O Por Dentro de Minas é um portal de notícias de Belo Horizonte e todo o estado de MG. Últimas notícias, informações em tempo real do trânsito, previsão do tempo, agenda cultural, emprego, colunas, blogs e coberturas especiais.
Seguir

Estruturas de segurança de barragens da Vale desabam em Itabirito

Desabamento da estrutura não deixou ninguém ferido
Estruturas de segurança de barragens da Vale desaba em Ouro Preto - Foto: Reprodução
Estruturas de segurança de barragens da Vale desaba em Ouro Preto – Foto: Reprodução
Índice Hide
  1. Nota da Vale

Duas torre metálica da estrutura de segurança da área de barragens da Mina Fábrica, da Vale, em Itabirito, na Região Central de Minas Gerais, desabaram nesta sexta-feira (12).

As estruturas das duas torres desabou após os fortes ventos e a chuva que atingiu a região na manhã da última sexta-feira. A barragem está localizada a cerca de 57 km de Belo Horizonte no limite das cidades de Itabirito, na Grande BH, e Ouro Preto, e estão em nível 2 de emergência.

A estruturas construídas é usada para suporte e segurança aos funcionários das duas barragens durante o trabalho de descomissionamento (esvaziamento das áreas que armazenam rejeitos). Ninguém ficou feridos nos desabamentos.

A reportagem do Por Dentro de Minas procurou a Vale que informou que está “apurando as causas da queda de duas torres” e as “estruturas passam por inspeções rotineiras de campo e são monitoradas permanentemente por uma série de instrumentos e pelo Centro de Monitoramento Geotécnico (CMG)”.

Nota da Vale

“A Vale informa que está apurando as causas da queda de duas torres do sistema preparatório para as obras de descaracterização das barragens Forquilhas I e II, da mina Fábrica, em Itabirito. No momento do tombamento, ocorrido na manhã desta sexta-feira (12), não havia trabalhadores no local. A área foi isolada e os órgãos competentes já foram informados. Importante ressaltar que as torres não atingiram as barragens, as quais não tiveram alteração em suas condições de segurança. As estruturas da empresa passam por inspeções rotineiras de campo e são monitoradas permanentemente por uma série de instrumentos e pelo Centro de Monitoramento Geotécnico (CMG).”

Total
15
Shares

Relacionados