Opinião: Escolhas

Na coluna de Dr. Marcelo Harger desta semana, leia: “Escolhas”
Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

Desde a infância tenho o hábito da leitura, mas foi somente “depois de velho” que pude ler alguns dos clássicos da literatura infantil. Surpreendo-me com os ensinamentos que esses livros trazem de forma quase imperceptível. O último deles foi “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carrol.

Há uma conversa interessantíssima entre Alice e o Gato. Ela pergunta como faz para sair dali, e o gato responde que isso depende de para onde ela pretende ir. Alice retruca que tanto faz, e o gato diz que nesse caso pouco importa o caminho que ela tome. Tentando se explicar, Alice acrescenta que o caminho não tem importância desde que chegue a algum lugar. O gato conclui a conversa dizendo que ela então andará bastante. Em outra passagem Alice relata que dava ótimos conselhos a si mesma, mas raramente os seguia.

Algumas vezes agimos em nossas vidas como verdadeiras Alices. Reclamamos que não chegamos a lugar algum, mas não temos uma ideia clara de onde queremos chegar. Queixamo-nos das dificuldades no caminho sem perceber que nenhum vento é favorável àquele que não tem direção.

Há até momentos em que sabemos o melhor rumo, mas agimos como se estivéssemos no país das maravilhas e desprezamos “os próprios conselhos”. Por alguma razão mágica, julgamos que eles servem para os outros e não para nós mesmos e seguimos rumando sem saber onde queremos chegar.

Não há problema em não ter direção desde que esse seja um ato de escolha consciente. A sabedoria popular de Zeca Pagodinho já ensinou: “deixa vida a vida me levar, vida leva eu. Sou feliz e agradeço por tudo o que Deus me deu”.

Escolhas desse tipo, no entanto, são excludentes. Para cada opção feita há outra que se fecha. Quando escolho um caminho abdico do oposto. O mesmo ocorre quando decido não ter rumo algum. Independentemente da opção que se tome, é importante reconhecer que cada escolha é um ato de vontade. É preciso perceber que somos responsáveis pela vida que levamos, e ter a coragem de admitir as consequências de nossas decisões.

Total
1
Comp.
Reportagem Anterior

Minas decreta situação de emergência como uma das medidas para contenção do coronavírus

Próxima Reportagem

Especialistas trazem dicas para pais de primeira viagem

Postagens Relacionadas