fbpx
Redes Sociais

MF Press Global

‘Corpos magérrimos do Instagram não são a vida real’, diz coach nutricional Gabi Lodewijks

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

• atualizado em 29/04/2020 às 15:56

Em busca de motivação e até mesmo de um colírio para os olhos, muitos começam a seguir nas redes sociais digital influencers que se dedicam ao fitness, beleza e boa forma, e que ostentam corpos sarados dignos do panteão grego em seus perfis no Instagram, compartilhando por lá um estilo de vida de muita malhação e dieta, mas também certo glamour. Mas afinal, até onde vai o limite entre a realidade e os músculos exibidos nas redes sociais?

A coach nutricional Gabi Lodewijks, criadora do projeto internacional ‘Vida Saudável’ utiliza as redes sociais para comunicar-se com mulheres do mundo inteiro e motivá-las a mudarem seu estilo de vida para conseguir mais saúde e emagrecimento sustentável. No entanto, ela alerta que os corpos magérrimos e sarados exibidos diariamente por influencers no Instagram pode dar uma ideia distorcida aos seguidores: “Os corpos magérrimos que vemos nas redes em sua grande maioria não representam a mulher real. Não se trata de apenas ter o corpo magro, mas buscar a perfeição com procedimentos cirúrgicos, sem celulite, sem nenhuma dobrinha de gordura, botox nos lábios e rosto, alinhamento facial. Que mundo alienado é esse? As mulheres andam com a autoestima baixa porque vivem querendo se comparar com bonecas de plástico das redes sociais e esquecem que elas também têm problemas, mas claro, nas redes sociais querem mostrar uma vida perfeita”.

Vivian Costa / MF Press Global

Distorção de imagem causada pelas redes sociais

Com a superexposição de corpos esculturais, Gabi Lodewijks aponta que a sociedade enfrenta distorções quanto a autoimagem e a realidade do corpo: “Não se pode acreditar totalmente no que se vê na internet. E também se render a estes padrões inalcançáveis para a maioria são frustrantes e causam distorções de autoimagem e relação com o próprio corpo gravíssimas. Mulheres reais não precisam seguir padrões de beleza, assumindo seu corpo como ele é. Celulites e marcas no corpo são algo normal e passar anos buscando uma beleza que faça sentido aos olhos dos outros é perda de tempo”.

A cultura nos condiciona a engordar

Gabi também aponta que o emagrecimento se dá com uma mudança de mentalidade e abandono de práticas instauradas pela sociedade em nossa mente desde muito cedo: “crescemos ganhando comida como recompensa de um dia bom na escola, recebendo doces, bala, chocolate ou sorvete como prêmio por se comportar bem. Na fase jovem e adulta tendemos a nos premiar com comida, tendemos afogar as mágoas num pote de sorvete ou na bebida alcoólica. Comemoramos o emprego novo com um jantar e assim por diante. Tudo gira em torno de eventos sociais ligados à comida e bebida. A cultura nos condiciona a engordar, e fazer dieta hoje em dia pode ser sinônimo para alguns de dar adeus à vida social. O que não é necessário pois e possível sim mudar hábitos e emagrecer mesmo tendo vida social, a questão e aprender a ter um balanço .”.


A magreza como ideal de beleza

A coach nutricional vive na Holanda, e revela que mesmo no berço da civilização ocidental, que é a Europa, o padrão de beleza mudou muito: “Antigamente aqui na Europa ser magro era coisa de plebeu, porque o acesso a comida era escasso, então quem tinha dinheiro pra comer era mais gordinho, fofinho e eram os ricos e nobres. Hoje em dia o acesso aos alimentos é muito mais fácil e ser magro passou a ser o novo padrão de beleza, que até o século 19 era ser gordinho. Mulheres mais curvilíneas eram consideradas ideal de beleza. Hoje há uma grande cobrança sobre as mulheres para que sejam magras e sensuais. Homens mais barrigudinhos, que bebem e comem sem constrangimento e com cabelo grisalho não são tão criticados como uma mulher que opte por fazer isso tudo e ainda tiver alguns fios brancos. Ela é drasticamente criticada. Mundo cruel e sociedade injusta”.

Rede Social como ferramenta de empoderamento

Gabi Lodewijks ressalta que usa as redes sociais como ferramenta de empoderamento e elevação de autoestima : “Trabalho com nutrição comportamental utilizando ferramentas de neurolinguística para ajudar na criação de um novo estilo de vida. O Projeto Vida Saudável já ajudou mais de mil mulheres e continua transformando vidas. Minha satisfação é enorme quando vejo  clientes mentalmente saudáveis, se livrando de crenças limitantes, pensamentos sabotadores, se aceitando, se amando e com sua autoestima lá em cima”.


Como emagrecer de forma saudável?

Para a especialista, o emagrecimento precisa ser sustentável e ter as motivações corretas: “Quer emagrecer porque não se sente satisfeita por uma questão pessoal ? Ótimo! A mudança começa pela mente, mudar hábitos e criar um estilo de vida sustentável ao meio em que você vive sem querer seguir padrões de beleza estipulado pela mídia. Existe uma grande diferença entre ter que emagrecer  ou decidir emagrecer. Emagrecer é uma decisão e quando você decide, cria um plano de ação e se compromete com isso, não há por que dar errado e para manter é necessário mudar sua mente e criar um estilo de vida saudável”.

MF Press Global

Do Brasil para o mundo: Instituto Nossa Missão leva ajuda para apátridas da República Dominicana

Por

Reprodução / MF Press Global

Em 2019, quatro amigos se reuniram com o objetivo de cuidar de pessoas vulneráveis e em situação de risco, realizando obras de caridade em Brasília. Assim surgia o Instituto Nossa Missão, que hoje atua no Distrito Federal cuidando de menores e na República Dominicana em um trabalho desenvolvido com apátridas naquele país.

Erika Helenn, diretora do Instituto, revela um pouco da história do Instituto: “Motivados por preceitos e valores cristãos, nos unimos em prol daqueles que estão à margem da sociedade. Por isso a logo do Instituto possui quatro corações: um verde que simboliza esperança e saúde, um azul que passa serenidade, harmonia e amizade, um amarelo simbolizando otimismo e alegria e um coração laranja simbolizando sucesso, e por fim a cor branca da paz.

Atuação Internacional

Os diretores do Instituto Nossa Missão vão à República Dominicana a cada 4 meses para levar mais doações e ficarem mais próximos desse projeto, que começou durante a primeira visita de Erika Helenn e seu esposo Fause Nabil El Haje ao país caribenho: “presenciamos o preconceito e a segregação étnica, manifestos no racismo e na discriminação que afeta dominicanos de ascendência haitiana e os haitianos que vivem naquele país. Muitos meninos e meninas, que nasceram nas províncias da República Dominicana, quando tentam tirar seu registro civil para obter a sua cédula de identidade, os oficiais lhe negaram porque seus pais eram haitianos, negando-lhes os direitos civis”, relata a diretora do Instituto.

Segundo a ONG, apesar de o Estado dominicano reconheceu como cidadãos dominicanos, os filhos e filhas nascidos em seu território de pais estrangeiros, sem importar seu status migratório, essas pessoas se depararam com uma sentença do Tribunal Constitucional da República Dominicana que transformou da noite para o dia mais de 200 mil pessoas sem pátria.
Segundo dados da Anistia Internacional, a República Dominicana está entre os cinco países do mundo com mais pessoas apátridas: cerca de 250.000, por serem descendentes de haitianos.

Projeto Filhos do Acaso

O projeto Filhos do Acaso, desenvolvido pelo Instituto Nossa Missão na República Dominicana consiste em atender as crianças apátridas e suas famílias descendentes de haitianos ou haitianos imigrados recentemente para lá em situação de extrema pobreza e vulnerabilidade social: “Essas famílias vivem em casas feitas de latas, onde não há o mínimo de saneamento básico e nem consumo de água potável”, relata Erika.

Como ajudar?

O Instituto Nossa Missão entrega cestas básicas para essas famílias, doação de roupas e calçados principalmente para as crianças, vitaminas, kit dental e sabonete para higiene das mãos antes das refeições e após fazerem suas necessidades fisiológicas. Também fazem a doação de anticoncepcionais para as mulheres da comunidade, atuando no planejamento familiar.

Para fazer doações é possível entrar em contato pelo site http://www.institutonossamissao.com.br

Continuar lendo

MF Press Global

Doutor Gato: Dr. Gabriel Magalhães foi considerado por internautas o mais belo profissional da estética do Brasil

• atualizado em 07/07/2020 às 21:43

Por

Dr. Gabriel Magalhães/Reprodução / MF Press Global
Em votação online, milhares de internautas escolheram quem seria considerado o doutor mais bonito do Brasil atuante nas áreas de estética, medicina, preenchimentos e beleza.

Geralmente profissionais do mundo da estética, como biomédicos estetas e cirurgiões plásticos, costumam ficar fora do radar quando o assunto é a própria beleza, deixando que o trabalho realizado em seus pacientes fale por si. Contudo, mas algumas vezes não chamar esse tipo de atenção pode não ser uma opção, especialmente quando se é considerado um dos mais belos profissionais da área.

Em votação online, os internautas resolveram tirar o foco dos ilustres pacientes que esses profissionais atendem, como celebridades, modelos e figuras públicas, e virar os holofotes para os chamados doutores da beleza e estética de um modo diferente, elegendo o mais belo entre os principais profissionais deste segmento no Brasil, reconhecendo os seus atributos físicos.

A votação elegeu o Dr. Gabriel Magalhães como o mais bonito do Brasil, com 39,3% dos votos. O biomédico é uma referência internacional em estética avançada, o que inclui harmonização facial, botox e procedimentos de Harmonização corporal. Gabriel competiu com os doutores Diogo Esteves Tardelli (31,7%), Leandro Rago (15%) e Wesley Schunk (14%).

Reprodução / MF Press Global

Gabriel Magalhães revela que não sabia da votação e que foi pego de surpresa com o resultado que o apontou como o ‘doutor gato’: “fiquei sabendo da votação através de um amigo, quando foi revelado o resultado. Fiquei bastante surpreso porque eu não estava à espera disso, nem da votação nem do resultado. No entanto, agradeço ao carinho e a consideração de quem votou, mas humildemente não me acho o mais bonito do Brasil da área da estética. Acho que nem da minha cidade (risos).”

Doutor mais bonito do Brasil

No entanto, Gabriel Magalhães chama atenção também fora do contexto do seu consultório com sua beleza. Nas redes sociais não é raro encontrar posts de elogios de seguidores à boa forma do doutor, que afirma ter uma rotina regrada de treinos e dieta para manter o percentual de gordura baixo e os músculos aparentes, distribuídos em 1,84cm de altura.

Antenado também às tendências da moda masculina, o doutor pode ser enquadrado na categoria de metrossexuais, que são homens que têm uma dose extra de cuidados com a aparência e com a apresentação. Na lista dos metrossexuais estão nomes como o ex-jogador David Beckham, Cristiano Ronaldo, Tom Brady e Roberto Justus.

Dr. Gabriel Magalhães/Reprodução / MF Press Global

Vaidade masculina em pauta

Embora os chamados metrossexuais sejam um fenômeno dos nossos dias, que começou em meados dos anos 2000, a vaidade masculina sempre existiu e nunca foi uma exclusividade feminina. Séculos atrás, homens usavam maquiagem, roupas de acabamento impecável, até peruca e entre outras particularidades.

Hoje os procedimentos estéticos voltados para homens estão cada vez mais em alta nos consultórios e clínicas de estética e a tendência é aumentar a procura. Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS – International Society of Aesthetic Plastic Surgery), homens já representam mais de 23% do total de procedimentos estéticos realizados no mundo, sendo os mais procurados a lipoaspiração, rinoplastia e a blefaroplastia (remoção da pele enrugada e descaída das pálpebras superiores e/ou inferiores).

Continuar lendo

MF Press Global

Rafa Brasileiro ministra curso online sobre as principais mudanças no mercado da construção civil e como se reinventar em meio à crise

• atualizado em 07/07/2020 às 21:43

Por

A pandemia do novo coronavírus atingiu a cheio o mundo corporativo e praticamente todos os profissionais de áreas distintas tiveram de se reinventar para sobreviver ao lockdown e o encerramento das atividades. O setor ligado à construção civil também sentiu grande queda com a paralisação de empreendimentos e, por isso, profissionais ligados às profissões de Engenharia Civil e Arquitetura, tiveram que se atualizar e buscar novas alternativas para manter as empresas funcionando e a qualidade de serviços que antes era feito apenas presencialmente.

A arquiteta e influenciadora digital Rafa Brasileiro explica que a crise trouxe a necessidade urgente de se reinventar para o setor da construção civil: “Quando o ano começou já existia um novo mercado de arquitetura e construção, onde clientes estão cada vez mais exigentes e informados e profissionais que sofriam com o nivelamento por preço já estavam enfrentando dificuldades para sobreviver. Como se não bastasse, em março o mundo parou e muitos profissionais viram seus escritórios de arquitetura e construtoras se tornando obsoletas, contratos sendo interrompidos. Além disso, arquitetos e engenheiros já eram vistos por muitos clientes como inacessíveis e até mesmo desnecessários por quem contrata serviços de projeto e obra. Por isso, este é o momento de se reinventar para não apenas sobreviver, mas crescer neste novo mercado.”

O novo normal

Rafa Brasileiro também aponta que mesmo após o fim da pandemia, tanto o mercado como os hábitos dos clientes já não serão os mesmos: “É preciso entender que já estamos vivendo um novo normal e que nada será exatamente como antes. E mesmo quando o contato presencial voltar, os seus clientes já estarão acostumados com outro tipo de atendimento. Pode ser que o profissional não esteja preparado para essa revolução e isso significa perder clientes e oportunidades de trabalho. Existe uma minoria (em torno de 5% dos profissionais) que entendeu bem mais cedo como entregar um serviço que é valorizado mesmo quando feito à distância. Isso porque essa mesma minoria ultrapassou os problemas comuns de quem atua com projetos e obras e que hoje se destaca por trabalhar de uma forma diferente e profissional.”

Saída para a crise

De modo a colaborar com a atualização destes profissionais e o crescimento mesmo em meio à crise, a Bora na Obra, empresa criada e liderada pelo casal Rafa e Alex Brasileiro, está promovendo um curso de formação voltado para os novos tempos: “Mas existe uma saída pra se reinventar no meio disso tudo e, inclusive, crescer. O curso de formação é feito especialmente para arquitetos e engenheiros que precisam aumentar o faturamento com projetos e obras sem perder a lucratividade. O mundo mudou, está mais conectado que nunca, e para ter sucesso como profissional no mercado de Projetos e Obras é preciso dominar a técnica e aprender a vender o valor de seus serviços de um jeito completamente novo.”

Sobre o curso

6 a 9 de julho às 20h (Horário de Brasília).

Programação

– Aula 1: Projeto Executivos Infalíveis;
– Aula 2: Orçamentos Precisos;
– Aula 3: Planejamentos Realistas;
– Aula 4: Precificação justa de todos os serviços extras que vão garantir seu faturamento com lucro

Inscrições em: https://boranaobra.com.br/formacao

Continuar lendo