ELEIÇÕES 2020Veja os 15 nomes dos candidatos a Prefeito em Belo Horizonte saiba mais
Marcelo Harger

Opinião: Lambendo as crias

Por Dentro de Minas - Google News (pordentrodeminas - googlenews)

Ela entrou com um ar seguro no deque da piscina. Julgava-se invencível. Os olhos estavam ligeiramente fechados para se proteger do sol.
Trajava um biquíni rosa. Os cabelos estavam presos em um “rabo de cavalo”, que deixava cair uma mecha sobre o rosto.

Olhou para a água, correu brevemente, e sem hesitar pulou na piscina. Foi um “Deus nos acuda”. Atirei-me para salvar a pequenina de apenas dois anos de idade.

Erguida prontamente nos braços salvadores do pai, fez uma cara de que não sabia se ria ou chorava pelo susto. Procurei acalmá-la dizendo: que mergulhão!

Ela riu gostoso, como só os bebês sabem fazer, e apontando o minúsculo dedinho indicador para mim deu-me uma advertência. Disse-me ai, ai, ai, ai, ai com o dedinho em riste. Foi ela quem aprontou, mas fui eu quem levou a bronca.

Pai perdoa. Não tem problema. Vale tudo pela saúde dos pequenos. O susto, mais um dentre muitos, serve de lembrete de tudo o que a pequena Martina precisará aprender até tornar-se mulher.

Felizmente dessa vez estava perto, mas foi inevitável pensar no futuro de minha pequena. Quantos tombos, reais e metafóricos, ela levará durante sua vida? Quantas decepções, amores não correspondidos e outras dificuldades ela encontrará? Quantas vezes poderei “salvá-la”?
Espero que muitas. Os filhos crescem e devagarzinho vão deixando de lado a ajuda dos pais. Pedro, com oito anos, não quer mais que o leve até dentro da sala. Devo deixá-lo no portão. Diz que já é grande o suficiente para entrar sozinho. Pai levando até a sala é um “mico”. Contento-me em olhá-lo a distância, com orgulho, pela pontinha de independência por ele conquistada. Olho enquanto agarro Martina com todas as forças e a levo até a sala. Ela nem sabe o que é mico, mas já me manda embora na porta da sala.

Dá um tchau, abanando com a mão pequenina e manda um beijo. Eu me derreto todo pensando durante quanto tempo terei esse privilégio. Até quando ela terá esse cheiro gostoso de neném? Por quanto tempo terei forças para  levá-la em meus braços? São perguntas que batem fundo dentro de mim. Espero que a resposta demore. Enquanto ela não vem, sigo aproveitando e torcendo para que demore muito, pois não há nada melhor do que “lamber as crias”.

71 Publicações

Sobre
Colunista da Por Dentro de Minas. Marcelo Harger advogado em Joinville, escritor, membro da Academia Joinvilense de Letras, mestre e doutor em Direito do Estado pela PUC-SP, MBA em Gestão empresarial pela Fundação Getúlio Vargas.
Artigos
Relacionados
Marcelo Harger

Opinião: Quem queria ter sido

Na coluna de Dr. Marcelo Harger desta semana, leia: “Quem queria ter sido”
Marcelo Harger

Opinião: Abudo da Mocidade

Na coluna de Dr. Marcelo Harger desta semana, leia: “Abudo da Mocidade”
Marcelo Harger

Opinião: Um artigo para lembrar

Na coluna de Dr. Marcelo Harger desta semana, leia: “Um artigo para lembrar”

Deixe uma resposta