Redes Sociais

Últimas Notícias

Romeu Zema propõe união das forças políticas por Minas

Novo governador foi empossado no Plenário da ALMG, em cerimônia conduzida pelo presidente Adalclever Lopes

Romeu Zema (Governador diplomado), Paulo Brant (vice governador diplomado) - Foto: Ricardo Barbosa/ALMG

O novo governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), tomou posse nesta terça-feira (1º/1/19), no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), com a promessa de austeridade e espírito público. Ele propôs um pacto de todas as forças políticas do Estado para recuperar a economia e resgatar a confiança e o orgulho dos mineiros.

A Reunião Solene de Plenário foi conduzida pelo presidente da ALMG, deputado Adalclever Lopes (MDB), e destinou-se também à posse do vice-governador, Paulo Brant (Novo).

Romeu Zema salientou que a escolha do eleitor foi por um novo modelo de exercício da política, expresso na defesa de interesses coletivos e difusos. “Essa é a política do bem. A política que deve ser exaltada e levada adiante para enfrentarmos as dificuldades que a atual conjuntura apresenta”, afirmou.

De acordo com Zema, a previsão de deficit nas contas públicas ultrapassa R$ 30 bilhões em 2019 e, se nada for feito, passará de R$ 100 bilhões nos próximos anos. Por isso, segundo ele, será preciso dialogar com transparência a fim de distinguir o importante do fundamental. “O único caminho que nos resta é o da ação”, sintetizou.

Reformas – O novo governador deixou claro que reformas administrativas e fiscais serão levadas adiante para garantir, por exemplo, o pagamento dos servidores até o quinto dia útil e a volta dos repasses de verbas às prefeituras, além dos investimentos. “E a primeira e mais fundamental atitude a ser tomada é a de reduzir despesas, cortando na carne”, anunciou.

Legislativo será parceiro, aponta presidente

Presidente da ALMG reforçou papel da ALMG como parceira para superação da crise estadual Presidente da ALMG reforçou papel da ALMG como parceira para superação da crise estadual – Foto: Willian Dias
Adalclever Lopes afirmou que a posse do novo Executivo mineiro “prenuncia um momento de intensa renovação, expresso pela vontade dos eleitores, no esforço para superar uma grave crise”. Ele também destacou o papel do Legislativo como um parceiro importante do novo governador.

“Este parlamento, também em parte renovado, está pronto para continuar exercendo suas responsabilidades, atuando como interlocutor permanente da sociedade”, enfatizou. O presidente lembrou ainda a convivência democrática das variadas posições ideológicas no Legislativo e clamou pela solidariedade, entendimento e compromisso de todos.

Prefeitos recepcionam governador eleito

Romeu Zema e Paulo Brant chegaram à Assembleia pela Praça Carlos Chagas, onde o governador eleito fez um pronunciamento à imprensa. Em seguida, eles passaram pelos Dragões da Inconfidência, perfilados no Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira.

A Guarda de Honra dos Dragões da Inconfidência está na origem da Polícia Militar de Minas e simboliza os ideais libertários dos inconfidentes. Dobrados e outras músicas mineiras foram executadas, também nesse momento, pela Banda de Música do Corpo de Bombeiros.

Uma comissão de parlamentares foi designada para recepcionar o governador e o vice e conduzi-los até o Plenário. No caminho, foram saudados por prefeitos, vice-prefeitos, presidentes de câmaras e vereadores.

O grupo foi composto pelos deputados Lafayette de Andrada (PRB), 1º-vice-presidente da ALMG; Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), 2º-vice-presidente; Inácio Franco (PV), 3º-vice-presidente; Agostinho Patrus Filho (PV), líder do Bloco Compromisso com Minas Gerais; Gil Pereira (PP) e pela deputada Celise Laviola (MDB). Bosco (Avante) e Braulio Braz (PTB) também acompanharam a comitiva.

O governador eleito e seu vice entraram no Plenário da ALMG sob a cúpula de aço de cadetes da PMMG. O gesto demonstra honra e respeito ao chefe do Executivo e realça o espírito de disciplina e apreço da corporação. Coube à mineira Negra Mary cantar o Hino Nacional.

Romeu Zema e Paulo Brant entregaram a declaração de bens e fizeram o compromisso constitucional de defesa e cumprimento das leis. Em seguida assinaram o termo de posse lido pelo deputado Arlen Santiago (PTB), 3º-secretário da ALMG, e foram declarados empossados pelo presidente Adalclever Lopes. Eles também receberam exemplares das Constituições Federal e Estadual.

Pimentel – Pela primeira vez, a transmissão do cargo de governador também foi realizada na ALMG, integrada à cerimônia de posse. A solenidade, tradicionalmente realizada no Palácio da Liberdade, foi marcada pela entrega do Grande Colar da Inconfidência, pelo agora ex-governador Fernando Pimentel (PT) ao seu sucessor.

O novo governador, Romeu Zema, e o vice Paulo Brant deixaram o Plenário mais uma vez sob a cúpula de aço, dessa vez formada pelos cadetes do Corpo de Bombeiros. Ambos seguiram para a Cidade Administrativa, onde estava prevista solenidade de início da nova gestão.

Romeu Zema comanda grupo empresarial

Romeu Zema, de 54 anos, é natural de Araxá (Alto Paranaíba). Formado em Administração de Empresas, assumiu a gestão do Grupo Zema em 1991. Sob seu comando, a empresa, fundada em 1923, saltou de quatro para 430 lojas em seis estados brasileiros e hoje gera 5 mil empregos diretos e cerca de 1,5 mil indiretos em vários ramos de atividade.

O vice-governador Paulo Brant nasceu em Diamantina (Central), é engenheiro, economista e ex-professor universitário. Ele já ocupou diversas funções de liderança, entre as quais a presidência da empresa de celulose Cenibra e a Secretaria de Estado de Cultura. Também foi chefe de gabinete do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e superintendente executivo de Relações Institucionais da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

Continua lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

176 vítimas do rompimento da barragem da Vale são identificadas

Governo de Minas Gerais diz que 134 pessoas estão desaparecidas

Corpo de Bombeiros de Minas Gerais localizou 176 corpos de vítimas do rompimento da narragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, região metropolitana de Minas Gerais. Todos os corpos foram indentificados pelo Instituto Médico Legal (IML).

Segundo informações do governo de Minas Gerais, 134 pessoas estão desaparecidas, sendo 31 funcionários da mineradora Vale e 103 trabalhadores terceirizados e moradores da região.

Desde ontem (20), uma equipe do Corpo de Bombeiros está fazendo buscas na área onde funcionava o almoxarifado da Vale. No local foi encontrado um corpo, removido para o IML para identificação.

A tragédia causada pelo rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, a 57 quilômetros de Belo Horizonte, completa hoje (4) 11 dias de buscas.

O almoxarifado foi identificado pelo cruzamento de dados, de localizações georreferenciadas e de indicações do terreno. As buscas na área do almoxarifado se desenvolveram durante esta quinta-feira e continuarão amanhã (22), segundo o Corpo de Bombeiros.

O Corpo de Bombeiros trabalha em sete frentes de buscas na área da barragem que se rompeu no último dia 25 de janeiro. Nesta fase de escavações, o trabalho é mais difícil porque a lama está muito profunda. A corporação mineira atua com apoio de militares de outros estados.

Continua lendo

Últimas Notícias

Polícia prende suspeito de matar ex-namorada em Betim

Ex-namorado é suspeito de matar vítima com vários golpes de martelo na cabeça

A Polícia Civil de Minas Gerais realizou o cumprimento do mandado de prisão preventiva em desfavor de Matheus Vítor Vilela, 22 anos, na última sexta-feira, 15 de fevereiro.

Matheus é suspeito de, no dia 1º de fevereiro, ter assassinado a ex-namorada Akiria Carla Ferreira da Silva, 20 anos, com vários golpes de martelo na cabeça. Na data do crime, o suspeito que insistia em reatar o relacionamento com a vítima, a procurou e a agrediu com diversos golpes fatais.

A vítima foi encontrada na casa dela, no bairro Granja São João, em Betim, gravemente ferida. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu em seguida.

Iniciadas as investigações pela Polícia Civil, o suspeito pelo feminicídio foi identificado, mas, após cometer o bárbaro delito, fugiu para Belo Horizonte, onde ficou escondido até a data da prisão.

Logo após o assassinato, Matheus também subtraiu o aparelho celular da vítima, ocasião em que passou a utilizar rede social dela (Facebook), para ameaçar parentes e amigos de Akíria.

O envolvido, já era investigado pela PCMG pela prática de dez crimes de roubo, contra motoristas do aplicativo ¿’ber”, na cidade de Betim.

Continua lendo

Últimas Notícias

Polícia Civil atua em sequestro de gerente de banco e prende suspeito

A vítima foi feita refém do grupo quando chegava em casa, em Belo Horizonte

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em mais uma ação de pronta resposta, prendeu, nesta quarta-feira (20), Rafael Silveira de Almeida, de 38 anos. Ele é um dos suspeitos de sequestrar um gerente de banco ontem à noite no bairro Guarani, em Belo Horizonte.

Segundo o Delegado Ramon Sandoli, o crime, iniciado ontem (19), é de extorsão mediante sequestro na modalidade “sapatinho” pela sequestração do gerente do banco. A vítima, que tem 29 anos, foi feita refém do grupo quando chegava em casa, em Belo Horizonte. Depois os suspeitos foram até a casa dos pais do gerente, em Betim e da namorada dele, de 21 anos, onde fizeram os reféns juntamente com um amigo, de 20. Mantiveram os quatro no cativeiro, em Ribeirão das Neves, retornando com o gerente para a agência bancária, onde a vítima, com o artefato de simulacro amarrado em seu corpo, tinha a missão de abrir o cofre e retirar o dinheiro para repassá-lo os criminosos.

“A PCMG foi acionada e, por volta das 13h de hoje (20), conseguiu localizar o cativeiro, em Ribeirão das Neves, onde foi feito a liberação dos quatro reféns sem nenhum ferimento e a prisão de um dos suspeitos que estava no cativeiro com uma arma de fogo calibre 22, utilizada, provavelmente para intimidar os reféns”, garantiu o Delegado. O preso, que já tem passagens por roubo, furto e lesão corporal, saiu da prisão em dezembro de 2018.

Para o Delegado Sandoli, a forma de deslocamento dos integrantes da quadrilha é indicativo de que eles conheciam a região, levantando a suspeita de que os autores sejam da região metropolitana de Belo Horizonte, sendo que as investigações prosseguem para identificar e prender os outros envolvidos.

Continua lendo