Gerais

Belo Horizonte volta a fechar comércio não essencial a partir de 2ª

Foto: Reprodução
  • Belo Horizonte bateu três recordes consecutivos de ocupação de leitos de UTI

A partir da próxima segunda-feira, dia 11, somente o comércio essencial vai funcionar em Belo Horizonte, segundo o prefeito Alexandre Kalil (PSD).

De acordo com Alexandre Kalil, anunciou por meio das redes sociais, que apenas os serviços essenciais poderão funcionar na partir da próxima segunda-feira (11): “Sexta-feira o decreto vai ser publicado e segunda-feira a cidade está fechada”, disse o prefeito.

As restrições ocorre depois da capital bater três recordes consecutivos na taxa de ocupação de leitos de UTI. Em reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, na tarde desta quarta-feira (6), decidiram pelo fechamento de tudo o que não for essencial, exceto praças públicas e o zoológico, com visitas agendadas.

“Chegamos ao limite da Covid-19. Nós avisamos, nós tentamos avisar. Tentamos manter a cidade aberta há 10 dias, quando os números ainda eram perigosos, mas nós tínhamos, pelo menos, uma expectativa de responsabilidade (…) O comerciante tem que se preparar porque sexta-feira nós estamos soltando um decreto voltando a cidade à estaca zero”, disse Kalil.

Entidade reivindica reativação de leitos

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) por meio de nota, afirmou que “enviou no início da noite desta quarta-feira ofício à Prefeitura reivindicando a permanência do comércio aberto. No documento, a entidade reafirma que não há nenhum dado que correlacione o aumento do número de casos graves com a reabertura do comércio ocorrida no segundo semestre do último ano. O que observamos é que há uma conjuntura de fatores que direcionam à elevação do número de casos, graves ou não, mas que não apresentam conexão direta com o funcionamento do comércio na capital.”

A CDL/BH complementa que foram reivindica a reativação de leitos que foram desativados. Segundo a entidade, em 4 de agosto, data em que teve início a reabertura gradual do comércio, tínhamos 424 leitos de UTI para tratamento de Covid-19, com uma taxa de ocupação de 85,8, o equivalente a 364 leitos. Ontem, 5 de janeiro, o Boletim Epidemiológico da Prefeitura mostrou que temos atualmente 247 leitos de UTI, com uma taxa de ocupação de 87,9, o equivalente a 217 leitos. Foram fechados 177 leitos, ou seja, uma redução de mais de 40%. “Caso os 424 leitos estivessem funcionando, hoje teríamos uma taxa de ocupação de 51%, índice bem abaixo do atual”, afirmou o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. A CDL/BH está computando somente os leitos da Rede SUS.

470 Publicações

Sobre
Editora do Por Dentro de Minas responsável pela sessão de notícias Gerais.
Artigos
Relacionados
Gerais

Suspeito de homicídio é preso em Janaúba, no Norte de Minas

Vítima sofreu vários tiros e não resistiu aos ferimentos
Gerais

Polícia prende homem que deixou cão amarrado para morrer em Mateus Leme

Homem foi preso em flagrante pelo crime
Gerais

Suspeito de aplicar golpe do cartão clonado é preso em Nova Lima

Homem é suspeito de aplicar o golpe do cartão bancário clonado e já teria vitimado quatro pessoas da cidade

Deixe uma resposta