Redes Sociais

Últimas Notícias

Programação do Arraial de Belo Horizonte tem novidades gastronômicas para esse fim de semana na Praça da Estação

Concurso de Quadrilhas do Grupo Especial e show de Bruno & Marrone são destaques da programação

Arraial de Belo Horizonte 2018 – Foto: Divulgação/Belotur

O Arraial de Belo Horizonte terá mais uma novidade em relação à gastronomia mineira junina, que neste ano ganhou holofotes em sua programação. Neste fim de semana, entre os dias 30/6 e 1º/7, sábado e domingo, a Vila Gastronômica montada na Praça da Estação vai contar com a Carreta-Escola do Senac, onde alunos de gastronomia da Faculdade irão ministrar oficinas ensinando aos participantes inscritos como preparar as receitas que concorreram ao Concurso Prato Junino, desenvolvido pela Belotur.

As oficinas são gratuitas para o público máximo de 20 participantes por aula, por ordem de chegada. As inscrições acontecem minutos antes das oficinas e são feitas na própria Carreta-Escola. Ao final, os participantes poderão degustar as delícias produzidas pelos alunos do Senac. Confira a programação:

Sábado 30/06
15h00 às 16h00 – Pastel de Moela (alunas: Ana Luiza Miranda Knauer e Clara Gomes Vigano)
17h00 às 18h00 – Bolinho de batata doce recheado com frango (aluna: Marlei do Carmo Meirelles)
19h00 às 20h00 – Camadas de Junho (aluna: Ana Claudia Soares Silva)

Domingo 01/07
15h00 às 16h00 – Pastel de Moela (alunas: Ana Luiza Miranda Knauer e Clara Gomes Vigano)
17h00 às 18h00 – Bolinho de batata doce recheado com frango (aluna: Marlei do Carmo Meirelles)
19h00 às 20h00 – Camadas de Junho (aluna: Ana Claudia Soares Silva)

Beija-Flor de Minas é campeã do Grupo de Acesso do Arraial de Belo Horizonte 2018

A quadrilha Beija-Flor de Minas é a grande campeã do Grupo de Acesso do Concurso Municipal de Quadrilhas, uma das atrações do Arraial de Belo Horizonte 2018. O resultado foi anunciado após a apuração de notas do concurso, realizada na tarde desta terça-feira, 26/06, no coreto do Parque Municipal. A segunda colocada, a Quadrilha Trem D’Minas, obteve a mesma pontuação da primeira, mas ficou em segundo lugar por conta de critérios de desempate. O terceiro lugar ficou com o Grêmio Recreativo Arriba Saia e a quarta posição com o Arraial do Milho Verde. As quatro primeiras colocadas se apresentam no Grupo Especial, no ano que vem.

Premiações

Os quatro primeiros colocados do Grupo de Acesso se apresentam, em 2019, no Grupo Especial, e os cinco primeiros colocados do Grupo recebem os seguintes prêmios:

1º: R$ 12.000,00 (Beija-Flor de Minas)

2º: R$ 10.000,00 (Trem D’Minas)

3º: R$ 8.000,00 (Arriba a Saia)

4º: R$ 6.000,00 (Arraial do Milho Verde)

5º: R$ 5.000,00 (Quadrilha Nova Geração)

PROGRAMAÇÃO ARRAIAL DE BELO HORIZONTE – Praça da Estação

No sábado, o Concurso Estadual de Quadrilhas começa às 15h30. Já o Grupo Especial do Concurso Municipal sobe ao tablado a partir das 19h30. Os embalos ficam por conta do show da Nolli e Brothers e Rick e Ricardo.

No domingo, a festa começa mais cedo. Às 14h as quadrilhas do Estadual mostram suas coreografias. As últimas agremiações do Grupo Especial do Concurso Municipal estão marcadas para começar às 17h30. O grande encerramento da festa fica por conta da dupla sertaneja nacionalmente conhecida, Bruno & Marrone.

Vila Gastronômica

O charmoso espaço, com mesas e cadeiras de madeira e decoração de chita, foi uma atração no primeiro fim de semana do Arraial de Belo Horizonte. Também não é para menos: comida boa e conforto são, sempre, sinônimos de sucesso.

A Vila Gastronômica é realizada em parceria com a ABRASEL e a Frente da Gastronomia Mineira e conta com a presença dos restaurantes Dona Lucinha, Maria das Tranças e Sport Bar. No espaço, o público pode, também, saborear os pratos vencedores do Concurso Prato Junino, das faculdades UNA e Promove.

Ainda dentro da vila está a Tenda Saberes Alimentares, criada em parceria com a Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional (SUSAN). Nela, expositores de projetos sociais ligados à prefeitura vendem quitutes juninos.

Banco de Alimentos

Quem frequentou o Arraial de Belo Horizonte neste fim de semana ainda teve a oportunidade de praticar a solidariedade. O projeto Banco de Alimentos, também da SUSAN, recolheu doações de alimentos não perecíveis para distribuição para pessoas em situação de vulnerabilidade social. A ação continua no próximo fim de semana.

Segurança

O esquema de segurança na Praça da Estação, entre os dias 22 e 24 de junho, contou com a presença de 34 policiais militares a pé em 10 pontos de policiamento, além de 8 viaturas. Foram disponibilizadas, ainda, 8 motocicletas da Guarda Municipal no entorno do evento para controle até a dispersão, mais 100 Guardas Municipais dentro da praça. O resultado foi um evento seguro, sem nenhuma ocorrência policial registrada.

SERVIÇO

PROGRAMAÇÃO PRAÇA DA ESTAÇÃO

● Concurso Estadual de Quadrilhas Juninas
30 de junho, a partir das 15h30 e 1º de julho, às 14h

● Concurso Municipal de Quadrilhas Juninas
Grupo Especial: 30 de junho, a partir das 19h30. 1º de julho, a partir das 17h30.

SHOWS
30/6
23h: Nolli e Brothers
00h: Rick e Ricard

1º/7
21h30: Bruno e Marrone

Continua lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Morador será indenizado por erro da polícia na identificação de criminoso

Juiz entendeu que o agente do Estado cometeu um erro, porque não verificou com atenção a identificação do autor real dos delitos

Um morador de Ipatinga, no Vale do Aço, por ter o nome igual ao de um criminoso, foi identificado equivocadamente pela polícia. Ele será indenizado em R$ 10 mil pelo Estado de Minas Gerais. A decisão é da Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Ipatinga e foi confirmada em relação aos danos morais pela 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

O homem alegou que recebeu uma comunicação da Defensoria Pública de Ribeirão das Neves informando-lhe que devia ingressar com pedido de liberdade, pois havia um mandado de prisão em aberto contra ele. Depois de fazer uma pesquisa, descobriu que uma pessoa com o mesmo nome respondia por diversos crimes.

Ele propôs um incidente de falsidade ideológica para corrigir o erro de identificação, mas o mandado de prisão ainda persistiu. Foi necessário ingressar com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça para conseguir um salvo-conduto.

O juiz Fábio Torres de Sousa, da Comarca de Ipatinga, entendeu que o agente do Estado cometeu um erro, porque não verificou com atenção a identificação do autor real dos delitos. “Claro que o erro derivou de negligência do Estado. Por causa desse erro, o morador de Ipatinga se viu processado, com seu nome inscrito no registro criminal de Ribeirão das Neves”, sentenciou.

O Estado sustentou que não há prova de causa e efeito capazes de resultar em indenização por dano moral. Alegou ainda falta de comprovação.

Danos

O relator do recurso no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Elias Camilo Sobrinho, ponderou que, quando se trata da atuação estatal, a responsabilidade civil é analisada sob a ótica da teoria do risco administrativo.

O magistrado citou o artigo 37, § 6º da Constituição da República, que associa às pessoas jurídicas de direito público a necessidade de responder pelos danos causados por seus agentes a terceiros.

O desembargador considerou que, nesse caso, não resta a menor dúvida de que o morador de Ipatinga foi vítima de erros cometidos por agentes do Estado de Minas Gerais.

Ele passou a figurar como autor de diversas ações criminais, por roubo e homicídio qualificado, nas quais foi emitido, inclusive, um mandado de prisão.

Assim, os problemas pelos quais passou não configuram apenas aborrecimentos do dia a dia, como afirmou o Estado de Minas Gerais, mas causam uma profunda angústia e abalo psicológico, concluiu.

Os desembargadores Judimar Biber e Jair Varão acompanharam o voto do relator, desembargador Elias Camilo Sobrinho.

Continua lendo

Últimas Notícias

Brumadinho: número de mortes confirmadas sobe para 224

Tragédia de Brumadinho ocasionou também contaminação do Rio Paraopeba, que passou a apresentar nível de cobre 600 vezes maior do que o normal,

A Defesa Civil de Minas Gerais atualizou para 224 o número de mortes confirmadas após o rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Vale em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

A barragem da Mina do Córrego do Feijão rompeu-se em 25 de janeiro deste ano. A tragédia de Brumadinho ocasionou, além da morte de funcionários da mineradora e moradores da cidade, a contaminação do Rio Paraopeba, que passou a apresentar nível de cobre 600 vezes maior do que o normal, conforme apurou a Fundação SOS Mata Atlântica. O rio era responsável por 43% do abastecimento público da região metropolitana de Belo Horizonte.

Após o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, a mineradora atualizou a situação de outras barragens. Desde então, o receio de novas tragédias fez com que mineradoras passassem a reavaliar suas estruturas em todo o país e a aumentar o fator de segurança de algumas delas, de um para dois. No início de abril, a Vale afirmou que 17 de suas barragens não tinham declaração de estabilidade válida.

Além de Brumadinho, já foram evacuadas pela Vale comunidades nas cidades mineiras de Rio Preto, Barão de Cocais, Nova Lima e Ouro Preto. Moradores também já foram retirados de suas casas nos municípios mineiros de Itatiaiuçu, devido aos riscos envolvendo uma estrutura da Arcellor Mittal, e de Rio Acima, após problema constatado pela empresa Minérios Nacional.

Processos

Em decorrência do episódio, a Vale responde a processo na Justiça para reparação dos danos às vítimas e ao meio ambiente. A empresa já teve mais de R$ 13 bilhões bloqueados por decisão judicial.

Em março, representantes do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciaram em audiência na Assembleia Legislativa de Minas Gerais que a mineradora estava atrasando pagamentos emergenciais às famílias afetadas.

Continua lendo

Últimas Notícias

Previsão do tempo para Minas Gerais, nesta segunda-feira, 8 de abril

Variação de nebulosidade ainda tem possibilidade de chuvas isoladas

Nesta segunda-feira (8/4), a permanência de um centro de baixa pressão sobre o Oceano, nas imediações do litoral de São Paulo, mantém áreas instabilidades e consequentemente condições para pancadas de chuva no Noroeste, Oeste e Sul de Minas Gerais. Nas demais regiões mineiras, variação de nebulosidade e possibilidade de chuvas isoladas, decorrentes do ciclo diurno de temperatura e umidade.

Continua lendo