogas, consumidas geralmente em festas, têm levado a intoxicações graves.

Os efeitos são semelhantes aos da cocaína, com sintomas que podem incluir palpitações, taquicardia, hipertensão, agitação, comportamento agressivo, convulsões, alucinações e morte. “Usuários de drogas recreativas devem estar cientes de que correm um risco substancial, uma vez que este composto tem efeitos mais potentes e podem induzir a complicações cardiovasculares e neurológicas, e levar a consequências fatais”, avisa.

Afogamentos

Nos casos de afogamentos envolvendo adultos, um dos principais fatores que potencializam as chances da ocorrência de acidentes é a ingestão de álcool e ou outras drogas. Do mesmo modo, quem não sabe nadar e se aventura a entrar na água está se expondo ao risco. O uso de álcool também faz com que o adulto diminua a supervisão sobre as crianças.

O tempo de submersão da vítima de afogamento é determinante. O cérebro resiste a apenas três minutos sem oxigenação. Após esse tempo, a possibilidade de lesões neurológicas é grande. No caso de parada cardíaca, os danos podem ser ainda maiores.

Dicas de prevenção

– Informe-se, com o guarda-vidas, sobre o melhor lugar para o banho;
– Obedeça a sinalização: bandeiras vermelhas indicam alto risco de afogamento;
– Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade;
– Mantenha atenção constante às crianças;
– Evite bebidas alcóolicas e alimentos pesados;
– Não superestime sua natação;
– Não tente salvar alguém se você não tem condições;
– Não nade em locais isolados;
– Caso esteja em alguma embarcação, use o colete salva-vidas;
– Em caso de tempestade, permaneça longe da água.

Mergulho em águas rasas

Paraplegia (paralisia das pernas), tetraplegia (paralisia de braços e pernas) e problemas neurológicos (traumatismo crânio encefálico) são as consequências mais graves dos acidentes que envolvem o mergulho em água rasa. O grupo mais suscetível a esses tipos de traumas são as crianças, os adolescentes e os adultos com até 30 anos de idade.

Um mergulho mal calculado pode ser suficiente para deixar uma pessoa paralisada pelo resto de sua vida. Acidentes dessa natureza costumam, com frequência, estarem relacionados ao consumo de álcool e/ou drogas, o que faz com que a pessoa perca completamente a capacidade de julgamento quanto aos riscos a que está se expondo.

Dicas de prevenção

– Não mergulhe em locais desconhecidos;
– Informe-se sobre a profundidade do local onde pretende nadar.
– Entre primeiro no local, sem mergulhar;
– Evite brincar de empurrar amigos para dentro de lagos, poços, cachoeira ou mar;
– Não consuma álcool ou drogas.

Acidentes de Trânsito

O tipo de lesão decorrente de acidentes com veículos automotores é muito variável, mas os traumatismos cranioencefálicos (TCE), fraturas múltiplas, incluindo as na coluna vertebral, além de traumatismos abdominais e torácicos, são mais frequentes. As sequelas de traumas graves variam, podendo ir de uma incapacidade para realizar determinado movimento até sequelas neurológicas graves de cognição e raciocínio, tetra e paraplegia, coma ou mesmo estado vegetativo.

 

Continua lendo

Carnaval

Confira o que abre e o que fecha no carnaval 2019 em Belo Horizonte

Como o funcionamento dos diversos órgãos e equipamentos da administração municipal durante o carnaval

• atualizado em 01/03/2019 às 10:33

O Carnaval em Belo Horizonte já está a todo o vapor e alguns serviços na cidade vão sofrer mudanças nos horários de funcionamento. Confira abaixo o funcionamento dos diversos órgãos e equipamentos da administração municipal.

Bancos

A Federação Brasileira de Bancos informou que as agências bancárias vão estar fechadas para atendimento ao público na segunda-feira (4) e na terça-feira (5).

A entidade informou que as contas de consumo (água, energia, telefone etc) e carnês com vencimento em 4 ou 5 de março poderão ser pagas, sem acréscimo, a partir do meio-dia de quarta-feira (6).

Lojas

Cerca de 70% dos comerciantes de Belo Horizonte querem trabalhar durante o carnaval para aproveitar o grande movimento da cidade. A pesquisa divulgada na quarta-feira (27), em uma reunião na Câmara de Dirigentes Lojistas da capital mineira (CDL).

Parques e Zoológico

Parque das Mangabeiras*

Fechado na segunda-feira, dia 4 de março.

Aberto nos dias 2 (sábado), 3 (domingo), 5 (terça-feira) e 6 (quarta-feira) de março, das 8h às 17h

Mirante das Mangabeiras*

Fechado na segunda-feira, dia 4 de março

Aberto nos dias 2 (sábado), 3 (domingo), 5 (terça-feira) e 6 (quarta-feira) das 9h às 20h (entrada permitida até às 19:30)

Parque da Serra do Curral*

Fechado na segunda-feira, dia 4 de março

Aberto nos dias 2 (sábado), 3 (domingo), 5 (terça-feira) e 6 (quarta-feira) das 8h às 17h (entrada permitida até as 16h)

Parque Municipal Américo Renné Giannetti

Fechado na segunda-feira, dia 4 de março.

Aberto nos dias 2 (sábado), 3 (domingo), 5 (terça-feira) e 6 (quarta-feira) das 6h às 18h.

OBS: no sábado, dia 2 de março, a partir das 10h e durante todo o desfile do Bloco “Quando come se lambuza”, somente estarão abertas as portarias da alameda Ezequiel Dias, avenida Carandaí e avenida dos Andradas (a portaria da rua da Bahia e as duas da avenida Afonso Pena estarão fechadas durante o desfile).

Parque Ecológico da Pampulha

Aberto nos dias 2 (sábado), 3 (domingo), 4 (segunda-feira), 5 (terça-feira) e 6 (quarta-feira) das 8:30 às 18h.

Demais parques*

Fechados na segunda-feira, dia 4 de março.

Abertos nos dias 2 (sábado), 3 (domingo), 5 (terça-feira) e 6 (quarta-feira) das 7h às 18h.

Jardim Zoológico e Jardim Botânico*

Fechado na segunda-feira, dia 4 de março

Aberto nos dias 2 (sábado), 3 (domingo), 5 (terça-feira) e 6 (quarta-feira) das 8h às 17h (entrada permitida até as 16h)

Aquário da Bacia do Rio São Francisco*

Fechado na segunda-feira, dia 4 de março

Aberto nos dias 2 (sábado), 3 (domingo), 5 (terça-feira) e 6 (quarta-feira) das 8:30 às 16:30 (entrada permitida até às 16h)

* Por recomendação da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, o acesso aos Parques da Serra do Curral, Aggeo Pio Sobrinho e das Mangabeiras, além do Mirante do Mangabeiras e espaços da Zoobotânica (Jardins Zoológico e Botânico e Aquário do Rio São Francisco) requer a apresentação de comprovante de imunização contra a febre amarela, com vacina aplicada no mínimo 10 dias antes da visita, e documento de identidade com foto. O estacionamento no Parque das Mangabeiras agora integra o sistema rotativo digital da BHTrans. Para maior comodidade, o usuário deve levar o talão ou baixar o aplicativo “Rotativo Digital BH” (disponível para Android e iOS). 

Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania

Conselho Tutelar (Rua Tupis, 149, loja 1 – Centro)

Plantão 24h – (31) 3277-1912

Assistência Social

Centros de Referência de Assistência Social – CRAS

Não funcionarão de sábado a quarta. Funcionam normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Centros de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS

Não funcionarão de sábado a quarta. Funcionam normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Diretorias Regionais de Assistência Social

Não funcionarão de sábado a quarta. Funcionam normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Centro de Referência para a População de Rua (Centro Pop) Miguilim (Rua Varginha, 210 – Floresta)

Funcionará de sábado a quarta de 8h às 12h

Centro Pop Centro Sul (Av. do Contorno, 10.852 – Barro Preto)

Não funcionará de sábado a terça. Funcionará quarta a partir de 12h

Centro Pop Leste (Rua Conselheiro Rocha, 351 – Floresta)

Funcionará de sábado a quarta, das 13h às 17h

Central de Vagas – Unidade de Acolhimento Institucional

Plantão 24h – (31) 98872-2023

Abrigos, albergues, repúblicas e acolhimento pós alta hospitalar

Funcionamento normal

Segurança Alimentar e Nutricional

Banco de Alimentos (Rua Tuiuti, 888 – Padre Eustáquio)

Não funcionará de sábado a quarta. Funciona normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Central de Abastecimento Municipal (Rua Maria Pietra Machado, 125 – São Paulo)

Não funcionará de sábado a quarta. Funciona normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável – Mercado Popular da Lagoinha

Não funcionará de sábado a quarta. Funciona normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Direto da Roça

Funcionamento facultativo

Feira Coberta do Padre Eustáquio (Rua Pará de Minas, 821 – Padre Eustáquio)

Funcionamento normal

Feira de Orgânicos

Funcionamento facultativo

Feiras Livres

Funcionamento normal

Feira Modelo da Savassi (Rua Tomé de Souza, entre avenida Cristóvão Colombo e rua Pernambuco)

Só funciona às quintas

Mercado do Cruzeiro (Rua Ouro Fino, 452 – Cruzeiro)

Funcionamento normal

Restaurantes Populares I, II, III e IV e Refeitório Popular

Não funcionará de sábado a quarta. Funciona normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Sacolões Abastecer

Funcionamento normal

Direito e Cidadania

Centro de Referência da Juventude – CRJ (Rua Guaicurus, 50 – Centro)

Não funcionará de sexta a quarta. Funciona normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

O local será utilizado como Posto Médico de Atendimento durante o Carnaval.

Centro de Referência da Pessoa Idosa – CRPI (Rua Perdizes, 336 – Caiçara)

Não funcionará de sábado a quarta. Funciona normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Centro de Referência LGBT – CRLGBT (Rua Curitiba, 481 – Centro)

Não funcionará de sábado a quarta. Funciona normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Centro de Apoio a Mulher – BENVINDA (Rua Hermilo Alves, 34 – Santa Teresa)

Não funcionará de sábado a quarta. Funciona normalmente quinta-feira, dia 7 de março.

Equipamentos Culturais

Casa do Baile

Fechado nos dias 4 e 5/03.

Museu Histórico Abílio Barreto

Fechado nos dias 4, 5 e 6/03. Aberto ao público nos dias 2 (sábado) e 3 (domingo), das 10h às 17h.

Museu de Arte da Pampulha

Fechado no dia 4/03. Aberto ao público nos dias 2, 3, 5 e 6/03, de 9h às 18h

Casa Kubitschek

Fechado no dia 4/03. Aberto ao público nos dias 2, 3, 5 e 6/03, de 9h às 18h

Museu da Moda, Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte, Museu da Imagem e do Som e MIS Cine Santa Tereza

Fechados de 2 a 6/03

Postos de Informação Turística

Centro de Atendimento ao Turista Álvaro Hardy – Veveco (avenida Otacílio Negrão de Lima, 855, São Luís)

Dias 2/03 (sábado), 3/3 (domingo), 4/3 (segunda-feira), 5/3 (terça-feira) e 6/3 (quarta-feira) funciona de 8h às 17h.

Centro de Atendimento ao Turista – Mercado Central (avenida Augusto de Lima, 744, Centro)

Funciona nos dias 2/03 (sábado), 3/3 (domingo), 4/3 (segunda-feira) e 5/3 (terça-feira) de março, das 8h às 13h

No dia 6/3 (quarta-feira) funciona de 8h às 18h.

Saúde

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), o Hospital Metropolitano Odilon Behrens, a Central de Internação, o SAMU, os laboratórios das UPAs e o Serviço de Urgência Psiquiátrica Noturno

Funcionam normalmente 24h por dia, todos os dias

Os Centros de Referência em Saúde Mental (CERSAMs)

– 2 e 3/3 – funcionam com equipe de plantão (diurno) e expediente normal (noturno)

– 4/3 –funcionam com escala mínima (diurno) e expediente normal (noturno)

– 5/3 – funcionam com equipe de plantão (diurno) e expediente normal (noturno)

– 6/3 – funcionam com escala mínima (manhã) e a partir das 13h com expediente normal

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde

– 2 a 5/3– funciona com equipe de plantão

– 6/3 – funciona com equipe de plantão (manhã) e a partir das 13h com expediente normal

Centro de Referência em Imunobiológicos Especiais

– 2 e 3/3 – funciona com equipe de plantão

– 4/3 – funciona com escala mínima

– 5/3– funciona com equipe de plantão

– 6/3 – funciona com equipe de plantão (manhã) e a partir das 13h com expediente normal

Os Centros de Saúde, o Centro de Controle de Zoonoses, os laboratórios de zoonoses, as sedes dos distritos, o nível central (Diretoria de Promoção à Saúde e Vigilância Epidemiológica, Diretoria de Vigilância Sanitária, Diretoria de Assistência à Saúde, Gerência de Atenção Primária à Saúde, Gerência de Urgência e Emergência, Diretoria de Zoonoses e Gabinete):

– 2 e 3/3 (sábado e domingo) – não têm expediente

– 4/3 – funcionam das 7h às 17h com escala mínima

– 5/3–não têm expediente

– 6/3 – a partir das 13h funcionamento normal

Os Centros de Especialidades Médicas, a Central de Atendimento a Liminares, os Centros de Referência a Saúde do Trabalhador, o Centro de Treinamento e Referência, os Centros de especialidades odontológicas, a alta complexidade, as Unidades de Referência Secundária, os Centros de Reabilitação, o Centro Municipal de Oftalmologia e o Centro Municipal de Diagnóstico por Imagem:

– 2 a 5/3 – não têm expediente

– 6/3 – funcionamento normal a partir das 13h

Centros de Convivência

– 2 a 5/3 – não têm expediente

– 6/3 – funcionamento normal a partir das 13h

Academias da Cidade, Serviço de Atendimento ao Viajante e Centros de Esterilização Cães e Gatos:

– 2 a 5/3 – não têm expediente

– 6/3 – funcionamento normal a partir das 13h

Segurança

Guarda Municipal

Trabalha normalmente dias 4, 5 e 6 de março

Centro de Operações de Belo Horizonte (COP-BH)

Funcionamento normal, exceto para atendimento ao público nos dias 4, 5 e 6 de março

BH Resolve

Fechado nos dias 2 a 6 de março. Retoma as atividades na quinta-feira, dia 7 de março.

Defesa Civil

Funcionamento normal, todos os dias, 24 horas por dia, inclusive aos domingos e feriados. Os telefones de contato são: 199 e o 3277-8864.

Trânsito e Transporte

Todas as informações sobre as mudanças no carnaval, estão no portal da Prefeitura :

//prefeitura.pbh.gov.br/bhtrans/carnaval/transitoetransporte

Limpeza Urbana

A Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) informa que nos dias 2, 4, 5 e 6 de março (sábado, segunda, terça e quarta-feira) haverá serviços de coleta domiciliar e seletiva na capital. As Unidades de Recebimento de Pequenos Volumes (URPV) também funcionarão normalmente. Haverá plantões de varrição no Hipercentro, na Savassi e na região hospitalar.

Continua lendo