ÚLTIMASFeira Hippie, clubes e bares com música ao vivo poderão voltar a funcionar em Belo Horizonte saiba mais
Marcelo Harger

Opinião: Dúvidas

Antigamente as possibilidades de escolha eram menores. A profissão a ser seguida, quando o filho fosse homem era a do pai. As mulheres seriam donas de casa. Casar era uma obrigação, e a escolha do parceiro ideal era feita pela família. Havendo uma única opção o sofrimento causado pela dúvida inexistia. Inexistia também a culpa por escolher errado e a responsabilidade pelos próprios atos.

O mundo moderno trouxe uma maior liberdade para o ser humano. A quantidade de opções que temos em nossa vida torna o ato de decidir cada vez mais difícil. São tantas as opções que muitas vezes estacamos diante das escolhas mais básicas. Até mesmo comprar uma calça jeans pode tornar-se um sacrifício diante de tantas marcas e modelos.

A quantidade de opções ocorre também em relação às coisas mais sérias. Que profissão seguir? Casar, permanecer solteiro ou em união estável? É muito difícil que alguém tenha completa certeza quando faz escolhas desse tipo e o excesso de opções causa angústias.

É natural que isso ocorra, pois como ensinava Baltazar Gracián em a “Arte da Prudência”, é perigoso fazer algo de que a própria prudência duvida. Indagava, ainda, como poderia dar certo aquilo que, logo depois de pensado, já desperta receios? E concluía afirmando que o mais seguro seria nada fazer, porque os maus prognósticos normalmente se confirmam.

Embora esses conselhos devam ser respeitados, jamais poderão ser aceitos como uma verdade inatacável em todas as situações. Ser prudente não é o mesmo que ser omisso. Deixar de agir quando a ação era obrigatória pode causar mais prejuízos do que agir equivocadamente.

É necessário ter em mente que as dúvidas são inerentes aos seres humanos. Não há quem nunca tenha hesitado diante de uma decisão importante a ser tomada. Não é possível saber de antemão o resultado de cada escolha. É possível, no entanto, utilizar uma regra básica da filosofia chinesa para nos ajudar a escolher. O melhor curso de ação é sempre aquele que nos deixa sem culpa nem arrependimento. Agindo desse modo, mesmo quando as coisas derem errado, será possível dormir em paz.

71 Publicações

Sobre
Colunista da Por Dentro de Minas. Marcelo Harger advogado em Joinville, escritor, membro da Academia Joinvilense de Letras, mestre e doutor em Direito do Estado pela PUC-SP, MBA em Gestão empresarial pela Fundação Getúlio Vargas.
Artigos
Relacionados
Marcelo Harger

Opinião: Quem queria ter sido

Na coluna de Dr. Marcelo Harger desta semana, leia: “Quem queria ter sido”
Marcelo Harger

Opinião: Abudo da Mocidade

Na coluna de Dr. Marcelo Harger desta semana, leia: “Abudo da Mocidade”
Marcelo Harger

Opinião: Um artigo para lembrar

Na coluna de Dr. Marcelo Harger desta semana, leia: “Um artigo para lembrar”

Deixe uma resposta