fbpx
Redes Sociais

Olimpíadas

Mineirão receberá 10 jogos olímpicos

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

O Comitê Organizador dos Jogos do Rio 2016 confirmou nessa terça-feira (31) a presença do Mineirão dentro da programação de partidas de futebol no próximo ano. De acordo com a organização, o Gigante da Pampulha receberá 10 confrontos, sendo seis da categoria feminina e quatro da masculina. Dentro da programação, que pode sofrer ajustes até lá, consta uma rodada dupla masculina no dia 10 de agosto. Na oportunidade, o estádio receberá partidas às 13h e 18h.

Outro confronto masculino será no dia 13 de agosto, este válido pelas quartas de final. E por fim, o Mineirão receberá a disputa pela medalha de bronze no dia 20 de agosto. Já a categoria feminina terá partidas nos dias 3, 6, 12 e 16 de agosto. Os ingressos variam entre R$ 40 e R$ 200.

Ingressos

Os Jogos Olímpicos de 2016 só começam daqui a 492 dias, mas quem quiser reservar um lugar na maior festa do esporte mundial já pode concorrer a um dos 4,5 milhões de ingressos (70% do total) que serão comercializados em junho. Desde a tarde de ontem, o site oficial do evento (www. rio2016.com) está recendo solicitações de tíquetes para as competições de quem já realizou o cadastro no local.

Cada espectador pode se candidatar a 20 sessões, com seis ou quatro ingressos no máximo em cada uma. A compra poderá ser dividida em cinco ou três vezes na bandeira de cartão de crédito que patrocina o evento.

Apenas brasileiros participam desta fase de venda. Quem não for sorteado neste primeiro momento terá prioridade no segundo sorteio, em julho. Os preços variam de R$ 40 a R$ 1,2 mil, para as competições esportivas, e de R$ 200 a R$ 4,6 mil para as cerimônias. A própria página de venda ajuda o torcedor a procurar o ingresso de acordo com o valor que cabe no seu bolso ou da preferência por esporte.

Olimpíadas

Delegações que passaram por Minas Gerais somam 102 medalhas ao fim dos Jogos Rio 2016

Antes e durante a Olimpíada, 1.300 atletas de 18 países estiveram no território mineiro para treinamentos e aclimatação.

• atualizado em 26/04/2020 às 10:43

O resultado no pódio dos atletas que treinaram e fizeram a aclimatação para os Jogos Olímpicos Rio 2016 em Minas Gerais indica que,  além da satisfação pela receptividade e pela estrutura encontrada, os ares mineiros foram benéficos também para o desempenho esportivo.

Além da delegação brasileira de canoagem, que surpreendeu e garantiu as três versões de medalha para o ranking do país na competição, quase mil atletas estrangeiros de 17 países também se prepararam em solo mineiro.

Esse foi um dos frutos do trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Articulação Minas 2016, grupo intersetorial coordenado pelo secretário de Estado de Esportes, Carlos Henrique, que se dedica aos eventos relacionados aos Jogos Rio 2016 no estado.

A Grã-Bretanha foi o grande destaque ao encerrar os Jogos Rio 2016 na segunda colocação no quadro geral de medalhas, atrás apenas dos Estados Unidos. Os britânicos, que treinaram em Belo Horizonte com todas as modalidades, somaram um total de 67 medalhas: 27 de ouro, 23 de prata e 17 de bronze.

Bélgica e Irlanda também trouxeram para o território mineiro todos os atletas de sua delegação. Os países somaram 6 e 2 medalhas, respectivamente. Os belgas conquistaram duas medalhas de ouro: uma no atletismo e outra no ciclismo de estrada; duas pratas no hóquei sobre grama masculino e na natação; dois bronzes no ciclismo de pista e no judô. Já as medalhas irlandesas foram de prata: no remo e na vela.

Os Estados Unidos, líder absoluto na classificação dos Jogos Rio 2016, teve apenas um atleta treinando em Minas Gerais. Ashton Eaton esteve em Juiz de Fora acompanhando a esposa, que é atleta da delegação do Canadá.

Ao final da competição, o casal volta para casa com duas medalhas. Ashton sagrou-se bicampeão na disputa de decatlon, enquanto a canadense Brianne Theisen Eaton faturou medalha de bronze no heptatlo.

Canoagem brasileira brilha em águas cariocas

Desde 2014, a cidade de Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, é a casa da canoagem brasileira. Durante os últimos anos, os atletas Isaquias Queiroz, Nivalter Santos, Erlon Santos e Ronilson Oliveira, comandados pelo técnico espanhol Jesús Morlán, treinam no local.

O trabalho realizado na cidade mineira foi consagrado no Rio de Janeiro com a presença da bandeira do Brasil por três vezes no pódio da modalidade.

Isaquias fez história ao se tornar o primeiro brasileiro a conquistar três medalhas numa mesma edição de Olimpíada. Nas disputas individuais, o baiano ficou com a prata nos 1000m e com bronze nos 200m. A terceira medalha foi conquistada ao lado de Erlon Souza, na canoa dupla 1000m.

Jogos Paralímpicos

Minas Gerais será sede da preparação de três países para os Jogos Paralímpicos Rio 2016, que acontecem entre 7 e 18 de setembro. Nas próximas semanas desembarcam em território mineiro as delegações da Grã-Bretanha e da Irlanda, que virão com representantes de todas as modalidades, e do atletismo do Canadá.

Os britânicos ficarão em Belo Horizonte, enquanto os irlandeses treinam em Uberlândia. Já os canadenses fazem preparação em Juiz de Fora. Cerca de 250 atletas paralímpicos passarão por Minas Gerais.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Continuar lendo

Olimpíadas

Delegações que passaram por Minas Gerais somam 102 medalhas ao fim dos Jogos Rio 2016

Antes e durante a Olimpíada, 1.300 atletas de 18 países estiveram no território mineiro para treinamentos e aclimatação.

• atualizado em 26/04/2020 às 10:43

O resultado no pódio dos atletas que treinaram e fizeram a aclimatação para os Jogos Olímpicos Rio 2016 em Minas Gerais indica que,  além da satisfação pela receptividade e pela estrutura encontrada, os ares mineiros foram benéficos também para o desempenho esportivo.

Além da delegação brasileira de canoagem, que surpreendeu e garantiu as três versões de medalha para o ranking do país na competição, quase mil atletas estrangeiros de 17 países também se prepararam em solo mineiro.

Esse foi um dos frutos do trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Articulação Minas 2016, grupo intersetorial coordenado pelo secretário de Estado de Esportes, Carlos Henrique, que se dedica aos eventos relacionados aos Jogos Rio 2016 no estado.

A Grã-Bretanha foi o grande destaque ao encerrar os Jogos Rio 2016 na segunda colocação no quadro geral de medalhas, atrás apenas dos Estados Unidos. Os britânicos, que treinaram em Belo Horizonte com todas as modalidades, somaram um total de 67 medalhas: 27 de ouro, 23 de prata e 17 de bronze.

Bélgica e Irlanda também trouxeram para o território mineiro todos os atletas de sua delegação. Os países somaram 6 e 2 medalhas, respectivamente. Os belgas conquistaram duas medalhas de ouro: uma no atletismo e outra no ciclismo de estrada; duas pratas no hóquei sobre grama masculino e na natação; dois bronzes no ciclismo de pista e no judô. Já as medalhas irlandesas foram de prata: no remo e na vela.

Os Estados Unidos, líder absoluto na classificação dos Jogos Rio 2016, teve apenas um atleta treinando em Minas Gerais. Ashton Eaton esteve em Juiz de Fora acompanhando a esposa, que é atleta da delegação do Canadá.

Ao final da competição, o casal volta para casa com duas medalhas. Ashton sagrou-se bicampeão na disputa de decatlon, enquanto a canadense Brianne Theisen Eaton faturou medalha de bronze no heptatlo.

Canoagem brasileira brilha em águas cariocas

Desde 2014, a cidade de Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, é a casa da canoagem brasileira. Durante os últimos anos, os atletas Isaquias Queiroz, Nivalter Santos, Erlon Santos e Ronilson Oliveira, comandados pelo técnico espanhol Jesús Morlán, treinam no local.

O trabalho realizado na cidade mineira foi consagrado no Rio de Janeiro com a presença da bandeira do Brasil por três vezes no pódio da modalidade.

Isaquias fez história ao se tornar o primeiro brasileiro a conquistar três medalhas numa mesma edição de Olimpíada. Nas disputas individuais, o baiano ficou com a prata nos 1000m e com bronze nos 200m. A terceira medalha foi conquistada ao lado de Erlon Souza, na canoa dupla 1000m.

Jogos Paralímpicos

Minas Gerais será sede da preparação de três países para os Jogos Paralímpicos Rio 2016, que acontecem entre 7 e 18 de setembro. Nas próximas semanas desembarcam em território mineiro as delegações da Grã-Bretanha e da Irlanda, que virão com representantes de todas as modalidades, e do atletismo do Canadá.

Os britânicos ficarão em Belo Horizonte, enquanto os irlandeses treinam em Uberlândia. Já os canadenses fazem preparação em Juiz de Fora. Cerca de 250 atletas paralímpicos passarão por Minas Gerais.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Continuar lendo

Olimpíadas

Na semi! “Santa” Bárbara pega dois pênaltis e Brasil elimina Austrália em jogo emocionante

A goleira do Brasil teve o seu dia de “santa” no Mineirão, pegou dois pênaltis e garantiu a classificação verde e amarela.

• atualizado em 25/04/2020 às 16:26

Heroica! Assim foi a classificação brasileira para a semifinal do futebol feminino na noite desta sexta-feira (12). A partida contra a Austrália pelas quartas de final teve todos os ingredientes de um jogo decisivo. Chances perdidas, sustos, disputa de pênaltis e muita emoção. Uma classificação com o nome de Bárbara. A goleira do Brasil teve o seu dia de “santa” no Mineirão, pegou dois pênaltis e garantiu a classificação verde e amarela.

A festa foi completa no Gigante da Pampulha. Com a presença de mais de 52 mil torcedores, que fizeram uma linda festa com direito ao famoso aplicativo do celular Strobo Led, que consiste em uma luz que fica piscando, muita empolgação e cânticos de apoio as jogadores brasileiras, o Brasil garantiu a classificação para mais uma semifinal olímpica.

Em busca do sonhado ouro inédito no futebol feminino, o Brasil agora vai reencontrar a Suécia na semifinal. O duelo entre brasileiras e suecas será na próxima terça-feira (16), às 13, no Maracanã. As duas seleções já haviam se enfrentado na primeira fase do futebol feminino e na oportunidade o time verde e amarelo atropelou com uma goleada por 5 a 1.

Placar zerado

O Brasil foi melhor que a Austrália na partida desta sexta. Mas, apesar disso, as brasileiras não conseguiram vencer a inspirada goleira Lydia Williams. Depois de um primeiro tempo equilibrado, o time  da casa dominou na etapa final. Debinha, Thaisa e Andressa Alves tiveram boas chances, mas não aproveitaram e também pararam na goleira australiana.

Aliás, o susto fez parte de todas as formas no duelo. No final do tempo normal, Logarzo apareceu bem no ataque, chutou forte e acertou o travessão da goleira brasileira. A sorte parecia estar do lado brasileiro. Um fato triste marcou o jogo. A lateral-direita Fabiana teve que ser substituída após sofrer uma lesão. Ela chegou a tentar levantar, mas não conseguiu. Deixou campo de maca e com muitas dores. Poliana entrou em seu lugar.

Na prorrogação, as brasileiras continuaram dominando o jogo, mas a goleira Williams fez grandes defesas e continuava evitando de todas as formas o gol do Brasil. O técnico Vadão resolveu fazer a segunda mudança no time já na reta final, quando colocou Andressinha na vaga de Thaisa.

Susto grande; Sai que é sua Bárbara

Bárbara pegou dois pênalti e foi a heroína brasileira na disputa de pênaltis com a Austrália – Foto: Getty Images / Pedr Vilela

Bárbara pegou dois pênalti e foi a heroína brasileira na disputa de pênaltis com a Austrália – Foto: Getty Images / Pedr Vilela

A disputa de pênaltis entre Brasil e Austrália não poderia ser mais tensa. Foram 16 cobranças no total, oito de cada lado. Depois das duas seleções converterem suas quatro primeiras cobranças, um susto que deixou o torcedor brasileiro muito tempo. A capitã Marta acabou errando a quinta cobrança, que foi defendida por Williams. Se a Austrália fizesse acabava, mas uma “santa” resolveu entrar em ação. A goleira Bárbara defendeu a penalidade foi cobrada por Gorry e manteve Brasil na briga.

A disputa continuou até a oitava cobrança. Primeiro, a lateral-esquerda Tamires converteu bem a sua cobrança fazendo 7 a 6 para o Brasil. Na sequência a goleira Bárbara, em estilo ao ex-goleiro Taffarel na Copa do Mundo de 1994, pulou bem na cobrança de Kennedy e como um gatou fez bela defesa garantindo a classificação brasileira para a semifinal. A torcida foi ao delírio e fez a festa no Mineirão.

Quem cobrou os pênaltis do Brasil

Oito jogadoras brasileiras cobraram as penalidades na disputa com a Austrália, sendo que apenas uma errou. Andressa Alves, Andressinha, Bia, Rafaelle, Debinha, Mônica e Tamires converteram as setes cobranças da vitória por 7 a 6. Já a capitã Marta foi a responsável pela única cobrança perdida, que foi defendida pela goleira Williams.

Como o Brasil jogou

A Seleção Brasileira derrotou a Austrália com: Bárbara; Fabiana (Poliana), Mônica, Rafaelle e Tamires; Thaisa (Andressinha), Formiga e Marta; Debinha, Andressa Alves e Bia.

Para ler mais notícias do Por Dentro de Minas, clique em esporte.pordentrodeminas.com.br. Siga também o Por Dentro de Minas no Twitter e Facebook e pelo RSS.

Continuar lendo