Homem é suspeito de homofobia em campus da UFMG

CAPP UFMG (Foto: Reprodução / Facebook)

Um professor da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) é suspeito de homofobia em uma sala de aula. Ele é acusado por alunos e professores, que pediram abertura de processo administrativo e afastamento do cargo.

O José Marcos Rodrigues Vieira, professor da UFMG há 35 anos, e pede também a responsabilização do diretor da Faculdade teria dito que “graças a Deus existe um pouco de heterossexualidade no Direito” e, em seguida, condenou o beijo entre duas alunas, na Faculdade de Direito.

Segundo uma pagina do Centro Acadêmico Afonso Pena (CAAP), a homofobia teria acontecido no dia 23 de março.

Íntegra do texto:
Recentemente, uma de nossas salas de aula foi palco de um caso de homo-lesbofobia. O CAAP, enquanto órgão representativo dos alunos do curso de Direito, reputou a conduta inaceitável. As instâncias institucionais da Faculdade, nesse grave contexto, se mostraram indispostas para a resolução pública e imparcial da questão.
O que se viu, infelizmente, foram tentativas de silenciamento dos alunos envolvidos e de relativização da gravidade das opressões perpetradas.

Assim, o CAAP, o CACE e um grupo de professores se uniram na redação de uma petição, dirigida ao Reitor da Universidade, a fim de que seja aberto um espaço institucional imparcial para a apuração pública da questão. Em anexo, compartilhamos a referida petição.

Essa medida é somente um passo no caminho para a efetivação da luta contra as opressões na UFMG. O CAAP está aberto para acolher e representar, através de todos os meios possíveis, qualquer aluno que se sinta discriminado ou prejudicado por atos cometidos dentro da faculdade.

A petição foi assinado pelo próprio CAAP, pelo Centro Acadêmico do Curso de Ciências do Estado (Cace), além de cinco professores da universidade.

Total
0
Shares

Relacionados