Redes Sociais

Últimas Notícias

Arraial de Belo Horizonte contabiliza mais de 200 mil pessoas no período junino da cidade

Foram cinco dias de eventos na Praça da Estação e cerca de 250 festas juninas cadastradas pela Belotur, de 15 de junho a 15 de julho

Arraial de Belô 2018 – Foto: Elberty Valadares

Belo Horizonte viveu o maior Arraial de sua história. Em um mês de programação junina na cidade, que começou em 15 de junho e foi encerrada neste domingo, 15 de julho, entre festas nas ruas, clubes, escolas, igrejas e quermesses, a Belotur contabilizou mais de 200 mil pessoas participantes nos cerca de 250 eventos da programação associada do Arraial de Belo Horizonte.

Somente na Praça da Estação, em cinco dias de programação, 90 mil pessoas estiveram presentes e puderam conferir os tradicionais concursos de quadrilhas, degustar as delícias da Vila Gastronômica e curtir shows como o da dupla sertaneja Bruno & Marrone, que fechou a programação com a praça completamente ocupada pelos fãs.

Em pesquisa realizada pela Belotur, por meio do Observatório do Turismo, com o aumento de 28,6% do público na Praça da Estação em relação a 2017, que contou com 70 mil pessoas, a movimentação financeira neste ano chegou a R$ 2,74 milhões. Outro dado que vale a pena ressaltar é o aumento do gasto médio diário no Arraial de Belo Horizonte na Praça da Estação, que chegou a R$30,50, aproximadamente 27% maior do que 2017, que alcançou R$24,00.

“O Arraial de Belo Horizonte é, sem sombras de dúvidas, um dos maiores eventos da cidade e a prova disso é o número significativo de festejos juninos promovidos durante o período oficial, além de toda movimentação econômica que gira em torno da festa. Estamos agregando e valorizando as festas juninas da cidade e, com isso, aquecendo a cadeia produtiva, gerando emprego e renda e promovendo o destino turístico Belo Horizonte, que está entre os cinco mais importantes do país quando o assunto é Arraial. Hoje nós temos o tripé do Arraial de Belo Horizonte bem definido e estruturado: a tradição e a qualidade das quadrilhas, os grandes shows na Praça da Estação e a nossa gastronomia, um dos nossos principais atrativos turísticos, que ganhou holofotes nesta 40ª edição da festa”, comenta Aluizer Malab, presidente da Belotur.

Segurança e conforto

Um evento seguro, confortável, que preza pelas tradições juninas ao mesmo tempo em que inova, ousa e propõe surpresas para o público. Foi assim que o Arraial de Belo Horizonte 2018 se reinventou na Praça da Estação em sua 40ª edição. De acordo com a pesquisa de satisfação realizada pela Belotur, por meio do Observatório do Turismo de Belo Horizonte, de zero a dez, o evento na Praça da Estação, no geral, ganhou nota 8,8. Destaque para a organização, que ficou com nota 9,0; decoração, que obteve 9,2; shows, com 9,0; e qualidade das comidas e sensação de segurança, ambas com nota 8,8.

Foram mais de 500 entrevistados durante os dias 30/6 e 1º/7. Vale ressaltar que 74% dos entrevistados que participaram de outras edições do Arraial consideraram que o evento melhorou nos seguintes aspectos: organização geral da festa e sensação de segurança. Nenhuma ocorrência grave foi registrada pela Guarda Municipal nem pela Polícia Militar de Minas Gerais.

Vila Gastronômica

Outra excelente nota registrada pela pesquisa foi para a Vila Gastronômica, avaliada com nota 9. Um dos destaques da organização do evento deste ano, a Vila Gastronômica teve ambientação junina e conjuntos de mesas e cadeiras de madeira, que foram bem aproveitadas por quem ali degustou a boa comida de restaurantes típicos mineiros, assim como as receitas vencedoras do Concurso Prato Junino, que também foram comercializadas no local. No último fim de semana, a Vila contou também com a Carreta-Escola do Senac, promovendo aulas-show de culinária, gratuitamente, para quem se interessou. ​ Todos os quesitos avaliados tiveram nota superior às da avaliação de 2017.​

A Vila Gastronômica pode, inclusive, ser a justificativa de outro bom aspecto registrado pela pesquisa do Observatório do Turismo de Belo Horizonte. Em 2018 o gasto médio por participante no evento foi de R$30,50, o que significa aumento de 27% em relação a 2017, quando foi registrado R$24,00 de gasto por participante.

Segurança, saúde e limpeza

Durante os cinco dias de evento na Praça da Estação, o esquema de segurança contou com a presença de 144 policiais militares a pé em 10 pontos de policiamento, além de 46 viaturas. Foram disponibilizadas, ainda, 79 viaturas da Guarda Municipal no entorno do evento para controle até a dispersão e 433 Guardas Municipais dentro da praça.

Para auxiliar, 99 bombeiros trabalharam no Arraial de Belo Horizonte e contaram com 10 viaturas durante todo o evento. Três ambulâncias do SAMU deram suporte nos dois fins de semana de programação junina na praça. A BHTrans, que precisou alterar rotas de trânsito no entorno da Praça da Estação, contou com 147 agentes e 45 viaturas.

Já a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) recolheu mais de nove toneladas de lixo, reunidos em 849 sacos de lixo por 135 garis. “O resultado foi um evento seguro, sem nenhuma ocorrência policial grave registrada, limpo e planejado, que proporcionou conforto para cerca de noventa mil pessoas”, relatou Gilberto Castro, diretor de Eventos da Belotur.

Continua lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Polícia prende 11 pessoas durante operação em Uberaba

Um suspeito encontra-se foragido e está sendo procurado

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) participou, nesta quinta-feira (17), da Operação “Retorno” em conjunto com as forças de segurança que compõem o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em Uberaba. Ao todo, foram cumpridos oito mandados de prisão, sendo cinco contra investigados que estavam em liberdade e três em desfavor de pessoas que já estavam detidas no Sistema Prisional por outros delitos. Um suspeito encontra-se foragido e está sendo procurado.

Outras três prisões em flagrante foram efetuadas no curso da operação, duas por tráfico de drogas e uma por posse ilegal de munição calibre 9mm. A ação policial é um desdobramento da Operação “Dilúvio”, resultante de provas que foram compartilhadas com a Polícia Civil, a qual realizou diligências adicionais e conseguiu os mandados de prisão preventiva junto à Justiça em Uberaba.

A quadrilha investigada é especializada em roubos de veículos, inclusive é acusada de orquestrar e executar um roubo de um carro sedan de luxo ocupado por mulheres indefesas. O veículo teria sido utilizado em pelo menos mais uma ocorrência, o roubo de uma caminhonete de luxo.

“Retorno” refere-se ao retorno da prova produzida durante a Operação “Dilúvio”, ao retorno das operações conjuntas das forças de segurança e o retorno de pessoas perigosas à prisão.

Continua lendo

Últimas Notícias

Empresa lança operação de bikes e patinetes em Belo Horizonte

Bicicletas e patinetes elétricos estão disponíveis no Centro, Savassi, Santa Efigênia, entre outros

Área atendida – Foto: Divulgação

A Yellow, empresa brasileira de soluções de mobilidade urbana individual, passa a oferecer o serviço de compartilhamento de bicicletas no sistema dockless (sem estação para retirada e devolução) e patinetes elétricos em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

A empresa inicia a operação piloto na região dos bairros Centro, Savassi, Santa Efigênia, Santo Agostinho, Lourdes, Funcionários, Carmo, Cruzeiro, Anchieta e Sion com mais de 500 bikes e 250 patinetes, ambos com preço acessível – R$ 1 a cada 10 minutos para as bikes e R$3,00 o desbloqueio + R$0,50 a cada minuto de uso do patinete.

As bikes, que estarão disponíveis inicialmente em pontos privados parceiros, podem ser usadas de segunda a segunda, 24 horas por dia, e estacionadas depois em qualquer lugar dentro da área de atuação da Yellow na cidade, em locais onde o estacionamento de bicicletas é permitido (paraciclos e vagas comum de veículos, perpendicularmente ao sentido da via).

Já os patinetes estarão disponíveis todos os dias da semana das 8 às 20 horas. “Começamos com mais de 30 pontos parceiros para bikes e patinetes e outros estão em cadastramento. A Yellow disponibiliza todas as manhãs os patinetes nesses locais; já o usuário pode encerrar a corrida em um desses pontos ou em qualquer local da área de atendimento, contanto que tome cuidado para não atrapalhar o fluxo de pedestres”, explica um dos fundadores da Yellow, Ariel Lambrecht. No final do dia a Yellow recolhe os patinetes para recarga, manutenção e limpeza. E na manhã seguinte, os disponibiliza novamente para uso nos pontos privados.

Assim como em São Paulo, as corridas podem ser pagas com cartão de crédito e dinheiro. Os créditos para uso das bicicletas poderão ser comprados em dinheiro em bancas de jornal e lojas, entre outros estabelecimentos parceiros espalhados pela cidade, como lanchonetes, que vão receber o valor em espécie e transferir, na hora, o montante para o app do usuário, como já acontece com as recargas de celular.

“Temos acompanhado com atenção e contribuído com as ações da BHTrans no chamamento público para operação de bicicletas compartilhadas e, tão logo o modelo sem estação seja contemplado, procederemos com as adequações legalmente exigíveis”, completa Lambrecht.

A Yellow, primeira empresa de compartilhamento de bicicletas sem estações do Brasil, iniciou suas operações em São Paulo em 2 de agosto e que acaba de somar um milhão de corridas. Enquanto amplia e consolida sua operação no Brasil, a Yellow também inicia sua atuação em outros países da América Latina.

Impacto positivo na cidade

Para garantir a melhor experiência do cidadão, preservar o ambiente urbano, apoiar boas práticas do usuário e respeitar toda a sociedade, a Yellow inicia a operação em Belo Horizonte com iniciativas de manutenção, organização do espaço físico e incentivo ao uso responsável. Os ‘Guardiões Yellow’ circularão todos os dias da semana para mapear bicicletas e patinetes, organizá-los, redistribuí-los estrategicamente e retirá-los para manutenção quando necessário, contribuindo, assim, para a melhor distribuição e posicionamento das bicicletas pela cidade, além de apoiar os usuários e garantir as boas práticas.

Continua lendo

Últimas Notícias

Carro desce ladeira e cai sobre casa na Região da Pampulha, em BH

Motorista do carro ficou ferido

Carro parou sob a casa — Foto: Marcelo Costa/Defesa Civil

Um carro descontrolado desceu uma ladeira e caiu sobre uma casa no bairro Cachoeirinha, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte, durante a tarde desta sexta-feira, 18.

De acordo com o Corpo de Bombeiro, o carro desceu uma ladeira, atingiu uma parede e o telhado da casa. Ninguém do imóvel ficou ferido.

A Defesa Civil foi esteve no local onde vistoriou e disse que não há risco de desabamento.

Segundo o corporação, o acidente aconteceu na Rua Flor da Cachoeira e deixou o motorista ferido. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Continua lendo