ÚLTIMASSaiba quem são os 16 pré-candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte saiba mais
EconomiaMF Press Global

Empreendedor carioca inova ao criar marca de suplementos alimentares de alta qualidade com preços competitivos e dispara nas vendas

O Brasil é um dos maiores mercados de suplementos do mundo, atrás apenas para Estados Unidos e Austrália. Com mais de 33 mil academias, sendo o segundo maior país com academias de ginástica do mundo, apenas atrás dos Estados Unidos. Apesar dos números expressivos no ranking mundial associados ao Brasil, nem todos os frequentadores de academia no país usam suplementos alimentares, devido aos altos custos associados.

De acordo com um estudo, em sua maioria o público que consome suplementos alimentares no Brasil é masculino, com idade entre 15 e 20 anos e da classe C, o que explicaria porque  enquanto de 50 a 55% dos americanos consomem suplementos, no Brasil esse número varia de 3 a 7%. Se o poder de compra fosse maior e os preços mais baixos, certamente o percentual seria semelhante ao encontrado em países como Estados Unidos e Austrália.

Apesar da expansão entre 2010 e 2016 – de R$ 637 milhões para R$ 1,49 bilhão em faturamento no Brasil, devido a crise econômica o mercado desacelerou. No entanto, algumas empresas brasileiras tem conseguido crescer mesmo com o cenário de recessão que o país enfrenta apostando em produtos nacionais e estratégias de preços competitivas.

Para atender a esta fatia do mercado que tem demanda por suplementos alimentares para turbinar os seus resultados na academia, o empreendedor Daniel Cohen, CEO da Mundo Maromba Suplementos, resolveu investir em uma forma de oferecer produtos feitos no Brasil com matérias prima de alta qualidade mas com preços competitivos em alternativa aos produtos importados: “com o pensamento de trazer custo e benefício pro consumidor final, desenvolvemos a DCX Nutrition, que é uma marca própria de suplementos que busca oferecer ao público qualidade com preço justo, levando em conta a realidade e o poder de compra no Brasil”, afirma.

Como consequência dessa estratégia adotada, em que a diferença de preços entre o produto importado e o similar brasileiro varia de 30% a 70%, a DCX Nutrition viu seus números decolarem e hoje ja é uma das mais vendidas no Rio de Janeiro, cidade aonde a empresa tem sua sede. Com isso, Daniel revela planos de expansão e de lançamento de novos produtos : “após tamanha ascensão da marca, estamos indo muito além do tradicional whey protein, que é o mais consumido suplemento. Virão mais 8 novos itens para a marca como colágeno hidrolisado em pó, pré treino, bcaa em pó com 150g e 300g, cafeína, creatina 300gramas, glutamina 300g, e melhorias como whey hidrolisado, concentrado e isolado. Tudo com fabricação nacional, atendendo a todos os padrões da ANVISA e com preço justo”, revela Daniel Cohen.

469 Publicações

Sobre
Este conteúdo de divulgação comercial é fornecido pela empresa MF Press Global e não é de responsabilidade da Por Dentro de Minas
Artigos
Relacionados
EconomiaMF Press Global

Venda de computadores cresce, mas é bom saber como encontrar equipamento com preço justo

Os efeitos da pandemia podem ser observados até no aumento da venda de novos computadores no Brasil. Afinal, com o isolamento social,…
EntretenimentoMF Press Global

Movimento em prol da solidariedade reúne 25 empreendedores e influenciadores digitais por uma causa maior

O evento se chama “Arrasta para cima” e não é à toa. Além de fazer uma referência ao comando de interação presente…
MF Press GlobalPolítica

Capitão Augusto é o nome mais forte entre bolsonaristas para assumir Presidência da Câmara

O colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, publicou no último dia 2 que o presidente Jair Bolsonaro justificou seu apoio explícito…

Deixe uma resposta