Mercado de implantes deve chegar a R$ 72 milhões em 2027


Ano a ano, a busca pelo sorriso perfeito tem impulsionado o mercado global de implantes dentários em todo o mundo. É o que mostra o relatório “Dental Implants Market 2022”, conduzido pela Research and Markets. Segundo o levantamento, o mercado foi estimado em US$ 7,87 milhões (cerca de R$ 40,40 milhões) em 2020, US$ 8,53 milhões (por volta de R$ 43,80 milhões) em 2021, e está projetado para crescer a uma CAGR (Compound Annual Growth Rate, na sigla em inglês – Taxa de Crescimento Anual Composto, em português) de 8,78% para atingir US$ 14,19 milhões (algo em torno de R$ 72,84 milhões) até 2027.

Dr. Daniel Carvalho, implantodontista da Rede Odonto, franquia de clínicas odontológicas, avalia a previsão de crescimento do mercado global de implantes para os próximos anos de forma positiva. “Com a chegada das redes sociais, o brasileiro tem investido mais nos cuidados com os dentes. As campanhas de conscientização na área da odontologia atentam que, para além da estética, uma dentição bem cuidada é sinônimo de saúde e qualidade de vida”, diz ele.

Carvalho chama a atenção para o fato de que as técnicas cirúrgicas e os exames de diagnóstico evoluíram muito no Brasil nos últimos anos, trazendo conforto, praticidade e confiança ao paciente. “Além de toda evolução técnica, os custos se tornaram mais acessíveis, fator que tem contribuído para ampliar o número de tratamentos de implante e movimentado o mercado global”.

Neste ponto, o implantologista afirma que, apesar da procura crescente por implante dentário, o procedimento ainda gera uma série de dúvidas. A seguir, a reportagem organizou as principais considerações do especialista a respeito da técnica:

O que é implante?

“O implante em si é um dispositivo que substitui a raiz do dente. Ele é feito de titânio, um material muito resistente que, quando inserido ao osso, não sofre deterioração. Sendo assim, é projetado para durar a vida toda. Porém, a parte que fica exposta e visível na boca, que é a prótese dentária (substitui o dente perdido) é feita de materiais que sofrem desgastes e precisam de manutenção periódica”, descreve Carvalho. 

Durabilidade

Já a durabilidade do implante, segundo o implantologista, tem muita relação com o cuidado do paciente, desde a escovação, até a visita na data prevista ao dentista.

Uma modalidade, várias técnicas

De acordo com o especialista, existem várias técnicas de colocação de implantes e próteses. “Eles podem ser feitos em etapas separadas (primeiro o implante e após uma média de três meses coloca-se a prótese). E existe a carga imediata, onde o implante e a coroa dental são colocados no mesmo dia”, esclarece. Estas etapas são avaliadas pelo profissional e pela condição de cada paciente, o que é muito personalizado, pois existem casos que se faz necessário a colocação de osso para fixar os implantes”, complementa. 

Diferença entre implante e prótese

O implantodontista da Rede Odonto afirma que o implante é o dispositivo que substitui a raiz do dente perdido e fica inserido ao osso do paciente. A prótese, por sua vez, é a parte que fica visível na boca, chamada de coroa dental. Ela é a responsável por devolver a estética e função mastigatória.

Evolução da tecnologia para implantes nos últimos anos

“Com a chegada dos scanners digitais, os modelos das dentições e os exames precisos da parte óssea, a tecnologia para implantes tem evoluído de forma incrível. Essas inovações permitem ao cirurgião escolher a melhor posição do implante e ajustar o que for preciso”, afirma Carvalho.

Ele conta que o software responsável pelos modelos gera um arquivo que, encaminhado a uma impressora 3D, gera um guia cirúrgico “muito confiável”, o que vai permitir que o implante seja inserido no local pré-determinado. “Em alguns casos, a prótese é instalada no mesmo momento. São avanços que já viraram realidade e chegam a um número cada vez maior de pessoas”, conclui o especialista.

Para mais informações, basta acessar: https://www.redeodonto.com.br/

Total
0
Shares
Relacionados