fbpx
Redes Sociais

Saúde

Cirurgia bariátrica no tratamento da hipertensão arterial

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

Saiba como o procedimento cirúrgico pode reduzir os riscos da pressão alta, além da obesidade.

A obesidade e a hipertensão são dois transtornos que causam muita preocupação em grande parte da população mundial. As duas doenças, que podem ser interligadas ou não, são consideradas, pela Organização Mundial da Saúde, problemas de saúde pública que afetam diversas pessoas em vários países. O que muita gente não sabe é que, recentemente, um estudo comprovou que a cirurgia bariátrica, principal forma de tratamento para a obesidade, também pode ser uma aliada no tratamento contra a hipertensão relacionada a este mesmo mal.

O estudo realizado pelo Hospital do Coração de São Paulo mostrou que mais de 80% dos pacientes conseguiram manter a pressão sob controle utilizando menos medicamentos após a cirurgia bariátrica, também conhecida como redução de estômago. Enquanto isso, dentro desse índice, cerca de 50% manteve a pressão controlada sem o uso de medicamentos.

O cirurgião endoscopista Bruno Sander, especialista em gastroenterologia e nutrologia, explica que uma das principais causas para obter tais resultados está relacionada às mudanças metabólicas provocadas pelo procedimento. “Com a diminuição da gordura, aliada a alimentação mais restritiva e bons hábitos físicos, o metabolismo muda radicalmente. Essa é a principal maneira de manter a pressão controlada e evitar danos caso a saúde cardiovascular seja prejudicada”.

Hábitos saudáveis

Ele alerta, no entanto, que os cuidados em longo prazo devem ser constantes. “A cirurgia é apenas o primeiro passo para trazer de volta a saúde e qualidade de vida do paciente. É preciso ter em mente que os resultados só serão duradouros se os hábitos saudáveis também continuarem pelo mesmo caminho, além de manter um acompanhamento multidisciplinar”, completou o diretor clínico do hospital dia Sander Medical Center, em Belo Horizonte.

FonteBruno Sander, médico cirurgião endoscopista, especialista em gastroenterologia e nutrologia. É diretor clínico do Hospital Dia Sander Medical Center, em Belo Horizonte (www.sandermedicalcenter.com.br).

[ Jornalista e Editor Geral - Por Dentro de Minas | Portal Terra ] - Graduação: Jornalista (FESBH), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes) e Economista (UNIP). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (Universidade Europeia Miguel de Cervantes/UEMC), Doutorado Prof. em Ciências Sociais e Políticas (USIP) e atualmente cursa Direito (UNIESP-BH). Apaixonado por música, colabora no "CulturalizaBH/Portal UAI" e na "TV Balcão" com a coluna "Crítica Musical" falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. É também apaixonado por Sociologia, tanto que de sua graduação em Ciências Sociais: Sociologia, se tornou colunista de Opinião & Comportamento do portal da "RedeTV!" e "Rondônia Digital" e desta coluna, nasceu o "E-book: Sociedade Conectada: a Influência da Internet no Cotidiano". Da Economia, área ao qual foi repórter e sub-editor, se tornou colunista no "Divulga Gerais" após sua graduação em Ciências Econômicas: Economia. É colaborador de Jornais/Portais de Notícias, Diretor do Grupo Conteúdo - Agência de Notícias - Sites e também editora e assina matérias em alguns jornais de Minas Gerais e do Brasil. A escrita é sua maior base e paixão no Jornalismo. [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Publicidade
Comentar

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

MF Press Global

Dr. Gustavo Menegucci revela o que fazer caso tenha problemas com sua lente de contato dental durante a quarentena

• atualizado em 07/07/2020 às 21:44

Por

Reprodução / MF Press Global

As lente de contato dental, que se tornaram um sucesso principalmente entre celebridades como Neymar, Zac Efron, Larissa Manoela, Flavia Alessandra, Scheila Carvalho, Kim Kardashian e incontáveis outras estrelas do esporte, artes e entretenimento, são feitas  de um fino recobrimento de porcelana ou de resina e que funciona como uma cobertura para os dentes, permitindo desta forma “esconder” ou corrigir pequenos defeitos dentários, como formato, coloração e desgastes, tendo portanto uma indicação que se insere na odontologia estética.

No entanto, agora com a quarentena e o isolamento social necessário para conter o novo coronavírus, os consultórios estão fechados e muitas pessoas que usam as lentes podem precisar de uma ajuda caso aconteça uma emergência como manchas ou rachaduras.

Dr. Gustavo Menegucci, especialista em estética dental e um dos nomes de referência no Brasil no procedimento de colocação de lentes de contato, revela alguns mitos e verdades, além de dar dicas do que fazer caso tenha uma emergência durante a quarentena. Confira:

Minha lente de contato dental sofreu um dano na quarentena. O que eu faço?

Dr. Menegucci: Danos físicos enquadram-se no quesito urgência, portanto conseguimos agendar o paciente, já que os consultórios estão permitidos a atender com marcação pacientes que se enquadrem nesta situação. Podemos atendê-los respeitando as recomendações de segurança, tomando todas as medidas para evitar o contágio e propagação da covid-19.

Fraturas e fissuras de lentes de contato dental entram na categoria de atendimento de emergência?

Dr. Menegucci: Atendimentos de lentes podem se caracterizar como urgência. Pois um peça fratura pode ser uma fratura dentária também ou chance de fraturar. O paciente terá dificuldade de alimentar e higienizar caso as lentes de contato estejam danificadas.

Qual o principal mito relacionado às lentes de contato dental?

Dr. Menegucci: Um dos maiores mitos é que a lente de contato dental corrige dentes tortos. A verdade é que para aplicarmos a lente o dente natural é desgastado o suficiente para que ela se adapte e transmite uma harmonia de correção dentária. Porém os dentes continuam no mesmo lugar.

Se minha lente quebrar, dá para colar em casa só para ‘quebrar um galho’?

Dr. Menegucci: Não, pois os produtos caseiros são totalmente diferentes dos produtos usados em consultório, de grau médico, indicados para as lentes. Fazer remendos caseiros ou colocar super cola na lente pode danificá-las ainda mais, podendo até ser necessária a confecção de uma peça nova.

Comi algo duro e rachou minha lente. Será que meu dente foi afetado?

Dr. Menegucci: Comer algo duro que leve a uma fratura na sua resina, pode significar que apenas a cobertura de porcelana fraturou, mas devemos avaliar por um raio-x digital a saúde dentária. Geralmente as lentes são feitas de material muito resistente, de modo que a grande maioria dos alimentos, por mais duros que sejam, não causam nenhum tipo de fratura.

Vamos supor que eu tome muito café e acabe criando uma mancha escura sobre as lentes. E agora?

Dr. Menegucci: Isto é possível, mas as chances são muito remotas. Contudo, embora a manutenção de limpeza não esteja sendo feita nos consultórios devido a quarentena, tem procedimentos que podemos fazer em casa para ajudar a manter as lentes sempre bonitas. Em geral, manter a higiene normal dos dentes é tudo que é preciso para manter as facetas e lentes em perfeito estado. A boa escovação higienização e somando aos cuidados de evitar comer alimentos duros ajudam a evitar problemas com as lentes.

Continuar lendo

MF Press Global

Como manter as mãos hidratadas mesmo com o uso excessivo de sabão e álcool gel

• atualizado em 07/07/2020 às 21:45

Por

Em tempo de covid-19 a orientação é lavar frequentemente as mãos para evitar o contágio com o novo coronavírus. No entanto, com a necessidade constante de lavar as mãos e fazer uso do álcool gel, algumas pessoas desenvolvem um ressecamento exacerbado das mãos, assim como outros problemas de pele, como efeito colateral de adotar as medidas de higiene reforçadas.

Dra. Hellisse Bastos conta que tipo de problemas podem aparecer devido ao uso excessivo do sabão e do álcool gel: “Além do ressecamento, pode aparecer a dermatite de contato, que são lesões que coçam intensamente e até mesmo vesículas e bolinhas de água. E quando a dermatite fica mais crônica, além da pele ficar mais grossa pode desenvolver fissuras no local.”

Tratamentos possíveis

A dermatologista afirma que é importante saber que há tratamento em todos os casos de ressecamento ou alergias devido ao uso mais frequente de higienizadores. No entanto, somente um médico dermatologista pode prescrevê-lo: “as prescrições podem variar desde o uso produtos tópicos, medicamentos por via oral e até mesmo, em casos mais graves, corticóides injetáveis para diminuir a inflamação. Também podem ser prescritos imunomoduladores para este mesmo fim.”

Mãos hidratadas e prevenção da covid-19

Hidratantes e emolientes também podem ser usados tanto no tratamento como na prevenção: “para restaurar a barreira da pele e manter a mesma íntegra. Hidratar as mãos com emolientes e produtos próprios é importante, mas não substitui a necessidade de procurar o médico dermatologista caso haja o aparecimento de alergias e ressecamentos.”

Continuar lendo

MF Press Global

Fortalecimento emocional pode ser um remédio para enfrentar a covid-19

• atualizado em 22/05/2020 às 18:27

Por

Em meio às incertezas que envolvem a pandemia da covid-19, onde ainda pouco se sabe sobre o vírus e se buscam meios de prevenir o contágio, diversos profissionais da saúde de todas as áreas estão em busca de respostas para promover cura e tratamentos eficazes para este momento difícil que o mundo inteiro vive.

A neuropsicóloga Dra. Leninha Wagner aponta que além da busca por vacinas e medicamentos, é muito importante neste momento compreender que o fortalecimento emocional e psicológico também é uma poderosa arma para enfrentar a pandemia: “Lidar com a insegurança nos gera medo, que se desdobra em ansiedade, que é uma reação natural do nosso corpo, na expectativa apreensiva com relação ao que está por vir, que se torna um problema quando os sintomas são frequentes e intensos, interferindo no nosso corpo físico e trazendo até mesmo problemas com a baixa da nossa imunidade. Por isso cuidar do fortalecimento emocional é importante nesse momento em que estamos lidando com o combate ao covid-19.”

Somos seres sociais por definição

A especialista aponta como o confinamento e o isolamento social nos afetam durante a pandemia: “Nós humanos somos naturalmente seres de relações sociais. Para a manutenção da saúde emocional e mental, precisamos nos relacionar, interagir social, profissional, romântica e sexualmente. Num cenário adverso ao contato pessoal, onde o distanciamento, isolamento e às vezes o confinamento são protocolos necessários para vencer a pandemia, acabamos sofrendo com efeitos colaterais daquilo que seria a única forma de controlar a velocidade de contágio do covid-19. Tudo isso fermentado num espaço físico limitado, dividido por várias pessoas. Impossibilitadas de sair, trabalhar, malhar e se distrair dos outros e de si mesmas são combustíveis mais que suficientes para explosões temperamentais desproporcionais.”

Até quando iremos viver essa situação?

Embora não se saiba até quando deve durar o isolamento social e a própria pandemia da covid-19, a Dra. Leninha refere que é preciso fortalecer o emocional para lidar com a situação enquanto ela durar: “ Por quanto tempo iremos ficar sem cinema, teatro, shopping, colégio, faculdade, trabalho, academia e etc? São perguntas para as quais ainda não temos respostas. Utilizando repertório próprio a depender da sua posição no ciclo vital, teremos menor ou maior autoconhecimento e autodomínio. O sentimento pode ser de mais fácil controle, e desenvolver parceria com a razão e racionalidade. Nos proporcionando um comportamento mais maduro e adequado socialmente.”

A neuropsicóloga faz uma correlação do autocontrole com a experiência de vida: “Para isso, se o sujeito em questão é ainda muito jovem, criança, pré adolescente, adolescente, irá necessitar de uma ajuda profissional, principalmente se for portador de TDAH, ou alguma outra síndrome ou transtorno. Mas os pais e familiares, podem usar de recursos próprios para trazer segurança, conforto e apoio emocional para essa pessoa que possa estar em sofrimento emocional por efeitos colaterais ao isolamento. Sendo adulto, a “caixa de ferramenta interna”, precisa ser aberta para buscar por saídas mais maduras.”

Manifestações da ansiedade

A Dra. Leninha Wagner refere que, de acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais – DSM, em sua 5ª edição, os quadros de ansiedade incluem transtornos que compartilham características de medo e ansiedade excessivos e perturbações comportamentais relacionados. Os sintomas se manifestam de três formas: por meio de: pensamentos, reações físicas e/ou sentimentos. A especialista categoriza cada um destes:

“Os pensamentos se manifestam quase sempre como: negativos, repetitivos, intrusivos e automáticos. As reações emocionais incluem: Medo, vergonha, nervosismo, tensão, tristeza, perder a esperança, evitar lugares/pessoas.
Já as reações físicas podem incluir: Falta de ar, coração acelerado, tremores, ânsia de vômito, diarreias, alterações do sono, suor excessivo, sensação de desmaio, dor de cabeça, tensão muscular.”

Como fortalecer nosso emocional?

1- Mantenha uma rotina saudável.

Com horários de sono, banho, alimentação, estudo, atividades físicas, tomar som. Pois quando voltarmos a vida interrompida, será mais fácil se adaptar.

Além do que, o cérebro precisa de manutenção de rotina para “saber o que  fazer” e não ter que ficar “administrando surpresas” e exceções sempre. Isto gera ainda mais desgaste, ansiedade e consome maior energia mental, nos deixando mais estressados.

2- Tenha o sono regular “noturno”

É de suma importância para colocar o cérebro em seu “modo padrão neural”. Só assim podemos fazer uma “psicoprofilaxia”, filtrar metabólitos cerebrais. O sono regula as funções do organismo, melhora o humor, consolida memória e repõe energia.

3- Atividade física diária

Com criatividade podemos utilizar o espaço do lar, para fazer o corpo se mexer. A atividade física ajuda a regular as substâncias no cérebro, como por exemplo, a endorfina, que são responsáveis pela sensação de bem estar. A endorfina alivia as dores, relaxa o organismo, há estudos que dizem que até podem curar doenças. É o hormônio do prazer.

4- Alimentação adequada, balanceada, saudável.

Descasque mais, desembrulhe menos. Aproveite para fazer um detox alimentar. Seu organismo agradece. Diminua o consumo de bebidas alcoólicas, corte o tabagismo, diminua os açúcares. Isto irá fortalecer seu sistema imunológico e deixar seu emocional mais sadio para reações mais amenas.

5- Aproveite o tempo a seu favor. Busque por conhecimento.

O mundo mudou prepare-se para as reformas que você irá ter que se adaptar. Leia, faça cursos on-line gratuitos (tem bastante oferta). Aprenda um novo idioma, invista em capacitação profissional em plataformas digitais. Use a tecnologia como ferramenta aliada aos novos postos no mercado de trabalho. As profissões serão executadas cada vez mais de forma “remota”. Capacite-se.

6- Busque uma fé

Creia em algo, em alguém, em alguma coisa. A fé é como um “pensamento mágico”, que nos ajuda a realizar aquilo que  é só uma ideia, um plano. É uma força interior e abstrata, que nos leva a realizar coisas concretas no mundo real. Creia e faça acontecer.

7- Busque ajuda

Se precisar de ajuda Profissional, existem excelentes profissionais- Psicólogos que estão qualificados e habilitados a atendimentos on-line. Pedir ajuda, não é demonstrar fraqueza. Mas sim coragem de querer mudar para melhor, para quando a vida se estabilizar num outro patamar e forma, encontrar você já adaptado em nova e melhor versão de si mesmo.

Continuar lendo