O Por Dentro de Minas é um portal de notícias de Belo Horizonte e todo o estado de MG. Últimas notícias, informações em tempo real do trânsito, previsão do tempo, agenda cultural, emprego, colunas, blogs e coberturas especiais.
Seguir

Polícia Civil conclui investigação de sequestro em Coronel Fabriciano

Ação foi coordenada de dentro do Sistema Prisional, em Contagem, de onde J. organizou a execução do sequestro
Delegado Washington Alves Moreira Izaias – Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Minas Gerais, em Coronel Fabriciano, concluiu nesta segunda-feira (23) a investigação do crime de extorsão mediante sequestro de um funcionário de banco, na modalidade conhecida como “golpe do sapatinho”, que teve como alvo o roubo a uma agência bancária, em Ipatinga, no dia 21 de novembro de 2018.

As investigações, que duraram cerca de dez meses, identificaram como responsáveis pelo crime J.T.A.C., 21 anos; L.T.S.O., 21; W.L.S., 23; P.V.G., 33; A.A.L.N., 33, e J.O.S., 33.

De acordo com as investigações, a ação foi coordenada de dentro do Sistema Prisional, em Contagem, de onde J. organizou a execução do sequestro. Em posse das informações particulares da funcionária do banco e do marido dela, ambos foram sequestrados em Coronel Fabriciano e mantidos em cárcere privado. Enquanto o marido era mantido refém, os suspeitos se dirigiram com a funcionária para a agência bancária no bairro Horto, em Ipatinga.

“O que chamou a atenção da Polícia Civil foi o fato da ação criminosa ter sido planejada a partir da coleta das informações pessoais de cada funcionário da agência, o que permitiu ao grupo ameaçar e constranger as vítimas durante o cárcere privado”, explicou o Delegado Washington Alves Moreira Izaias.

O valor financeiro retirado da agência não foi revelado por motivo de segurança. A Polícia Civil orienta aos funcionários de agências bancárias que qualquer movimentação estranha de pessoas nas proximidades de suas residências seja comunicada aos órgãos de segurança, uma vez que é comum os criminosos estudarem a rotina dos profissionais que trabalham nas agências para usarem informações no momento do sequestro.

Todos os suspeitos estão presos, à disposição da Justiça.

Total
26
Shares

Relacionados