Redes Sociais

Últimas Notícias

Justiça determina internação que homem que matou vizinha em BH

Crime ocorreu em 2017, no bairro Coração Eucarístico

Ezequiel Miranda da Silva, que, em abril de 2017, no bairro Coração Eucarístico, em Belo Horizonte, matou a estudante Isabella e feriu seu pai, foi considerado inumputável (isento de pena) pela Justiça, por ser portador de “doença mental associada a uma perturbação da saúde mental”.

A decisão é da juíza sumariante do 2º Tribunal do Júri da capital, Âmalin Aziz Sant’ Ana, que determinou sua internação em hospital psiquiátrico por tempo indeterminado, pelo prazo mínimo de três anos. Laudos médicos periciais concluíram que o denunciado, ao tempo da ação, era inteiramente incapaz de entender o caráter criminoso do fato e de se determinar com este entendimento.

O Ministério Público (MP) requereu a absolvição do acusado, com a imposição da medida de segurança de internação, pedido que foi reiterado em parte pela assistência da acusação. A defesa também pediu a absolvição do réu para realização de tratamento ambulatorial.

De acordo com a denúncia do MP, no dia 29 de abril de 2017, o acusado invadiu o prédio onde Isabella morava, surpreendendo-a dentro do carro, na garagem do prédio, enquanto esperava os pais para sair. Nesse momento, Ezequiel desferiu várias facadas na jovem. Os ferimentos em Isabella foram fatais. Ao chegar à garagem e tentar socorrer a filha, o pai também foi esfaqueado por Ezequiel.

Em seguida, ainda segundo o MP, Ezequiel subiu para o apartamento da vítima em perseguição à mãe e à irmã da estudante. Cada uma delas se trancou em um banheiro do apartamento. Ezequiel conseguiu arrombar a porta do banheiro onde a mãe se escondia, ameaçou a mulher, feriu-a e a colocou para fora do apartamento.

Em seguida, Ezequiel jogou álcool no sofá e ateou fogo, ciente de que a irmã de Isabella estava trancada no banheiro. Nesse momento policiais militares entraram no apartamento, renderam Ezequiel e apagaram o fogo, salvando a irmã de Isabella.

Durante o andamento do processo foram ouvidas testemunhas, as vítimas sobreviventes e o acusado, que exerceu seu direito de não responder às perguntas durante a audiência. “Conforme relatado pelas vítimas e pelos próprios familiares do acusado, constata-se a alta periculosidade de Ezequiel, que planejou o crime, proferiu ameaças e deseja matar toda a família. Por isso, a internação é medida necessária para a garantia da ordem pública que foi abalada pelo ato infracional praticado pelo réu”, registrou a magistrada.

Ezequiel deve aguardar preso a vaga no hospital psiquiátrico. Após o período de internação fixado pela Justiça, nova perícia médica deve ser repetida a cada ano ou quando assim determinar o juiz da execução.

De TJMG

Continua lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Dois homens são assassinatos a tiros em Sabará, na Grande BH

Conforme PM, mais de 20 tiros foram disparados nas vítimas

A Polícia Militar (PM) procura por suspeitos de assassinar dois homens a tiros na madrugada deste sábado (16), no bairro Itacolomi, em Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo a PM, testemunhas disseram que às vítimas, Ariel Henrique da Silva, de 24 anos, e Adenísio Honorato Rodrigues, de 41, estavam conversando em frente de casa, na Rua Peçanha.

Após um tempo, foram ouvidos barulho dos disparos. De acordo com militares, mais de 20 tiros foram disparados nas vítimas. A perícia esteve no local e encaminhou os corpos para o Instituto Médico Legal (IML).

Continua lendo

Últimas Notícias

Ônibus é incendiados em Betim, na Grande BH

Motorista e cobrador foram rendidos por criminosos armados que colocaram fogo no veículo

Foto: Divulgação/Polícia Militar

Um ônibus foi incendiado durante a manhã desta sexta-feira (15), no Parque Ipiranga, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, por criminosos armados que renderam um motorista e um cobrador.

Conforme a Polícia Militar (PM), as vítimas contaram que foram abordadas e ameaçadas por três jovens, que aparentavam ser menores de idade, que a dupla descesse do veículo e, na sequência, jogaram líquido inflamável e atearam fogo.

Após o ato, os três pessoas que estavam armados e fugiram logo após o ato infracional. O ônibus da linha 191 (Centro/Charneca) ficou completamente destruído. O Corpo de Bombeiros chegou a foi acionado, mas as chamas já tinham sido controladas por populares.

Até o momento ninguém foi detido.

Continua lendo

Últimas Notícias

Brumadinho: operação do MPMG prende oito funcionários da Vale

Mandados foram cumpridos em Minas, Rio e São Paulo

Oito funcionários da mineradora Vale foram presos temporariamente hoje (15) em uma operação deflagrada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), com o apoio das policias civil e militares dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Os alvos dos mandados de prisão cumpridos nesta manhã são suspeitos de responsabilidade criminal pelo rompimento da barragem Mina do Córrego do Feijão em Brumadinho.  Entre os presos estão quatro gerentes e quatro técnicos diretamente envolvidos na segurança e estabilidade do empreendimento. Todos ficarão detidos por 30 dias e serão ouvidos pelo MPMG em Belo Horizonte. Além dos crimes de homicídio qualificado, eles poderão responder por crimes ambientais e falsidade ideológica.

Estão sendo cumpridos ainda 14 mandados de busca e apreensão nos três estados, incluindo a sede da empresa Vale no Rio. Foram levados pelos agentes computadores e documentos em diferentes endereços.

Em nota, a Vale informou que continua colaborando com as autoridades responsáveis pelas investigações. “A Vale permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos, juntamente com o apoio incondicional às famílias atingidas.”

Há duas semanas, o MPMG, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal conduziram outra ação em decorrência do rompimento da barragem de Brumadinho, que resultou na prisão temporária de três funcionários da Vale responsáveis pelo empreendimento e dois engenheiros terceirizados que atestaram a segurança da barragem. Eles já foram liberados.

Continua lendo