ÚLTIMASSaiba quem são os 16 pré-candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte saiba mais
Gerais

Estudo ELEKTRA de Fase 2 do soticlestat (TAK-935/OV935) cumpre com o endpoint primário, reduzindo a frequência de convulsões em crianças com Síndrome de Dravet ou Síndrome de Lennox-Gastaut

NOVA YORK (EUA) e OSAKA (Japão) 26/8/2020 –


− Endpoint primário alcançado, demonstrando uma redução estatisticamente significativa de convulsões desde o início em comparação com o placebo (p=0,0007) na população do estudo combinado da Síndrome de Dravet e da Síndrome de Lennox-Gastaut
− Redução estatisticamente significativa na frequência de convulsões desde o início na coorte da Síndrome de Dravet em comparação com o placebo (p=0,0007); com base nos fortes resultados de eficácia, Takeda e Ovid planejam iniciar um programa de registro de Fase 3 do soticlestat na Síndrome de Dravet
− Os dados da coorte da Síndrome de Lennox-Gastaut demonstraram reduções numéricas na frequência de convulsões em comparação com o placebo, mas não alcançaram significância estatística (p=0,1279); análise de dados em andamento para os pacientes com Síndrome de Lennox-Gastaut
− O soticlestat foi bem tolerado e demonstrou um perfil de segurança consistente com os resultados de estudos anteriores, sem novos sinais de segurança identificados
− A Ovid vai fazer uma teleconferência e um webcast, hoje, às 8h (horário do leste dos EUA)

A Takeda Pharmaceutical Company Limited (TSE:4502/NYSE:TAK) (“Takeda”) and Ovid Therapeutics Inc. (NASDAQ: OVID) (“Ovid”), uma empresa biofarmacêutica comprometida com o desenvolvimento de medicamentos que transformam a vida de pessoas com doenças neurológicas raras, anunciou hoje os resultados positivos do estudo ELEKTRA de Fase 2 randomizado do soticlestat em crianças com Síndrome de Dravet (SD) ou Síndrome de Lennox-Gastaut (SLG). O soticlestat é um inibidor oral potente, altamente seletivo e de primeira classe da enzima colesterol 24-hidroxilase (CH24H). Ele está sendo investigado pela Ovid e pela Takeda para o tratamento de encefalopatias epilépticas do desenvolvimento (EED) raras, um grupo de síndromes de epilepsia altamente refratárias, incluindo a SD e a SLG.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20200826005322/pt/

O estudo ELEKTRA atingiu seu endpoint primário com alta significância estatística, demonstrando uma redução média de 27,8% desde o início na frequência de crises convulsivas (SD) e crises atônicas (SLG) em comparação com um aumento médio de 3,1% em pacientes que tomaram placebo durante o período de manutenção de 12 semanas (redução média ajustada por placebo=30,5%; p=0,0007, com base no conjunto de análise de eficácia de 120 pacientes com dados de crises no período de manutenção). Além disso, os pacientes com SD e SLG tratados com o soticlestat demonstraram uma redução média de 29,8% na frequência de crises convulsivas (SD) e crises atônicas (SLG) em comparação com a mudança de 0,0% na frequência média de crises em pacientes que tomaram placebo durante todo o período de tratamento de 20 semanas (titulação mais manutenção) do estudo ELEKTRA (redução ajustada por placebo=25,1%; p=0,0024).

Na coorte ELEKTRA SD (n=51), os pacientes tratados com o soticlestat demonstraram uma redução média de 33,8% na frequência de crises convulsivas em comparação com um aumento médio de 7,0% em pacientes que receberam placebo durante todo o período de tratamento de 20 semanas do estudo (a redução média ajustada por placebo na frequência de crises é de 46,0%; p=0,0007). Com base nesses dados, as empresas planejam se reunir com as autoridades regulatórias para discutir o início de um programa de registro de Fase 3 para o soticlestat em pacientes com SD.

Na coorte ELEKTRA SLG (n=88), os pacientes tratados com o soticlestat demonstraram uma redução média de 20,6% na frequência de crises atônicas em comparação com uma redução média de 6,0% em pacientes que receberam placebo durante todo o período de tratamento de 20 semanas do estudo (a redução média ajustada por placebo na frequência de crises é de 14,8%; p=0,1279). Análises adicionais estão sendo realizadas para entender melhor as próximas etapas potenciais para o desenvolvimento do soticlestat nesta população de pacientes altamente heterogênea.

O soticlestat foi geralmente bem tolerado no estudo ELEKTRA e demonstrou um perfil de segurança consistente com os resultados de estudos anteriores, sem novos sinais de segurança identificados. Todos os pacientes que concluíram o estudo ELEKTRA foram escolhidos para se inscrever no estudo aberto de extensão ENDYMION e os resultados do ENDYMION também serão comunicados hoje.

“Estamos muito animados com estes resultados, que mostram uma clara redução estatisticamente significativa das crises em pacientes com Síndrome de Dravet tratados com o soticlestat, bem como uma tendência de redução das crises em pacientes com Lennox-Gastaut”, disse Amit Rakhit, M.D., MBA, presidente e diretor médico da Ovid. “Esperamos continuar nossa colaboração com a Takeda para iniciar um programa de registro de Fase 3 para o soticlestat em pacientes com SD,àmedida que seguimos analisando os dados de pacientes com SLG nos estudos ELEKTRA e ENDYMION para definir as próximas etapas potenciais. Também esperamos informar, no final deste trimestre, os dados do estudo aberto ARCADE de Fase 2 com o soticlestat em pacientes com Transtorno por Deficiência CDKL5 e Síndrome Dup15q, dois outros tipos de EED altamente refratários.”

“É empolgante ver esses resultados positivos e fazer o soticlestat caminhar para um estágio avançado de desenvolvimento clínico – inicialmente para o tratamento potencial de crianças com Síndrome de Dravet que precisam de mais opções para controlar as convulsões resistentes ao tratamento”, disse Sarah Sheikh, M.D., M.Sc., MRCP, chefe da Unidade de Área Terapêutica de Neurociências da Takeda. “O soticlestat e seu mecanismo de ação inovador foram descobertos na Takeda e estamos entusiasmados em continuar avançando nos programas científicos e clínicos como uma equipe alinhada, em forte parceria com a Ovid Therapeutics.”

“As crianças com encefalopatias epilépticas do desenvolvimento como SD e SLG precisam de mais opções para controlar suas convulsões resistentes ao tratamento”, disse o Dr. Cecil Hahn, M.D., MPH, neurologista infantil do Hospital for Sick Children e professor associado de Pediatria da Universidade de Toronto (Canadá). “Os resultados do estudo ELEKTRA são muito promissores, particularmente para crianças com SD e representam uma redução clinicamente significativa na carga de convulsões. Além disso, o soticlestat foi bem tolerado neste estudo.”

Projeto de estudo ELEKTRA de Fase 2 e dados demográficos iniciais do paciente

O ELEKTRA foi um estudo internacional, multicêntrico, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo projetado para avaliar o tratamento com o soticlestat em pacientes pediátricos, de dois a 17 anos, com crises epilépticas altamente refratárias associadasàSD (crises convulsivas) ouàSLG (crises atônicas). O estudo consistiu em um período de triagem de quatro a seis semanas para estabelecer a frequência inicial das crises, seguido por um período de tratamento duplo-cego de 20 semanas, incluindo um período de otimização da dose de oito semanas e um período de manutenção de 12 semanas. Durante o período de otimização da dose de oito semanas, os pacientes foram titulados de 100mg duas vezes ao dia (BID), a 200mg BID a 300mg BID (dose de mg/kg para <60 kg) do soticlestat administrado por via oral.

Um total de 141 pacientes foram inscritos no ELEKTRA e 126 concluíram o estudo. Uma análise de intenção de tratar modificada (mITT) de 139 pacientes foi realizada para avaliar os endpoints de eficácia, que inclui qualquer paciente que se inscreveu no estudo e recebeu pelo menos uma dose do medicamento do estudo. Os pacientes no estudo foram autorizados a tomar de um a quatro medicamentos antiepilépticos (AED) concomitantes, com a maioria dos pacientes tratada simultaneamente com pelo menos três AED. Os AED mais comuns tomados pelos pacientes foram valproato, clobazam, levetiracetam e topiramato.

Resultados de eficácia do estudo ELEKTRA de Fase 2

O estudo atingiu seu endpoint primário, demonstrando uma redução média de 27,8% desde o início na frequência de crises convulsivas (SD) e crises atônicas (SLG) em comparação com um aumento médio de 3,1% em pacientes que tomaram placebo durante o período de manutenção de 12 semanas (redução média ajustada por placebo=30,5%; p=0,0007, com base no conjunto de análise de eficácia de 120 pacientes com dados de crises no período de manutenção). Durante todo o período de tratamento de 20 semanas da população mITT de pacientes com SD, a variação percentual média desde o início foi uma diminuição de 33,8% na frequência de crises em comparação com um aumento de 7,0% na frequência de crises para pacientes que receberam placebo (redução média ajustada por placebo=46,0 %; p=0,0007). Durante todo o período de tratamento da população mITT de pacientes com SLG, a variação percentual média desde o início foi uma diminuição de 20,6% na frequência de crises em comparação com uma redução de 6,0% em pacientes que receberam placebo (redução média ajustada por placebo=14,8%; p=0,1279) .

Resultados de segurança do estudo ELEKTRA de Fase 2

O soticlestat foi bem tolerado neste estudo. Essas descobertas foram consistentes com os estudos anteriores e nenhum novo sinal de segurança foi identificado. A incidência de eventos adversos emergentes do tratamento foi semelhante nos grupos de tratamento e do placebo, com 57 (80,3%) dos pacientes do soticlestat experimentando pelo menos um evento adverso emergente do tratamento em comparação com 52 (74,3%) pacientes do placebo. Os eventos adversos emergentes do tratamento mais frequentes relatados em pacientes tratados com o soticlestat, com uma diferença ≥5% para o placebo, foram letargia e constipação. A incidência de eventos adversos graves foi semelhante nos grupos do soticlestat e do placebo, com 11 (15,5%) pacientes do soticlestat experimentando pelo menos um evento adverso grave emergente do tratamento em comparação com 13 (18,6%) pacientes do placebo. Não houve mortes relatadas.

Atualização do estudo aberto de extensão ENDYMION

Todos os pacientes que concluíram o estudo ELEKTRA optaram por passar para o estudo aberto de extensão ENDYMION. O objetivo primário do ENDYMION é avaliar a segurança e a tolerabilidade a longo prazo do soticlestat durante os quatro anos de tratamento em pacientes com epilepsias raras e, secundariamente, avaliar o efeito do soticlestat na frequência de crises ao longo do tempo.

Os dados dos pacientes do ELEKTRA que passaram para o estudo ENDYMION dão suporte aos resultados do estudo principal. Os dados indicam a manutenção do efeito durante 6 meses nos pacientes originalmente randomizados para o soticlestat e redução da frequência de crises em comparação com a linha de base nos pacientes previamente designados grupo de placebo. Nenhum novo sinal de segurança foi identificado no ENDYMION.

Sobre o Soticlestat (TAK-935/OV935)

O soticlestat é um inibidor oral potente, altamente seletivo e de primeira classe da enzima colesterol 24-hidroxilase (CH24H), com potencial para reduzir a suscetibilidade a convulsões e melhorar o controle das crises. A CH24H é, predominantemente, expressa no cérebro, onde converte o colesterol em 24S-hidroxicolesterol (24HC) para ajustar o equilíbrio homeostático do colesterol cerebral. O 24HC é um modulador alostérico positivo do receptor NMDA e modula a sinalização glutamatérgica associadaàepilepsia. O glutamato é um dos principais neurotransmissores do cérebro e demonstrou desempenhar um papel na iniciação e disseminação da atividade convulsiva. A literatura recente indica que a CH24H está envolvida na superativação da via glutamatérgica através da modulação do canal NMDA e que o aumento da expressão de CH24H pode interromper a recaptação de glutamato pelos astrócitos, resultando em epileptogênese e neurotoxicidade. A inibição da CH24H pelo soticlestat reduz os níveis neuronais de 24HC e pode melhorar o equilíbrio excitatório/inibitório da atividade do canal NMDA.

A Takeda e a Ovid estão compartilhando os custos de desenvolvimento e comercialização do soticlestat na base de 50/50 e, se forem bem-sucedidas, as empresas compartilharão os lucros na base de 50/50. A Takeda será responsável pela comercialização no Japão e tem a opção de ser responsável pela comercialização em outros países da Ásia e outros países selecionados. A Ovid será responsável pelas atividades de desenvolvimento clínico e comercialização do soticlestat nos Estados Unidos, Europa, Canadá e Israel. De acordo com os termos do contrato, a Takeda recebeu participação acionária da Ovid e pode ser elegível para receber certos pagamentos de marcos com base no avanço do soticlestat.

Sobre a Síndrome de Dravet e a Síndrome de Lennox-Gastaut

A Síndrome de Dravet e a Síndrome de Lennox-Gastaut são tipos de encefalopatias epilépticas do desenvolvimento (EED), um grupo heterogêneo de síndromes de epilepsia raras. As síndromes de Dravet e de Lennox-Gastaut geralmente se manifestam durante a primeira infância e são altamente refratárias a muitos medicamentos anticonvulsivantes.

A Síndrome de Dravet é mais comumente causada por uma mutação genética no gene SCN1A e afeta aproximadamente 1 em cada 15 mil a 1 em cada 21 mil pessoas nos Estados Unidos. A Síndrome de Dravet é caracterizada por crises focais prolongadas que podem evoluir para crises convulsivas tônico-clônicas. As crianças com Síndrome de Dravet apresentam deficiências de desenvolvimentoàmedida que as convulsões aumentam. Outros sintomas comuns incluem alterações no apetite, dificuldade para manter o equilíbrio e andar agachado.

Estima-se que a Síndrome de Lennox-Gastaut afete aproximadamente 1 em cada 11 mil pessoas nos Estados Unidos. A Síndrome de Lennox-Gastaut é uma condição heterogênea e caracterizada por vários tipos diferentes de convulsões, mais comumente crises atônicas, tônicas e de ausência atípica. As crianças com Síndrome de Lennox-Gastaut também podem desenvolver disfunção cognitiva, atrasos em atingir marcos de desenvolvimento e problemas comportamentais. A Síndrome de Lennox-Gastaut pode ser causada por uma variedade de doenças subjacentes, mas em alguns casos nenhuma causa pode ser identificada.

Informações sobre a teleconferência e o webcast da Ovid

A Ovid Therapeutics fará uma teleconferência e um webcast ao vivo, hoje, às 8h (horário do leste dos EUA). O webcast ao vivo pode ser acessado visitando a seção Investidores do site da empresa em investors.ovidrx.com. Como alternativa, ligue para 866-830-1640 (EUA) ou 210-874-7820 (internacional) para ouvir a teleconferência ao vivo. O número de identificação da conferência para a ligação ao vivo é 7926217. Uma repetição do webcast estará disponível no site da empresa após a teleconferência ao vivo.

Sobre a Takeda Pharmaceutical Company Limited

A Takeda Pharmaceutical Company Limited (TSE:4502/NYSE:TAK) é uma líder biofarmacêutica global, baseada em valores, orientada para P&D, com sede no Japão, empenhada em trazer um saúde melhor e um futuro mais brilhante para os pacientes, traduzindo a ciência em medicamentos altamente inovadores. A Takeda concentra seus esforços de P&D em quatro áreas terapêuticas: Oncologia, Doenças raras, Neurociência e Gastroenterologia (GI). Também fazemos investimentos direcionados em P&D em Terapias e Vacinas Derivadas de Plasma. Estamos nos centrando no desenvolvimento de medicamentos altamente inovadores que contribuem para fazer a diferença na vida das pessoas, avançando rumo a novas opções de tratamento e alavancando nosso mecanismo e recursos de P&D colaborativos para criar um pipeline robusto e diversificado. Nossos funcionários estão comprometidos em melhorar a qualidade de vida dos pacientes e em trabalhar com nossos parceiros em assistência médica em aproximadamente 80 países.

Para mais informações, acesse https://www.takeda.com.

Aviso Importante

Para fins deste aviso, “comunicadoàimprensa” significa neste documento, qualquer apresentação oral, sessão de perguntas e respostas bem como qualquer material escrito ou oral discutido ou distribuído pela Takeda Pharmaceutical Company Limited (“Takeda”) em relação a este comunicado. Este comunicadoàimprensa (incluindo qualquer informação verbal, qualquer pergunta e resposta referente a ele) não se destina a, e não constitui, representa ou faz parte de qualquer oferta, convite ou solicitação de qualquer oferta de compra, e caso contrário, adquirir, assinar, trocar, vender ou dispor de quaisquer valores mobiliários ou a solicitação de qualquer voto ou aprovação em qualquer jurisdição. Nenhuma ação ou outros títulos estão sendo oferecidos ao público por meio deste comunicadoàimprensa. Nenhuma oferta de títulos deverá ser feita nos EUA, exceto segundo o registro sob a Lei de Valores Mobiliários de 1933, conforme alterado, ou uma isenção do mesmo. Este comunicadoàimprensa está sendo concedido junto com qualquer informação adicional que possa ser fornecida ao destinatário), na condição de que seja para uso pelo destinatário apenas para fins informativos (e não para a avaliação de qualquer investimento, aquisição, eliminação ou qualquer outra transação). Qualquer falha no cumprimento destas restrições pode constituir uma violação das leis de valores mobiliários aplicáveis.

As empresas nas quais a Takeda detém direta e indiretamente investimentos são entidades separadas. Neste comunicadoàimprensa, “Takeda” é utilizada algumas vezes por conveniência, quando são feitas referênciasàTakeda e suas subsidiárias em geral. Do mesmo modo, os termos “nós”, “nos” e “nosso” também são utilizados para se referir às subsidiárias em geral ou àqueles que trabalham para elas. Estas expressões também são utilizadas quando nenhum objetivo útil é atendido pela identificação da empresa em particular ou empresas.

Declarações prospectivas da Takeda

Este comunicado de imprensa e quaisquer materiais distribuídos em conexão com este comunicado de imprensa podem conter declarações prospectivas, crenças ou opiniões sobre os negócios futuros, a posição futura e os resultados operacionais da Takeda, incluindo estimativas, previsões, metas e planos para a Takeda. Sem limitação, as declarações prospectivas geralmente incluem palavras como “visa”, “planeja”, “acredita”, “espera”, “continua”, “pretende”, “intenciona”, “garante”, “pode”, “deveria,”, “seria”, “poderia”, “antecipa”, “estima”, “projeta” ou expressões semelhantes ou o negativo delas. Estas declarações prospectivas são baseadas em suposições sobre muitos fatores importantes, incluindo os seguintes, que podem causar resultados reais materialmente diferentes daqueles expressos ou implícitos nas declarações prospectivas: as circunstâncias econômicas que cercam os negócios globais da Takeda, incluindo condições econômicas gerais no Japão e nos Estados Unidos; pressões e desenvolvimentos competitivos; alterações nas leis e regulamentos aplicáveis; o sucesso ou fracasso dos programas de desenvolvimento de produtos; decisões das autoridades reguladoras e sua época; flutuações nas taxas de juros e de câmbio; reclamações ou preocupações relacionadasàsegurança ou eficácia de produtos comercializados ou candidatos a produtos; o impacto de crises na saúde, como a nova pandemia de coronavírus, na Takeda e em seus clientes e fornecedores, incluindo governos estrangeiros nos países em que a Takeda opera, ou em outras facetas de seus negócios; o momento e o impacto dos esforços de integração pós-fusão com empresas adquiridas; a capacidade de alienar ativos que não são essenciais para as operações da Takeda e o momento de qualquer desinvestimento; e outros fatores identificados no relatório anual mais recente da Takeda no formulário 20-F e outros relatórios da Takeda arquivados na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sua sigla em inglês), disponíveis no site da Takeda em: https://www.takeda.com/investors/reports/sec-filings/ ou em www.sec.gov. A Takeda não se compromete a atualizar nenhuma das declarações prospectivas contidas neste comunicadoàimprensa ou quaisquer outras declarações prospectivas que possa fazer, exceto conforme exigido por lei ou regra da bolsa de valores. O desempenho passado não é um indicador de resultados futuros e os resultados ou declarações da Takeda neste comunicado de imprensa podem não ser indicativos e não são uma estimativa, previsão, garantia ou projeção dos resultados futuros da Takeda.

Sobre a Ovid Therapeutics

A Ovid Therapeutics Inc. é uma empresa biofarmacêutica com sede em Nova York (EUA) que usa sua abordagem BoldMedicine® para desenvolver medicamentos que transformam a vida de pacientes com doenças neurológicas raras. A Ovid tem uma ampla linha de medicamentos potenciais de primeira classe. O medicamento experimental mais avançado da empresa, o OV101 (gaboxadol), está atualmente em desenvolvimento clínico para o tratamento da Síndrome de Angelman e da Síndrome do X Frágil. A Ovid também está desenvolvendo o OV935 (soticlestat) em colaboração com a Takeda Pharmaceutical Company Limited para o tratamento potencial de encefalopatias epilépticas do desenvolvimento (EED) raras. Para mais informações sobre a Ovid, acesse www.ovidrx.com.

Declarações prospectivas da Ovid

Este comunicadoàimprensa inclui certas divulgações que contêm “declarações prospectivas”, incluindo, sem limitação, declarações sobre os possíveis benefícios, desenvolvimento clínico e regulatório e comercialização do soticlestat, o valor e os benefícios potenciais da colaboração com a Takeda, o cronograma de relatório antecipado de dados clínicos, a probabilidade de que os dados apoiem o desenvolvimento futuro e a associação de dados com os resultados do tratamento. Você pode identificar as declarações prospectivas porque contêm palavras como “irá”, “parece”, “acredita” e “espera”. As declarações prospectivas são baseadas nas expectativas e suposições atuais da Ovid. Como as declarações prospectivas estão relacionadas com o futuro, elas estão sujeitas a incertezas, riscos e mudanças inerentes às circunstâncias que podem diferir materialmente daquelas contempladas nas declarações prospectivas, que não são declarações de fatos históricos nem garantias de desempenho futuro. Os fatores importantes que podem fazer com que os resultados reais difiram materialmente daqueles nas declarações prospectivas incluem incertezas no desenvolvimento e nos processos de aprovação regulatória, e o fato de que os dados iniciais dos estudos clínicos podem não ser indicativos e não são garantias dos resultados finais dos ensaios clínicos e estão sujeitos ao risco de que um ou mais dos resultados clínicos possam mudar materialmenteàmedida que o recrutamento de pacientes continua e/ou mais dados de paciente sejam disponibilizados. Os riscos adicionais que podem fazer com que os resultados reais difiram materialmente daqueles nas declarações prospectivas são apresentados nos arquivos da Ovid com a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sua sigla em inglês) sob o título “Fatores de Risco”. Tais riscos podem ser amplificados pela pandemia da COVID-19 e seu impacto potencial nos negócios da Ovid e na economia global. A Ovid não assume nenhuma obrigação de atualizar quaisquer declarações prospectivas contidas neste documento para refletir qualquer mudança nas expectativas, mesmo quando houver novas informações disponíveis.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Assessoria de Imprensa da Takeda:

Japão

Kazumi Kobayashi

[email protected]

+81 (0) 3-3278-2095

Outros países

Chris Stamm

[email protected]

+1 (617) 347-7726

Imprensa e Investidores da Ovid:

Ovid Therapeutics Inc.

Relações com Investidores e Relações Públicas

[email protected]

ou

Investidores da Ovid:

Steve Klass

Burns McClellan, Inc.

+1 (212) 213-0006

[email protected]

Imprensa da Ovid:

Dan Budwick

1AB

[email protected]

Fonte: BUSINESS WIRE