fbpx
Redes Sociais

Gerais

Telemedicina pode reduzir em 80% atendimentos em hospitais

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

Consulta médica a distância chegou para ficar, mas deve ser realizada com cuidados e responsabilidade, diz especialista

Durante algum tempo, o uso das ferramentas digitais para atendimentos médicos foi alvo de dúvidas. O receio em oferecer diagnósticos sem precisão era um dos assuntos constantemente comentados no meio. Porém, com a pandemia da Covid-19 e a necessidade de evitar ao máximo sair de casa para impedir a propagação da doença, o Conselho Federal de Medicina autorizou que médicos de diversas especialidades do país atendessem os casos mais simples sem que o paciente precisasse ir até os hospitais e clínicas.

Com isso, uma pesquisa feita pela Unimed, mostrou que a telemedicina consegue reduzir em 80% as demandas dos hospitais, pois 8 entre cada 10 casos atendidos por telefone são resolvidos sem que o paciente precise ir até o especialista. Para a médica ginecologista e obstetra, Dra. Rebecca Sotelo, esse novo modelo veio realmente para ficar. “É nítida a facilidade que esse meio nos proporciona. Muitas vezes, o paciente vai ao médico com um caso simples e gasta muito tempo até conseguir marcar, se deslocar e, de fato, conseguir atendimento. Principalmente agora, com todos os riscos que sair de casa oferece, essa redução é extremamente importante”, indica.

Porém, juntamente com a facilidade, surgem também algumas preocupações. “Ao mesmo tempo em que o paciente pode se sentir seguro para ser atendido sem sair de casa, é necessário redobrar a atenção para que os atendimentos sejam realizados por profissionais capacitados, sempre pesquisando o local e o especialista que vai fornecer a consulta. Além disso, apenas sintomas leves podem ser tratados a distância. Para quem apresenta um quadro mais grave, o mais recomendado é o atendimento presencial para que o médico possa analisar a fundo todo o quadro e realizar os exames corretamente”, destaca.

Portanto, a telemedicina deve servir como um primeiro passo para entender o que fazer em seguida. “Essa é uma ferramenta que serve como triagem. O médico saberá identificar os sinais e dizer se você pode continuar se tratando sem sair de casa ou comparecer a unidade de saúde mais próxima”, diz.

Gestantes

Dra. Rebecca que é especialista em saúde feminina íntima e de gestantes, destaca que mulheres grávidas devem evitar ficar somente nos atendimentos a distância. “Todos os procedimentos de pré-natal são essenciais para a saúde da mãe e do bebê. Portanto, ela deve comparecer periodicamente para fazer os exames de rotina, como checagem da pressão, dentre outros. A telemedicina, nesse caso, deve ser utilizada para tirar dúvidas recorrentes que possam surgir durante o período, mas nunca como única forma de atendimento médico”, ressalta.

Fonte: Rebecca Sotelo, Médica ginecologista obstetra, com pós-graduação em uroginecologia. Especialista em tratamento de incontinência urinária, prolapso genital e outros distúrbios do assoalho pélvico feminino. Formada em medicina pela UNIRIO e Pós-Graduação em Uroginecologia pela Fiocruz.

[ Jornalista e Editor Geral - Por Dentro de Minas | Portal Terra ] - Graduação: Jornalista (FESBH), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes) e Economista (UNIP). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (Universidade Europeia Miguel de Cervantes/UEMC), Doutorado Prof. em Ciências Sociais e Políticas (USIP) e atualmente cursa Direito (UNIESP-BH). Apaixonado por música, colabora no "CulturalizaBH/Portal UAI" e na "TV Balcão" com a coluna "Crítica Musical" falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. É também apaixonado por Sociologia, tanto que de sua graduação em Ciências Sociais: Sociologia, se tornou colunista de Opinião & Comportamento do portal da "RedeTV!" e "Rondônia Digital" e desta coluna, nasceu o "E-book: Sociedade Conectada: a Influência da Internet no Cotidiano". Da Economia, área ao qual foi repórter e sub-editor, se tornou colunista no "Divulga Gerais" após sua graduação em Ciências Econômicas: Economia. É colaborador de Jornais/Portais de Notícias, Diretor do Grupo Conteúdo - Agência de Notícias - Sites e também editora e assina matérias em alguns jornais de Minas Gerais e do Brasil. A escrita é sua maior base e paixão no Jornalismo. [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Publicidade
Comentar

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Gerais

PBH prorroga benefícios fiscais e tributários de amparo a empresas com atividade suspensa

Créditos tributários e não tributários devidos ao Município podem ser pagos em até 60 parcelas

Foi publicado no Diário Oficial do Município desta sexta-feira, dia 3, o Decreto 17.382, que prorroga uma série de medidas fiscais e tributárias para o amparo às empresas que tiveram suspensos os Alvarás de Localização e Funcionamento (ALFs) e as autorizações de funcionamento. Eugênio Veloso, subsecretário da Receita Municipal da Secretaria Municipal de Fazenda, explica que a Prefeitura de Belo Horizonte instituiu as medidas em benefício dos comerciantes da capital em 19 de março, por meio do Decreto nº 17.308.

“Dentre as medidas prorrogadas há a possibilidade destas empresas pagarem o valor das Taxas de Fiscalização de Localização e Funcionamento, de Fiscalização Sanitária, e de Fiscalização de Engenhos de Publicidade em até cinco parcelas mensais e consecutivas, vencendo a primeira em 10 de outubro de 2020 e as demais no mesmo dia dos meses subsequentes. Para o exercício de 2020 o referido Decreto prorrogou as datas de vencimento em 10 de maio e em 20 de maio das referidas taxas para o dia 10 de outubro. Vale dizer que os valores devidos, por força do mencionado diferimento da data normal de vencimentos das taxas, poderão ser pagos nas condições estabelecidas, sem qualquer acréscimo de juros e multa, a partir de 10 de outubro, em até cinco parcelas mensais, até 10 de fevereiro de 2021”, afirma o subsecretário.

No mesmo sentido, as parcelas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) do exercício de 2020, com vencimento no dia 15 dos meses de abril a agosto, ainda devidas pelas empresas que tiveram suspensos os ALFs e as autorizações de funcionamento pelo Decreto nº 17.328, foram diferidas para pagamento em seis parcelas mensais e consecutivas, com vencimento a partir de 15 de setembro de 2020 até 15 de fevereiro de 2021.

Nas condições ordinárias e normais, os créditos tributários e não tributários devidos ao Município podem ser pagos em até 60 parcelas. O artigo 4º do Decreto 17.382/2020, publicado nesta sexta-feira, autorizou a possibilidade de que no período de 90 dias contados da publicação deste decreto, ou seja, até 2 de outubro de 2020, as empresas que tiveram suspensos os ALFs e as autorizações de funcionamento pelo Decreto 17.328, possam parcelar os débitos inscritos em dívida ativa que porventura possuam em até 180 parcelas, por meio do parcelamento extraordinário previsto no inciso II do art. 4º da Lei nº 10.082, de 12 de janeiro de 2011, e no art. 3º do Decreto nº 16.809, de 19 de dezembro de 2017.

“Não menos importante foi a prorrogação da suspensão das ações de cobrança de dívidas porventura existentes das empresas que tiveram suspensos os ALFs e as autorizações de funcionamento pelo Decreto 17.328, de 2020. Pelo período de 100 dias, ou seja até 12 de outubro de 2020, os débitos relativos a créditos tributários e não tributários destas empresas não poderão ser objeto de protesto extrajudicial ou de cobrança judicial. A suspensão, entretanto, abrange apenas o envio de novas certidões de dívida aos cartórios de protesto. A situação dos débitos já protestados não muda e eles continuarão nesta situação até que sejam regularizados, por meio de pagamento ou de parcelamento, que nos termos do art. 4º do novo Decreto poderão ser parcelados em até 180 vezes”, explica Eugênio Veloso.

Apesar da interrupção das cobranças administrativas e judiciais, a inscrição de débitos na dívida ativa do Município continua a ocorrer. Por 100 dias estarão suspensos o início de novos procedimentos administrativos de cobrança, de modo que não haverá envio de cartas e/ou avisos de cobrança. Mesmo com os prazos de cobrança suspensos, todos os serviços digitais relativos à dívida ativa do Município continuam disponíveis no portal da Prefeitura. O contribuinte pode verificar a situação dos débitos e regularizá-los por meio da internet, sem a necessidade de ir a pontos de atendimento acessando a função “Extrato de Débitos”.

Continuar lendo

Gerais

Polícia prende casal por tráfico de drogas em Ubá

Entre os materiais apreendidos estão carregador de arma, drogas e dinheiros

Foto: Divulgação/PCMG

Nesta sexta-feira (03), a Polícia Civil de Minas Gerais realizou operação visando cumprir mandados de busca e apreensão no bairro Ponte Preta, no município de Ubá. Durante as diligências, foram apreendidos um carregador de pistola 9mm, da marca Glock; 78 pinos de cocaína e uma fração de barra da mesma droga; 27 pedras de crack; dinheiro e uma bola de merla. Um casal foi encaminhado à unidade policial.

Em um dos endereços, os Investigadores encontraram o carregador e não houve prisão no local. Já em outra localidade, enquanto os policiais civis arrombavam o portão, o suspeito chegou a arremessar duas sacolas, contendo drogas, no telhado da casa vizinha. Após recuperar a embalagem, em seu interior, foi localizado o restante do material apreendido. Na residência, ainda foi encontrada quantia de dinheiro que seria relacionada ao tráfico de drogas.

O casal, morador da residência, foi conduzido até a Delegacia de Polícia Civil. A mulher de 21 anos foi liberada e o homem de 25 anos encaminhado ao sistema prisional.

Continuar lendo

Gerais

Sexo na terceira idade auxilia no bem-estar, saúde e autoestima

Consultora em sexualidade dá dicas para aquecer a relação após os 60 anos

Para algumas pessoas, sexo na terceira idade ainda é um tabu. Porém, essa é uma das fases mais gostosas para aproveitar a relação a dois e curtir novas experiências com o parceiro, além de evitar a rotina e se sentir bem em diversos aspectos. Afinal, após os 60 anos, a sexualidade também é sinônimo de saúde e autoestima.

Segundo um levantamento divulgado pelo Programa de Estudos em Sexualidade da USP, cerca de 65% dos brasileiros com mais de 60 anos mantêm a vida sexual ativa. Enquanto isso, de acordo com estudo publicado pela revista científica Sexual Medicine, na Inglaterra, a atividade sexual entre os mais velhos melhora consideravelmente a saúde e o bem-estar.

Rotina impede novas experiências

Aline Bicalho, consultora em sexualidade, comenta que, se para os mais jovens esse é um assunto recorrente, quem já se está em uma fase mais madura encontra alguns desafios em relação a sexualidade. “Além do tabu que ainda persiste em alguns grupos da sociedade, a temida “rotina” com o parceiro torna-se um empecilho para curtir a relação. Porém, uma boa dose de diálogo e ideias inovadoras podem fazer a relação se reacender ou, até mesmo, para quem não se encontra em um relacionamento, conhecer novas pessoas e aumentar a autoestima”, conta.

Dicas para aproveitar a relação na terceira idade

Aline esclarece que o primeiro passo para continuar aproveitando as sensações da juventude é esquecer o mito de que sexo não é para os mais velhos. “Pelo contrário, ao amadurecer já experimentamos bastante coisa e sabemos o que nos faz sentir bem ou não. Portanto, esse pode ser o melhor momento para intensificar os desejos em relação ao que gosta na intimidade com o parceiro”, diz.

No entanto, na terceira idade também continua sendo válido experimentar coisas novas. “Quando o assunto é sexo, sempre tem algo novo para aprender e experimentar. O que vale é você e seu parceiro se sentirem confortáveis e buscarem novas sensações”, destaca.

Produtos eróticos como aliados da relação

Os famosos “brinquedinhos” eróticos são uma ótima pedida para aquecer a relação e conhecer novas sensações. Aline revela que já existem vários produtos direcionados para esse público, como hidratantes rejuvenescedores da região íntima, lubrificantes de uso diário que dão muito conforto às mulheres que têm tendência à ressecamento após a menopausa e excitantes unissex, por exemplo. “Existem diversas opções para utilizar em diferentes ocasiões e sair da rotina. Alguns mais intensos, outros mais leves, para todos os gostos. Eles podem se transformar em uma oportunidade incrível para aumentar o prazer e autoestima em qualquer fase da vida”, indica a consultora.

Fonte: Aline Bicalho, consultora em sexualidade. Formada em sexualidade, erotismo e cultura. Empresária e criadora do Movimento Amigas Da Bunita. Casada e mãe de 3 filhos.

Continuar lendo