Redes Sociais

Últimas Notícias

Cuidados simples com a alimentação podem evitar transtornos nas festas de final de ano

Além de fazer escolhas mais saudáveis e equilibradas para o cardápio, é preciso se atentar às condições de armazenamento da ceia de Natal e Réveillon

As festas de final de ano estão chegando e, com elas, os males dos excessos na alimentação. A grande variedade de alimentos nas ceias de Natal e de ano novo pode causar problemas digestivos e até intoxicação, caso os pratos preparados especialmente para as comemorações não sejam armazenados de forma adequada, por exemplo. Por isso, é importante ficar atento a algumas dicas simples, que podem evitar problemas indesejados.

Uma alimentação adequada e saudável deve se tornar rotina, inclusive no período de festas e feriados. Afinal, é possível comer o que se gosta de forma moderada e saudável, evitando problemas como gastrite, diarreia ou intoxicação alimentar. Além disso, é importante considerar que a promoção de uma alimentação saudável envolve mais do que a escolha de alimentos adequados, relacionando-se com o reconhecimento da herança cultural e o valor histórico do alimento, além do estímulo a cozinha típica regional, contribuindo, desta forma, para o resgate das tradições e o prazer da alimentação.

O Guia Alimentar para a População Brasileira, produzido pelo Ministério da Saúde, traz quatro recomendações básicas para manter a alimentação saudável: fazer dos alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação; utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias; limitar o uso de alimentos processados, consumindo-os em pequenas quantidades; e evitar os alimentos ultraprocessados.

Conforme explica a referência técnica da Coordenadoria de Alimentação e Nutrição da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Nathália Ribeiro, se considerarmos o Guia Alimentar para a preparação de ceias mais saudáveis, deve-se preferir alimentos como castanhas, nozes, frutas, leguminosas, carnes magras, cereais, raízes e tubérculos, verduras e legumes.

“Com estes alimentos é possível criar receitas saborosas e saudáveis como, por exemplo, arroz com lentilha, bolo de maçã, peru assado, salada de folhas cruas, purê de batata, salada de frutas, peixe ao molho de legumes, arroz com castanha de caju, entre outras”, explica.

Outra dica é aproveitar os momentos de confraternização para preparar as refeições em casa, compartilhando esta ocasião com família e amigos. Desta forma, pode-se evitar a compra de produtos prontos com grandes quantidades de óleo, açúcar, sal, gordura, conservantes e corantes.

Cuidado especial com o consumo de bebidas alcóolicas

Outra questão que requer cuidado é o abuso de bebidas alcóolicas. Para a referência técnica, Nathália Ribeiro, o ideal é evitar o consumo excessivo, afinal, além do uso abusivo de álcool ser responsável por diversos problemas para a saúde, aumenta também o risco de acidentes no trânsito.

“Se a ideia é ingerir bebida alcoólica, o melhor é consumir com moderação e acompanhada de alguns cuidados. A primeira sugestão é manter o organismo hidratado, intercalando a bebida com água regularmente. Desta forma, você bebe menos e dilui os componentes da bebida, reduzindo a desidratação, que é a principal causa da ressaca”, disse.

Além de intercalar a bebida com água, a alimentação também merece atenção especial. Comer antes de beber e beliscar entre um copo e outro retarda a difusão do álcool no organismo. Já quem acabou ingerindo grandes quantidades de bebida precisa desintoxicar o organismo, eliminar o álcool e repor os nutrientes perdidos. Para repor os sais minerais é recomendado ingerir muita água e água de coco.

Apesar do mal-estar causado pela ressaca, é importante incluir algum alimento na manhã seguinte para recuperar o equilíbrio do organismo. Os alimentos mais indicados são aqueles que oferecem vitaminas, minerais, antioxidantes e água, inibindo assim os efeitos da desidratação. Também é indicada uma refeição leve, contendo frutas, sucos naturais, água de coco e cereais integrais. É importante, ainda, evitar o consumo de alimentos ricos em gordura e sal, como frituras, salsicha, linguiça, bacon, carnes vermelhas, biscoitos recheados e refrigerantes.

Dicas para o armazenamento dos alimentos da ceia

As altas temperaturas requerem alguns cuidados com o armazenamento dos alimentos, evitando a proliferação de microrganismos e as chamadas Doenças Transmitidas por Alimento (DTA). Entre os principais sintomas causados pela comida contaminada estão vômito, diarreia, dor abdominal e náuseas.

A contaminação pode ocorrer tanto pela falta de higienização adequada das mãos, quanto dos utensílios de armazenamento e superfícies da comida. Fatores como a umidade do ar, animais domésticos, lixo e a água utilizada no preparo também podem contribuir para uma possível contaminação.

Devido às altas temperaturas, é importante preparar os alimentos num horário mais próximo possível do consumo. Também não deixe que a comida permaneça exposta à temperatura ambiente, armazene os alimentos perecíveis com boa vedação dando preferência para as embalagens de vidro. Alguns cuidados específicos devem ser tomados com o armazenamento de queijo branco, embutidos, carnes, molhos, patês e bolos recheados.

Além disso, mantenha os alimentos que necessitam de refrigeração dentro de freezers ou refrigeradores até o momento do consumo, guardando-os imediatamente após a alimentação. Ao comprar produtos prontos para consumo verifique se há furos, vazamentos ou qualquer outro dano nas embalagens. O prazo de validade também deve ser verificado, assim como o frescor de produtos vendidos in natura como frutas, verduras e legumes. O uso da maionese deve ser feito exclusivamente em embalagem individual (sachê).

De acordo com a diretora de Vigilância em Alimentos da SES-MG, Ângela Vieira, a qualidade sanitária dos alimentos é uma das condições essenciais para a promoção e manutenção da saúde e deve ser assegurada pela adoção de medidas preventivas e de controle em toda a cadeia produtiva, da origem até o consumo do alimento pronto.

“Para prevenir a intoxicação alimentar é fundamental conservar bem os produtos que serão consumidos. Também é recomendado que o gelo utilizado em bebidas seja industrializado, produzido com água potável e armazenado em embalagem ou recipiente devidamente fechado, limpo e separado de outros alimentos”, explica.

Alimentação fora de casa

Para quem prefere passar as festas fora de casa é importante verificar as condições de organização e limpeza do estabelecimento escolhido. Os funcionários devem utilizar proteção nos cabelos, ter as unhas das mãos curtas, sem esmaltes e limpas. Não é permitido o uso de barba, anéis, alianças, pulseiras e brincos e os uniformes devem estar higienizados e em bom estado de conservação.

Outra questão que deve ser observada é se existem funcionários específicos para as diferentes tarefas executadas no local. Manipuladores de alimentos não devem trabalhar no caixa, por exemplo. Tanto o local, quanto os utensílios utilizados no preparo da comida devem estar limpos e conservados.

Em caso de irregularidades, pode ser feito contato com o serviço de atendimento telefônico 155, que possui uma opção para o registro de denúncias e solicitação de informações referentes à Vigilância Sanitária do Estado de Minas Gerais.

Continua lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

176 vítimas do rompimento da barragem da Vale são identificadas

Governo de Minas Gerais diz que 134 pessoas estão desaparecidas

Corpo de Bombeiros de Minas Gerais localizou 176 corpos de vítimas do rompimento da narragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, região metropolitana de Minas Gerais. Todos os corpos foram indentificados pelo Instituto Médico Legal (IML).

Segundo informações do governo de Minas Gerais, 134 pessoas estão desaparecidas, sendo 31 funcionários da mineradora Vale e 103 trabalhadores terceirizados e moradores da região.

Desde ontem (20), uma equipe do Corpo de Bombeiros está fazendo buscas na área onde funcionava o almoxarifado da Vale. No local foi encontrado um corpo, removido para o IML para identificação.

A tragédia causada pelo rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, a 57 quilômetros de Belo Horizonte, completa hoje (4) 11 dias de buscas.

O almoxarifado foi identificado pelo cruzamento de dados, de localizações georreferenciadas e de indicações do terreno. As buscas na área do almoxarifado se desenvolveram durante esta quinta-feira e continuarão amanhã (22), segundo o Corpo de Bombeiros.

O Corpo de Bombeiros trabalha em sete frentes de buscas na área da barragem que se rompeu no último dia 25 de janeiro. Nesta fase de escavações, o trabalho é mais difícil porque a lama está muito profunda. A corporação mineira atua com apoio de militares de outros estados.

Continua lendo

Últimas Notícias

Polícia prende suspeito de matar ex-namorada em Betim

Ex-namorado é suspeito de matar vítima com vários golpes de martelo na cabeça

A Polícia Civil de Minas Gerais realizou o cumprimento do mandado de prisão preventiva em desfavor de Matheus Vítor Vilela, 22 anos, na última sexta-feira, 15 de fevereiro.

Matheus é suspeito de, no dia 1º de fevereiro, ter assassinado a ex-namorada Akiria Carla Ferreira da Silva, 20 anos, com vários golpes de martelo na cabeça. Na data do crime, o suspeito que insistia em reatar o relacionamento com a vítima, a procurou e a agrediu com diversos golpes fatais.

A vítima foi encontrada na casa dela, no bairro Granja São João, em Betim, gravemente ferida. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu em seguida.

Iniciadas as investigações pela Polícia Civil, o suspeito pelo feminicídio foi identificado, mas, após cometer o bárbaro delito, fugiu para Belo Horizonte, onde ficou escondido até a data da prisão.

Logo após o assassinato, Matheus também subtraiu o aparelho celular da vítima, ocasião em que passou a utilizar rede social dela (Facebook), para ameaçar parentes e amigos de Akíria.

O envolvido, já era investigado pela PCMG pela prática de dez crimes de roubo, contra motoristas do aplicativo ¿’ber”, na cidade de Betim.

Continua lendo

Últimas Notícias

Polícia Civil atua em sequestro de gerente de banco e prende suspeito

A vítima foi feita refém do grupo quando chegava em casa, em Belo Horizonte

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em mais uma ação de pronta resposta, prendeu, nesta quarta-feira (20), Rafael Silveira de Almeida, de 38 anos. Ele é um dos suspeitos de sequestrar um gerente de banco ontem à noite no bairro Guarani, em Belo Horizonte.

Segundo o Delegado Ramon Sandoli, o crime, iniciado ontem (19), é de extorsão mediante sequestro na modalidade “sapatinho” pela sequestração do gerente do banco. A vítima, que tem 29 anos, foi feita refém do grupo quando chegava em casa, em Belo Horizonte. Depois os suspeitos foram até a casa dos pais do gerente, em Betim e da namorada dele, de 21 anos, onde fizeram os reféns juntamente com um amigo, de 20. Mantiveram os quatro no cativeiro, em Ribeirão das Neves, retornando com o gerente para a agência bancária, onde a vítima, com o artefato de simulacro amarrado em seu corpo, tinha a missão de abrir o cofre e retirar o dinheiro para repassá-lo os criminosos.

“A PCMG foi acionada e, por volta das 13h de hoje (20), conseguiu localizar o cativeiro, em Ribeirão das Neves, onde foi feito a liberação dos quatro reféns sem nenhum ferimento e a prisão de um dos suspeitos que estava no cativeiro com uma arma de fogo calibre 22, utilizada, provavelmente para intimidar os reféns”, garantiu o Delegado. O preso, que já tem passagens por roubo, furto e lesão corporal, saiu da prisão em dezembro de 2018.

Para o Delegado Sandoli, a forma de deslocamento dos integrantes da quadrilha é indicativo de que eles conheciam a região, levantando a suspeita de que os autores sejam da região metropolitana de Belo Horizonte, sendo que as investigações prosseguem para identificar e prender os outros envolvidos.

Continua lendo