O Por Dentro de Minas é um portal de notícias de Belo Horizonte e todo o estado de MG. Últimas notícias, informações em tempo real do trânsito, previsão do tempo, agenda cultural, emprego, colunas, blogs e coberturas especiais.

Polícia prende proprietária de empresa de turismo suspeita de estelionato em BH

Delegado adverte que é necessário observar, por exemplo, se as propostas e os preços apresentados são desproporcionais aos praticados pelo segmento
Polícia prende proprietária de empresa de turismo suspeita de estelionato em BH - Foto: Divulgação/PCMG
Polícia prende proprietária de empresa de turismo suspeita de estelionato em BH – Foto: Divulgação/PCMG
Índice Hide
  1. Orientação

Como desdobramento de investigações acerca de fraudes na venda de pacotes de viagens, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) cumpriu, na segunda-feira (10/1), em Belo Horizonte, a prisão preventiva de uma mulher, de 28 anos, suspeita da prática do crime de estelionato. Os levantamentos indicam que mais de cem pessoas tenham sido vítimas, e o prejuízo estimado ultrapasse R$ 600 mil.

Segundo o delegado Marlon Pacheco, a apuração dos fatos começou na última semana. “As investigações davam conta de uma empresa de turismo, criada pela investigada, com o objetivo de dar golpes”, conta. Conforme informações já obtidas, os anúncios e a negociação dos pacotes de viagens, incluindo destinos nacionais e fora do Brasil, eram feitos por meio de redes sociais e também boca a boca, com ofertas abaixo dos valores de mercado. Mas o comprador não tinha acesso ao produto contratado, como vouchers ou hospedagem.

O inquérito policial tramita no Departamento Estadual de Investigação de Fraudes e Combate à Corrupção. Um mandado de busca e apreensão também foi cumprido, ontem, na residência da proprietária, onde as atividades da agência eram realizadas, e o material apreendido será analisado. “As investigações seguem a fim de apurar as responsabilidades e identificar eventual participação de outras pessoas”, informa Pacheco.

Orientação

Para evitar golpes como esse, o delegado adverte que é necessário observar, por exemplo, se as propostas e os preços apresentados são desproporcionais aos praticados pelo segmento. Outra dica é, sempre que possível, fazer pesquisas de referências e optar por empresas com experiência no mercado. Agora, caso a pessoa perceba que foi vítima, ela deve procurar a unidade policial para o devido registro e, dessa forma, serem adotadas as devidas medidas de polícia judiciária.

Total
1
Shares

Relacionados