Academia Mineira de Letras lança projeto “22 entrevistas no Bicentenário da Independência”

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

Rogério Tavares – Foto Renato Wrobel. 

Presidente da AML conduzirá as entrevistas até sete de setembro de 2022. 1ª Edição será em 21/04 com o escritor Lucas Figueiredo, seguido por Mary Del Priore, Laurentino Gomes e Paulo Rezzutti

 

O bicentenário da Independência do Brasil será celebrado em 2022. Considerando a importância da data, a Academia Mineira de Letras preparou uma programação de um ano e meio para falar sobre o assunto. O projeto “22 entrevistas no Bicentenário da Independência” terá início no dia 21 de abril com bate-papos conduzidos pelo presidente da AML, Rogério Faria Tavares, e convidados que são referência nos assuntos abordados. As transmissões serão pelo YouTube da AML.

O evento acontece no âmbito do Plano Anual de Manutenção AML (PRONAC 203709), realizado mediante a Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio do Instituto Unimed BH – por meio do incentivo fiscal de mais de cinco mil e duzentos médicos cooperados e colaboradores – e da CEMIG. Copatrocínio da Tambasa.

Neste ano, serão realizadas 11 entrevistas, com uma hora de duração cada. No ano que vem, serão realizadas outras 11, até o mês de setembro. De acordo com o presidente da Academia Mineira de Letras, Rogério Faria Tavares, a ideia é aproveitar o marco para refletir sobre o país do ponto de vista dos livros sobre a data e da literatura que tem como foco o Brasil. “Serão dois momentos. No primeiro deles, vou entrevistar escritores que pesquisaram sobre a Independência e publicaram livros sobre ela ou sobre personagens fundamentais para compreendê-la. No segundo, o foco recairá sobre livros de ficção que tiveram como foco o nosso país, a nossa história e a nossa realidade. Aí, o interesse será entender como esses escritores fabularam sobre o Brasil, quais eram as suas perspectivas, seus pontos de vista, o que retrataram, que país surgiu desses livros.”, revela.

Na estreia, o jornalista e escritor Lucas Figueiredo falará sobre seu livro “O Tiradentes, uma biografia de Joaquim José da Silva Xavier”. A conversa será no dia 21 de abril. No dia 29 de abril, a historiadora Mary Del Priore falará sobre seu livro “As vidas de José Bonifácio”.  No dia 13 de maio, o jornalista Laurentino Gomes falará sobre seu livro “1822”. No dia 27 de maio, Paulo Rezzutti falará sobre o seu livro “Dona Leopoldina”. Entre os assuntos contemplados na segunda parte do projeto, que trata especialmente da Literatura de Ficção, estarão os textos satíricos de Gregório de Matos, o poema “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias; e os livros “Macunaíma”, de Mário de Andrade; “Martim Cererê”, de Cassiano Ricardo; “Romanceiro da Inconfidência”, de Cecília Meireles; “Zero”, de Ignácio de Loyola Brandão; “Viva o povo brasileiro”, de João Ubaldo Ribeiro e “Eles eram muitos cavalos”, de Luíz Ruffato, entre outros.

“A partir das entrevistas, será gerado um conteúdo útil para a pesquisa e a consulta, relevante para o avanço dos estudos e dos conhecimentos a respeito. É preciso que a data seja marcada pela reflexão profunda, séria, consistente e não por solenidades ocas, destituídas de sentido. As 22 entrevistas estarão à disposição de todos os interessados no canal exclusivo da Academia Mineira de Letras no YouTube, gratuitamente, para que o acesso a elas seja o mais amplo possível”, finaliza o presidente da instituição.

 

Primeira edição: “O Tiradentes, uma biografia de Joaquim José da Silva Xavier”, com Lucas Figueiredo

 

A primeira edição do projeto “22 entrevistas no Bicentenário da Independência” recebe Lucas Figueiredo, no dia 21 de abril, às 19:30 horas. O tema será o seu livro, “O Tiradentes, uma biografia de Joaquim José da Silva Xavier” e o conhecimento que o autor acumulou a respeito.

Durante cinco anos, o escritor e jornalista pesquisou sobre a vida de Tiradentes, em arquivos nacionais e no exterior, para compor a primeira biografia moderna de um dos maiores personagens da história do Brasil. Serão abordadas as principais descobertas, o processo de apuração, o retrato de Joaquim José da Silva Xavier, assim como a comparação sobre a imagem consolidada e a realidade dos fatos.

No livro, o autor reconstitui a trajetória do alferes, desde a sua experiência familiar, os anos de juventude, quando foi mascate, o trabalho no baixo escalão dos oficiais ―, enfrentando as engrenagens da burocracia estatal ―, o ofício paralelo de tratar (e tirar) dentes, até seu envolvimento na Conjuração Mineira. Em paralelo, descortina-se um retrato vívido das Minas Gerais e do Rio de Janeiro do século XVIII: seus personagens, acontecimentos, e a circulação dos ideais revolucionários.

Sobre o convidado:

Lucas Figueiredo nasceu em Belo Horizonte em 1968. Jornalista e escritor, trabalhou para veículos como Folha de S.PauloO Estado de S.Paulorádio BBC de Londres e The Intercept. Também atuou como pesquisador da Comissão Nacional da Verdade e consultor da Unesco. É autor de sete livros, entre eles Morcegos negros e Ministério do silêncio. Atualmente escreve a biografia de Juscelino Kubitschek, que será publicada em mais de um volume pela Companhia das Letras.

SERVIÇO:

Academia Mineira de Letras

22 entrevistas no Bicentenário da Independência

2021/2022

1ª edição: 21 de abril, às 19:30 horas – “O Tiradentes, uma biografia de Joaquim Jose da Silva Xavier”, com Lucas Figueiredo

Acesso: Youtube.com/c/AcademiaMineiraDeLetras

 

Instituto Unimed-BH

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, desde 2003, desenvolve projetos visando ampliar o acesso à cultura, estimular o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, valorizar espaços públicos e o meio ambiente e contribuir com a formação para a cidadania. É responsável pela realização do Programa Sociocultural Unimed-BH que, ao longo de sua história, destinou cerca de R$140 milhões ao setor cultural, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e da Lei Federal de Incentivo à Cultura, gerando milhares de postos de trabalho, impulsionados pelo patrocínio de mais de 5.200 médicos cooperados e colaboradores. Anualmente milhares de pessoas são alcançadas por meio de projetos de cinco linhas de atuação: Comunidade, Voluntariado, Meio Ambiente, Adoção de Espaços Públicos e Cultura, alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Neste ano, todas as iniciativas do Instituto celebram os 50 anos da Unimed-BH. Saiba mais em www.institutounimedbh.com.br.

 

Cemig

De onde vem a nossa força?

A Cemig, maior patrocinadora cultural de Minas Gerais, acredita na importância e na valorização da arte e da cultura para o desenvolvimento humano, econômico e social de uma população como possibilidade do alcance de um futuro melhor para as novas gerações. A preocupação da empresa em promover a socialização e a democratização do acesso aos bens culturais do estado se baseia principalmente no compromisso da Cemig com a transformação social e inclusão, uma oportunidade de dialogar e trazer melhorias para a comunidade. Nossa força também vem da cultura. Saiba mais em www.cemig.com.br

Total
1
Shares
Reportagem Anterior

Uma dose de solidariedade

Próxima Reportagem
Acidente mata uma pessoa e deixa outra ferida na BR-040, em Ouro Preto - Foto: Divulgação/Via 040

Acidente mata uma pessoa e deixa outra ferida na BR-040, em Ouro Preto

Postagens Relacionadas