O que é o Césio-137: as aplicações, os riscos e os impactos na saúde humana e no meio ambiente

Duas fontes radioativas de Césio 137 foram supostamente furtadas da mineradora AMG
Césio-137: saiba o que é, as aplicações e riscos e impactos na saúde humana e no meio ambiente - Foto: Reprodução
Césio-137: saiba o que é, as aplicações e riscos e impactos na saúde humana e no meio ambiente – Foto: Reprodução


O Césio-137, elemento de duas fontes que foram supostamente furtadas da mineradora AMG Brasil, no Sul de Minas, é um isótopo radioativo do elemento químico césio, que possui o número atômico 55. É um dos produtos de decaimento resultantes da fissão nuclear de urânio-235 e plutônio-239, que são usados em reatores nucleares e armas nucleares. Este artigo tem como objetivo fornecer uma visão abrangente sobre o césio-137, explicando suas propriedades, aplicações, riscos e impactos na saúde humana e no meio ambiente.

Propriedades do Césio-137

O césio-137 tem uma meia-vida relativamente longa, o que significa que leva um tempo considerável para que a metade do material radioativo se desintegre. Sua meia-vida é de aproximadamente 30 anos. Esse isótopo emite radiação gama durante seu processo de decaimento, o que o torna perigoso para a saúde humana e outros organismos vivos.

Aplicações do Césio-137

Anteriormente, o césio-137 tinha algumas aplicações industriais e médicas. Foi utilizado em dispositivos de radioterapia para tratar certos tipos de câncer. Além disso, era utilizado em medidores de umidade do solo e instrumentos de medição de densidade, devido à sua capacidade de penetrar materiais e interagir com a matéria.

Riscos e impactos na saúde humana e no meio ambiente:

A principal preocupação com o césio-137 está relacionada aos riscos à saúde humana e ao meio ambiente em caso de exposição excessiva. A radiação gama emitida pelo césio-137 é altamente penetrante e pode danificar células e tecidos vivos, levando a efeitos adversos à saúde, como doenças graves e até mesmo a morte. Além disso, se o césio-137 for ingerido ou inalado, ele pode se acumular no corpo, permanecendo por um longo período e aumentando o risco de exposição contínua.

O acidente nuclear de Chernobyl, em 1986, é um dos eventos mais conhecidos relacionados ao césio-137. Durante o desastre, grandes quantidades de césio-137 foram liberadas na atmosfera, contaminando vastas áreas e causando impactos significativos na saúde das pessoas e no ecossistema local. Esse acidente serve como um lembrete dos perigos associados a esse isótopo radioativo.

Medidas de segurança e controle

Devido aos riscos associados ao césio-137, medidas rigorosas de segurança e controle são implementadas em instalações nucleares, como usinas de energia e centros de pesquisa. Essas medidas visam reduzir o risco de liberação acidental de materiais radioativos, além de garantir o manuseio adequado e a disposição segura dos resíduos.

Além disso, órgãos reguladores e agências internacionais, como a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), estabelecem diretrizes e regulamentações para garantir a segurança e minimizar os riscos associados ao uso de materiaisótopos radioativos, incluindo o césio-137.

Conclusão

O césio-137 é um isótopo radioativo do césio que apresenta propriedades perigosas devido à sua capacidade de emitir radiação gama. Embora tenha sido utilizado em aplicações industriais e médicas no passado, seu potencial de danos à saúde humana e ao meio ambiente exige medidas rigorosas de segurança e controle em instalações nucleares. A conscientização sobre os riscos associados ao césio-137 e a implementação de regulamentações adequadas são essenciais para garantir a segurança pública e minimizar os impactos negativos dessa substância radioativa.

Total
0
Shares

Relacionados
Total
0
Compartilhar