AGORAChuva forte causa estragos e fecha avenidas em Belo Horizonte acompanhe ao vivo
Gerais

Funcionário é suspeito de furtar quase 60 mil de empresa em Cristais

Funcionário é suspeito de furtar quase 60 mil de empresa em Cristais - Foto: Divulgação/PCMG
Funcionário é suspeito de furtar quase 60 mil de empresa em Cristais - Foto: Divulgação/PCMG
  • Policiais notaram que o carro utilizado na ação estava com a lanterna traseira queimada

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) recuperou dois malotes, contendo R$ 58.214, furtados de uma empresa no município de Cristais, no Centro-Oeste de Minas. O suspeito de cometer o crime é funcionário da empresa.

A equipe da Delegacia Regional em Campo Belo iniciou as investigações quando informada sobre o fato. Os malotes furtados estavam no interior de dois caminhões, estacionados no pátio da empresa. Na noite anterior ao crime, a quantia havia sido recolhida em viagens e deixadas nos veículos.

Durante a análise de imagens, os policiais notaram que o carro utilizado na ação estava com a lanterna traseira queimada. Por meio dessa informação e do modelo do veículo, verificou-se que ele pertencia à empresa e havia ficado sob a responsabilidade de um funcionário naquela noite. À polícia, o suspeito confessou a autoria do furto e alegou que pretendia quitar dívidas contraídas com um agiota.

Dentro dos malotes havia dinheiro em espécie, cheques e boletos. Os policiais conseguiram recuperar parte do montante furtado, sendo restituído à vítima. O suspeito, que irá responder pelo crime, foi ouvido e liberado no dia 27 de outubro.

8191 Publicações

Sobre
A Por Dentro de Minas é um portal que traz as principais notícias do Estado de Minas Gerais.
Artigos
Relacionados
Gerais

Suspeito de matar e ocultar corpo em carrinho de compra é preso em BH

Inquérito policial foi instaurado após o encontro do corpo da vítima
Gerais

Polícia prende suspeito e apreende drogas em Passos

Suspeito foi preso em flagrante
Gerais

Suspeita de envolvimento em estupro de vulnerável é presa em Manhuaçu

Suspeita teria instruído meninas com menos de 12 anos de idade a se portarem no momento de praticarem relações sexuais com um idoso